A competitividade no mercado de trabalho, por mais que tradicionalmente seja buscada, tem se acirrado nos últimos anos. Cada vez mais profissionais têm buscado formas de se destacar em suas carreiras, levando-os muitas vezes a ultrapassar os próprios limites mentais e físicos com o objetivo de atingir alta performance e resultados elevados.

O preço por essa busca, porém, pode ser caro, como aponta o escritor Uranio Bonoldi, especialista em carreira, negócios e tomada de decisão. Para o autor, é importante encontrar brechas para respirar e espairecer, sem se afogar no trabalho, sob o risco de até mesmo ter perdas no desempenho.

“Quando se realiza uma atividade física, como musculação, o corpo é levado à exaustão e pelo descanso ele se recompõe, se tornando mais forte e resistente. Assim também é em outras áreas da nossa vida. O descanso é fundamental para que o profissional se recomponha e se fortaleça, garantindo assim um ritmo mais consistente de trabalho”, diz.

Autor de “Decisões de Alto Impacto: como decidir com mais consciência e segurança na carreira e nos negócios”, Bonoldi considera que a administração do tempo é fundamental.

“É importante saber quando o trabalho começa e quando termina, quais dias da semana serão de descanso, em que momento fará uma pausa, além de estipular os horários para refeições, exercícios físicos, lazer e, principalmente, o sono. Respeitando essa rotina já é possível atenuar o desgaste que o trabalho pode proporcionar”, diz.

Boas noites de sono devem ser prioridade

Segundo o escritor, boas noites de sono devem ser prioridade. “Muitas atividades podem ser feitas para promover o bem-estar, como atividade física, meditação, encontros com familiares e amigos e até hobbies como desenhar, pintar, etc. O problema é que a escassez de tempo pode impedir a realização dessas atividades”. Para ele, a falta de sono pode deixar as pessoas mais ansiosas e emocionalmente sensíveis, prejudicando a execução das suas funções no trabalho. “Ninguém consegue refletir, intuir e tomar boas decisões sem estar com a mente descansada”, diz.

Bonoldi pondera que essa busca por alta performance precisa ser revista em sua raiz. “A cobrança por melhores resultados hoje vem não apenas da empresa, do mercado, mas também do próprio profissional, que se coloca nessa expectativa de ser a melhor versão de si mesmo sem reconhecer as próprias limitações. Algo que, a princípio, pode ser positivo, se torna um veneno”.

Para o especialista, é compreensível quando os profissionais precisam trabalhar excessivamente por algum período, porque têm objetivos específicos em mente, mas é preciso estipular um prazo para encerrar esse ciclo e não torná-lo uma rotina perene.

“O trabalho na nossa vida deve nos fazer bem, nos fazer crescer e trazer benefícios, e não tirar nossa saúde, nossos relacionamentos e nossa disposição”, completa.

7 dicas para buscar o equilíbrio entre trabalho e descanso

Em entrevista exclusiva para o ‘Ler Faz Bem’, o autor apresenta 7 dicas para quem quer buscar equilíbrio entre descanso e bom desempenho profissional. Confira!

1) Administrar o tempo: o ideal é trabalhar com a regra do 8x8x8, ou seja, oito horas de sono, oito horas de trabalho e oito horas para um novo aprendizado, exercício físico, estar com amigos, ir ao cinema, praticar um hobby etc. É ainda melhor quando conseguimos distinguir muito bem o que será feito em cada período. Hora de estar com a família não é hora de pensar em trabalho, assim como hora de trabalhar não é hora de se distrair com séries em plataformas de streaming. Separar o tempo para cada atividade vai nos permitir descansar melhor, trabalhar melhor e viver melhor.

2) Não permita que momentos de maior necessidade de trabalho vire rotina: é normal que em certos períodos seja necessário despender um pouco mais de tempo e de energia para alguma tarefa do trabalho, seja a organização de algum evento, o lançamento de algum produto, ou qualquer coisa que exija da gente maior empenho. Mas quando essa necessidade deixa de estar atrelada a um período específico, ou seja, passa a ser da
natureza do seu trabalho, aí se torna insustentável. Não deixe que a rotina seja continuamente exaustiva, imponha seus limites.

3) Jamais caia na armadilha do “eu não tenho tempo”: Eu mesmo tive momentos em minha vida em que acordava às 05:30h e fazia meu treino, voltava para casa, tomava café com a família, levava meus filhos ao colégio, voltava para casa, fazia barba, tomava banho e estava no trabalho às 8h da manhã. Quando se quer, é possível encontrar brechas na sua rotina que te permitam fazer coisas que te tragam bem-estar, evitando a necessidade
de estar a todo momento preocupado com os negócios. O importante é ter disposição, reconhecendo que ocupar a cabeça com outras atividades além do trabalho é algo que só vai fazer bem a você.

4) Mantenha sua mente descansada: Isso se faz com exercícios físicos e boas horas de sono. Ninguém rende bem no trabalho, tem boa intuição para tomada de decisões, ou inova se está cansado. Fazer 15 min de exercício por dia é melhor do que nada, então faça alguma coisa. Tenho um amigo que resolveu se exercitar subindo e descendo as escadas de seu prédio ao menos 3 vezes ao dia – ele mora no 10º andar. Pode parecer uma medida
extrema, mas foi o que funcionou para ele, trazendo qualidade de vida e até perda de peso.

5) Medite: A prática de meditação nem sempre é fácil, é um treino diário especialmente para pessoas que são mais ansiosas, mas traz benefícios de imenso valor. Há muitas formas de se meditar, e com pesquisas na internet é possível encontrar aquela que mais se adequa ao seu estilo de vida, contudo o principal é que você se coloque em uma posição confortável e se permita fazer silêncio, deixando o corpo relaxar, diminuindo a frequência cardíaca, com os pensamentos fluindo sem agitação. Meditar ajuda a ter leveza no sono e clareza de ideias.

6) Sempre procure aprender mais: Capacite-se, faça cursos, seminários, aprenda uma nova língua. Se manter atualizado te garante tranquilidade para enfrentar desafios. Ampliando nosso conhecimento, temos a satisfação pessoal e o bem-estar de sentir que está em constante evolução, ao mesmo tempo em que essas oportunidades nos ampliam nossa rede de contatos, não apenas aumentando nosso networking como aproximando possíveis amizades, o que é sempre bom para nossa felicidade.

7) Procure se conhecer melhor e fazer o que gosta: Assim, você fará tudo se divertindo! Com vontade, motivado e com alegria! Mesmo que haja os perrengues a serem superados no dia a dia, será possível encarar as dificuldades com mais leveza. Isso vale para a escolha do esporte e atividade física que se irá praticar, para o que você vai fazer no seu tempo livre, o que você vai comer com a família no final de semana, e claro, o tipo de trabalho que você realiza. Quanto maior a afinidade, mais fácil você executará o que tem que ser feito.

Sobre o livro

O sociólogo Ulrich Beck elaborou sobre como a sociedade contemporânea se tornou a Sociedade do Risco. Ele afirma que a sensação de onipresença do risco vem de processos de tomada de decisão realizados com base em conhecimentos passados e que o atual contexto os torna obsoletos.

O também sociólogo Manuel Castells adiciona que a sociedade conectada em rede aumenta o sentimento de incerteza. Ambos afirmam que o risco é algo que se decide correr, destacando a relevância dos processos decisórios: o indivíduo toma decisões sobre como enfrentá-lo, avaliando probabilidades.

Em Em ‘Decisões de Alto Impacto’, Uranio Bonoldi, consultor e professor, reflete questões contemporâneas, com observações de realidades individuais e organizacionais, e incorpora cruciais dilemas éticos e morais que o indivíduo, hoje, enfrenta.

Situações como a queda de um avião, um incêndio incontrolável, uma empresa poluidora ou outra que precifica vidas são examinadas como o resultado das teias de decisões com que cada ator contribuiu nesses processos. O livro é precioso para orientar suas escolhas e decisões de vida, carreira e negócios.

Sobre o autor

Uranio Bonoldi é palestrante e especialista em negócios e tomada de decisão. Atuou em grandes empresas como diretor e CEO. É autor dos thrillers da saga “A Contrapartida” e de “Decisões de alto impacto: como decidir com mais consciência e segurança na carreira e nos negócios”. Educado pelo método Waldorf, sua graduação e em seguida a pós-graduação em administração de empresas foi feita na FGV-SP.

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

1 Comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *