SOS RS: como ajudar as famílias gaúchas vítimas das chuvas

Várias campanhas e iniciativas de arrecadação de doações se espalham pelo país. Veja algumas delas e saiba como colaborar

Chuvas afetam mais de 700 mil pessoas no Estado do Rio Grande do Sul neste início de maio de 2024 (Foto: Marinha do Brasil)
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Até a noite desta segunda-feira (6/5), os temporais e inundações que castigam o Rio Grande do Sul já deixaram pelo menos 89 mortos (sendo quatro em investigação), ao menos 134 desaparecidos, 339 feridos, mais de 47 mil pessoas desabrigadas e 153 mil desalojadas na pior tragédia natural da história do estado. Ao todo, 385 dos 496 municípios gaúchos foram atingidos, afetando mais de 1,17 milhão de pessoas, de acordo com a Defesa Civil.

Diante da crise sem precedentes, o governo gaúcho reativou a conta ‘SOS Rio Grande do Sul’ para receber doações via Pix, que serão revertidas em donativos para as vítimas. As contribuições podem ser feitas pela chave PIX 92.958.800/0001-38 (CNPJ), em nome do Banrisul. Também é possível receber doações internacionais – veja aqui. A Prefeitura de Porto Alegre recebe doações pela chave PIX 92.963.560/0001-60 (CNPJ), pela Caixa Econômica Federal.

Famílias desalojadas pelas chuvas no Rio Grande do Sul recebem apoio de empresas de transporte de cargas (Foto: Divulgação)

Paralelamente, diversas campanhas de solidariedade se multiplicam pelo país, principalmente nas redes sociais, e muita gente quer ajudar, mas quer saber se sua doação vai efetivamente chegar a quem precisa. Infelizmente, há quem se aproveite de uma tragédia como esta para aplicar golpes e desviar dinheiro que deveria ser destinado aos desabrigados.

Foi o caso da Rodonaves, uma empresa de transporte de cargas do Rio Grande do Sul. A empresa informou que seu nome foi indevidamente usado para receber PIX de forma fraudulenta para as vítimas das chuvas. A empresa esclarece que não está recebendo valores financeiros para essa ação, e sim apenas doações dos itens orientados pela Defesa Civil.

Empresa de transporte usa sua sede para receber famílias desabrigadas das enchentes no RS (Foto: Divulgação)

Diante de situações como esta, a recomendação, neste momento, sempre é doar para instituições já conhecidas e respeitadas e, portanto, mais confiáveis. Muitas ações também são realizadas por instituições locais e regionais. É só escolher para qual delas quer colaborar.

Lembrando sempre que empatia não tem partido, nem ideologia. Assim, mais uma vez o povo brasileiro dá lição de solidariedade, fazendo valer a velha máxima ‘fazer o bem sem olhar a quem’.  Confira nesse roteiro especial de ‘Boas Ações’ algumas das principais iniciativas em apoio às vítimas das chuvas no RS.

MST faz novo mutirão para ajudar municípios gaúchos

Mesmo com assentamentos atingidos pelas fortes chuvas, o Movimento dos Sem Terra (MST) lançou neste sábado (4) um mutirão de arrecadação financeira para contribuir nas ações em solidariedade aos municípios gaúchos. Para doar, basta acessar a chave Pix 09352141000148 ou por meio de depósito bancário: banco: 350 / agência: 3001 / conta: 30253-8 / CNPJ: 09.352.141/0001-48 / Instituto Brasileiro de Solidariedade.

Cerca de 300 famílias do Assentamento do IRGA, onde fica a sede da Cooperativa dos Trabalhadores Assentados da Região de Porto Alegre (Cootap), em Eldorado do Sul, estão sendo resgatadas. O salvamento começou sendo feito pelos próprios assentados, agora só pode ser seguido pelo Exército e Defesa Civil.

Assentamento do MST sofre com inundações e famílias foram resgatadas (Foto: Divulgação MST)

As famílias estão sendo levadas para assentamentos na região onde a água não chegou nas casas. Com a perda da estrutura das casas, móveis, lembranças, e produção de arroz e hortas agroecológicas, onde muitos camponeses e camponesas já haviam replantado, após a enchente do final do ano passado, as famílias seguem em abrigos coletivos nesse período.

Os assentamentos de Nova Santa Rita, Viamão e Tapes também tiveram perdas nas suas produções de arroz e hortas. No Interior, como em São Gabriel, Hulha Negra, Jóia e Região Centro, a água também está cobrindo as estradas e lavouras.

Esta não é a primeira vez que o MST ajuda a famílias atingidas pelas chuvas no Rio Grande do Sul. Em setembro de 2023, durante as enchentes que assolaram a região serrana e d Vale do Rio Taquari, o movimento montou uma Cozinha Solidária em Encantado (RS) e distribuiu mais de 15 mil marmitas aos afetados pelo ciclone extratropical que atingiu a região.

Governador Eduardo Leite em visita a cozinha solidária do MST para fornecer quentinhas a desabrigados das chuvas no RS em setembro de 2023 – ajuda se repete agora em maio de 2024 (Foto: ClicRBS)

Na ocasião, o governador Eduardo Leite (PSDB) visitou a cozinha montada pelo MST para agradecer a ajuda prestada. Leite cumprimentou voluntários em atuação e agradeceu o trabalho desempenhado pela organização. O governador faz parte de uma frente partidária que costuma se colocar como oposição a iniciativas ligadas à esquerda no país, como é o caso do MST.

Em novembro de 2023, o MST também montou uma cozinha na sede da Cooperativa dos Trabalhadores Assentados da Região de Porto Alegra (Cootap), em Eldorado do Sul (RS), cerca de três mil marmitas foram distribuídas um dia depois de a prefeitura decretar situação de emergência. Na ocasião, a cheia do Rio Jacuí fez com que cerca de 5,7 mil pessoas tivessem que deixar suas casas, segundo a Defesa Civil Municipal. Outras 700 pessoas ficaram abrigadas em ginásios públicos.

Ação da Cidadania recebe doações por Pix

Chuvas afetam mais de 700 mil pessoas no Estado do Rio Grande do Sul neste início de maio de 2024 (Foto: Marinha do Brasil)

A Ação da Cidadania lançou a campanha Emergências para atender as famílias do Rio Grande do Sul. As doações podem ser realizadas por meio deste link e pelo Pix sos@acaodacidadania.org.br. Pontos de coleta de donativos funcionam nos comitês da ong em Porto Alegre – Avenida Baltazar de Oliveira Garcia 2132 área 6 sala 645 – Costa e Silva – e Canoas – Avenida Esperança 105 – Guajuviras.

Os recursos serão destinados a compras de kits de artigos de uso emergencial como colchões, cobertores, água potável, alimentos de cesta básica, artigos de cama-mesa-banho e higiene pessoal. A entrega dos kits será gerenciada pela própria entidade, em colaboração com a Força Aérea Brasileira (FAB).

“Nossas equipes já estão atuando nas regiões mais afetadas para que as doações sejam entregues de forma rápida para quem mais precisa. O cenário de hoje é o pior possível, há milhares de pessoas que perderam suas casas e estão passando frio e fome. Essa iniciativa vai nos ajudar a levar suporte imediato para quem mais precisa”, ressalta Rodrigo “Kiko” Afonso, diretor-executivo da Ação da Cidadania.

Desde 2021, quando a campanha Emergências foi lançada, a Ação da Cidadania prioriza a distribuição de doações para regiões impactadas por catástrofes e desastres naturais. A iniciativa já levou suporte a Maranhão, Tocantins, Pará, Minas Gerais, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Acre, Roraima, Alagoas e Pernambuco.

Mercado Livre doa R$ 1 milhão para as vítimas

Usuários do Mercado Pago também podem fazer doações, a partir de R$ 5, por meio do ‘Botão Doar’

A Ação da Cidadania também tem recebido apoios importantes de várias empresas. O Mercado Livre, junto com o seu banco digital Mercado Pago, anunciou a doação de R$ 1 milhão para a ONG criada por Betinho e uma das principais referências do país no combate à fome.

Usuários do Mercado Pago também podem colaborar, a partir de R$ 5. Por meio do Botão Doar – uma funcionalidade permanente dentro do aplicativo do banco digital – os usuários podem contribuir com doações de apoio à comunidade no Rio Grande do Sul. Os valores serão revertidos ao atendimento a essas famílias que estão em risco por meio da ONG Ação da Cidadania.

Instituições cadastradas, a exemplo da Ação da Cidadania, fazem parte do Programa Mercado Livre Solidário, iniciativa que oferece acesso a ferramentas e conteúdos sobre inclusão e mobilização digital para mais de 3.900 organizações na América Latina.

Saiba como ajudar:

  1. Abra o app (Google Play ou App Storedo Mercado Pago e clique em ‘Ver Mais’;
  2. Em seguida, acesse o botão ‘Doar’, selecione “SOS Chuvas RS” e clique em ‘Doar’;
  3. Escolha o valor desejado e faça sua doação.

FAB coleta doações em aeroportos; Correios e Defesa Civil também

A Força Aérea Brasileira (FAB) também anunciou uma grande mobilização para ajudar as famílias do RS. As doações podem ser entregues em bases aéreas de três aeroportos – Brasília, São Paulo (Guarulhos) e Rio de Janeiro (Galeão). Roupas, colchonetes, água potável e alimentos não perecíveis são os mais necessários. Desde o dia 29 de abril

Até domingo, a FAB levou 18 toneladas de equipamentos para ajudar na desobstrução de infraestrutura, como geradores de energia, banheiros químicos, material de apoio elétrico e hidrálico. Na sexta, foi levado um hospital de campanha. Militares também seguiram nos voos para Canoas (RS) para a montagem dos equipamentos.

Mais de 23 toneladas de doações já estão na Base Aérea de São Paulo, no Aeroporto Internacional de Guarulhos e outras 53 toneladas já estão sendo organizadas. Nesta terça, a FAB entrega 10 mil cestas básicas e 10 mil kits de higiene, Mais 8 mil toneladas de doações vão sair de Congonhas.

Nos estados brasileiros, doações também podem ser feitas em quarteis do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil e também nas agências dos Correios da Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo.

Cufa e Gol promovem campanha para ajudar famílias

Como faz tradicionalmente em tragédias como esta, a Cufa – Central Única das Favelas também está recebendo apoio da sociedade civil em sua campanha para ajudar famílias afetadas pelas fortes chuvas no Rio Grande do Sul. O objetivo é arrecadar roupas, roupas de cama e banho, itens de higiene pessoal e utensílios domésticos destinados às vítimas das chuvas que perderam suas casas ou estão em situação de vulnerabilidade.

O Instituto GOL, braço gestor de inclusão social e desenvolvimento socioeconômico da GOL Linhas Aéreas, anunciou apoio à organização. A GOLLOG, unidade de soluções logísticas da GOL, é responsável por receber as doações da Cufa e da população que quiser doar, e transportar aos aeroportos mais próximos das cidades atingidas assim que for possível.

As embalagens podem ser de papelão ou saco plástico resistente, reforçados com fitas adesivas. Caso contenham vidro, devem ser indicadas externamente com a palavra “frágil”. Em caso de líquidos, como xampu, o reforço deve ser intensificado para evitar vazamentos, e é necessário apontar a posição de carregamento (setas para cima). Não são aceitos artigos classificados como perigosos, a exemplo de aerossóis e líquidos inflamáveis. O peso limite por embalagem é de 40 kg.

Aos interessados em prestar colaboração às vítimas das chuvas no sul do País, basta levar as doações devidamente embaladas até o posto de coleta de uma unidade GOLLOG mais próxima. Veja a lista completa de endereços das lojas de coleta aqui (muitas delas funcionam nos aeroportos onde a GOL mantém operações).

Agência de viagem – A operadora de turismo CVC está disponibilizando as mais de mil lojas em todo o Brasil para coleta de doações. Após arrecadação, a distribuição será feita por meio de uma parceria com a Azul, Gol Jamef Logística e Latam. Interessados em participar podem realizar a entrega de itens nas lojas da operadora  de segunda (6) até domingo (12). Os itens aceitos são roupas, calçados, lençóis, cobertores e toalhas.

Rio se mobiliza para ajudar as vítimas e enviar doações

Em uma ação humanitária emergencial, o RioSolidario, obra social do Governo do Estado do Rio de Janeiro, está unindo parceiros para uma força-tarefa de ajuda ao Rio Grande do Sul. A instituição também está mobilizando a solidariedade de todos para contribuição via PIX – CNPJ 00517666000111.

Além disso, uma força-tarefa do Corpo de Bombeiros Militar do Rio (CBMERJ) está apoiando, desde a madrugada de sexta-feira (3), as ações de busca e salvamento de vítimas dos temporais que atingem a região, provocando alagamentos, deslizamentos e mais de 60 mortes. Mais de 50 pessoas já foram resgatadas com vida, no Rio Grande do Sul.

A delegação inclui profissionais da área da Saúde, especialistas em salvamento em desastres, com atuação em soterramentos, desabamentos e enxurradas, entre outros. Até a noite deste sábado (4/5), 29 pessoas haviam sido resgatadas pelos militares, na região de Bento Gonçalves, após deslizamentos de terra que fecharam a ponte sobre o Rio das Antas e provocaram pelo menos cinco mortes.

Neste domingo (5), o Governo do Rio de Janeiro enviou uma equipe com 10 agentes do Serviço Aeropolicial da Coordenadoria de Recursos Especiais (Saer/Core), da Secretaria de Estado de Polícia Civil, para o Rio Grande do Sul, com o objetivo de auxiliar as ações de busca e resgate por vítimas das chuvas que atingem a região.

O helicóptero AW169 opera por instrumentos inclusive à noite, tem capacidade para transportar oito passageiros e dois pilotos. Entre as especialidades da equipe estão o resgate em catástrofes naturais e salvamento em altura e locais de difícil acesso.  Está previsto, ainda, o envio de uma equipe multidisciplinar da perícia técnico-científica para ajudar no serviço de identificação das vítimas.

SP lança campanha para arrecadar doações

Governo quer arrecadar água potável e materiais de higiene; insumos podem ser entregues no depósito do Fundo Social da capital

O Fundo Social de São Paulo (FUSSP) e a Defesa Civil do Estado iniciam neste domingo (5) a uma campanha humanitária em benefício das vítimas das recentes chuvas no Estado do Rio Grande do Sul. A ação do Governo de SP tem como objetivo arrecadar água potável, itens de higiene e limpeza para fornecer assistência às comunidades afetadas.
As doações devem ser entregues no depósito do Fundo Social, localizado na Avenida Marechal Mário Guedes, 301, no bairro do Jaguaré na Capital. O local estará aberto a partir das 8h deste domingo para receber as doações. Durante a semana, as doações poderão ser entregues das 8h às 17h no mesmo local.
O transporte dos insumos para o Rio Grande do Sul será feito pelas companhias aéreas Gol e Azul que se voluntariaram para enviar as doações por meio aéreo, devido aos diversos bloqueios nas estradas.

“É recomendado que as pessoas evitem deslocar-se até o Estado do Rio Grande do Sul para realizar suas doações. Concentrar o envio de materiais através do Fundo Social evitará sobrecarregar as vias de acesso e escoamento do Estado, bem como a infraestrutura local”, informa a Defesa Civil.

Os produtos devem ser entregues com o lacre original para garantir a integridade e segurança durante o transporte e distribuição. Isso evita contaminação, vazamentos ou danos que possam comprometer a utilidade dos itens, assegurando que cheguem em boas condições às comunidades necessitadas. Além disso, a entrega lacrada facilita o controle de qualidade e permite uma distribuição mais organizada e eficiente dos recursos disponíveis.

A equipe da Defesa Civil de São Paulo que se encontra no Rio Grande do Sul está apoiando com a montagem de um centro logístico humanitário na cidade de Estrela, região de Lajeado. De lá, eles coordenarão em conjunto com as autoridades gaúchas quais as regiões prioritárias para o envio das doações.

DPU inicia campanha de arrecadação para vítimas das enchentes

A instituição mantém pontos de coleta em Bagé, Pelotas, Santa Maria, Rio Grande, Uruguaiana e Porto Alegre

A Defensoria Pública da União (DPU) iniciou uma campanha de arrecadação para auxiliar as vítimas das chuvas do Rio Grande do Sul e de outras áreas da região sul do país.

As unidades da DPU em Bagé, Pelotas, Santa Maria, Rio Grande, Uruguaiana e Porto Alegre estão recebendo doações de itens essenciais, como alimentos, água mineral, cobertores, colchões, roupas, itens de higiene e limpeza.

A DPU disponibilizou pontos de coleta de donativos nos seguintes endereços:

DPU/Bagé: Rua Professora Melanie Granier, n° 48, Centro
Horário de funcionamento: Das 8h às 19h, de segunda a sexta-feira.

DPU/Pelotas: Rua Marcílio Dias, 3005 – Centro
Horário de funcionamento da Unidade: Das 8h às 18h30, de segunda-feira a sexta-feira.

DPU/Santa Maria: Alameda Montevideo, 313, 3º andar, bairro Nossa Sra. das Dores
Horário de funcionamento: 8h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Início da coleta: segunda-feira (6/5/2024).

DPU/Rio Grande: Rua Conde de Porto Alegre, nº 384 – sala 201
Horário de funcionamento: 8h às 18h de segunda a sexta-feira.

DPU/Uruguaiana: Rua Santana, nº 2288, Centro
Horário de funcionamento: 8h às 18h de segunda a sexta-feira.

DPU/Porto Alegre: Av. Augusto de Carvalho, 1133 – Cidade Baixa (esquina com Av. Loureiro da Silva, no prédio do SERPRO)
Horário de funcionamento da DPU: Das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Início da coleta: segunda-feira (13/05/2024).

Além da campanha de doações, a DPU oferece outras orientações aos afetados pelas chuvas, por meio do e-mail enchenteregiaosul@dpu.def.br. A Defensoria também anunciou a criação de uma comissão especial dedicada a acompanhar as ações emergenciais e prestar assistência à população afetada pelos temporais. O objetivo é monitorar de perto as necessidades das vítimas e dos municípios, buscando soluções efetivas para minimizar os impactos da calamidade e oferecer suporte jurídico e humanitário às comunidades afetadas. Leia aqui a portaria.

Artistas reforçam pedidos: humorista já arrecadou R$ 3 milhões

O DJ Alok, por meio do perfil oficial no Instagram, lamentou a tragédia; descreveu como “o maior desastre climático já registrado” e pediu a contribuição dos internautas. “Qualquer valor pode salvar uma vida”, destacou. O artista divulgou campanhas da ONG Ação da Cidadania, Central Única das Favelas (CUFA) e Razões para Acreditar.

O humorista Whindersson Nunes (foto) entrou de cabeça na campanha pelas vítimas atingidas pela chuva e conseguiu arrecadar mais de R$ 3 milhões em doações. Em seu perfil no X, antigo Twitter, o humorista disse que irá distribuir cestas básicas no local a partir de segunda (6), com a ajuda de um helicóptero.

Na noite do último sábado (4), Whindersson Nunes marcou o perfil do Vasco no X pedindo o Estádio São Januário emprestado para fazer um show beneficente para as vítimas do desastre. “Podia me emprestar São Januário né não @VascodaGama?? Eu faço um show e a gente manda a grana para o pessoal no Sul, eu pago a estrutura e você me empresta o estádio, bó?”

A resposta do clube carioca foi imediata e causou boa repercussão entre os torcedores do clube carioca. “Vambora! Boa ideia. Conte conosco”, escreveu o clube em sua rede social. O cantor Dilsinho também respondeu a publicação do humorista, colocando-se à disposição para ajudar.

Já o jogador de futebol Neymar postou mensagem se solidarizando com as vítimas, mas não esboçou qualquer ato de ajuda financeira. “Longe do Brasil, acompanhando tudo o que está acontecendo no Sul do país. Uma tragédia. Falando com algumas pessoas, confiando nas autoridades e orando para que tudo volte ao normal o mais rápido possível”, escreveu o atacante.

Nas redes sociais, Neymar sofreu críticas de internautas e diversos perfis. “Neymar doa milhões a um estuprador e nada às vítimas das enchentes no RS”, postou o site Diário do Centro do Mundo, ao citar a suposta doação para pagar a fiança pela liberdade do jogador Daniel Alves, preso por estupro na Espanha.

Sindicato dos Jornalistas faz campanha para desabrigados

Acostumados à cobertura de tragédias, jornalistas gaúchos agora estão no papel de vítimas. Para apoiar famílias de jornalistas atingidas pelas inundações dos últimos dias, o Sindicato dos Jornalistas do Estado do Estado do Rio Grande do Sul (Sindijor-RS) lançou uma campanha nas redes sociais. A ação SOS Jornalistas solicita doações pelo Pix secretaria@jornalistasrs.org ou por depósito bancário na Caixa – agência 0428 / conta corrente 150176.5 – operação 003.

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) lançou uma nota de solidariedade à população do estado e também pediu doações ao SOS Rio Grande do Sul, do Governo do Estado, pela chave pix (CNPJ): 92.958.800/0001-38 – Banrisul, além de reconhecer o trabalho de cobertura da imprensa.

“A Fenaj se une ao clamor de todo o país em apoio às vítimas e às inúmeras famílias que enfrentam perdas e desafios inimagináveis. Aos profissionais do Jornalismo envolvidos na cobertura da enchente, aos servidores públicos, voluntários e a todos que atuam nas ações para mitigar os danos e socorrer as vítimas, a Fenaj expressa seu reconhecimento e gratidão”.

 

outras ações locais de solidariedade

Sindicato de cargas lança a campanha ‘Carreta Solidária’

Em meio à crise desencadeada pelas fortes chuvas e enchentes que assolam o Rio Grande do Sul, as empresas do segmento de transporte rodoviário de cargas e logística dão uma demonstração de empatia e solidariedade, estendendo apoio aos necessitados em todo o estado.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística no Rio Grande do Sul (SETCERGS) lançou a campanha “SOS Rio Grande do Sul – Carreta Solidária”, em resposta às enchentes. O desafio mais recente tem sido a coordenação de doações que chegam de outros estados, como Goiás e São Paulo, para o Rio Grande do Sul.

No primeiro momento, foram solicitadas doações de alimentos não perecíveis, agasalhos, produtos de higiene e limpeza. As entregas começaram na quinta-feira (2/5), tendo como ponto central a Sede do SETCERGS, localizada na Avenida São Pedro, 1420, bairro São Geraldo, Porto Alegre (RS).

Por meio do Núcleo de Ação Social (NAS) e ComJovem Porto Alegre, o sindicato está atuando de forma contínua nas atividades de apoio às famílias desabrigadas. Com foco nas regiões das ilhas, na região metropolitana e no Vale do Taquari, o SETCERGS tem se mobilizado para arrecadar donativos e produzir refeições para os desabrigados.
No último sábado, o grupo distribuiu cachorro-quente e preparou mais de 200 marmitas, entregues no bairro Novo Mundo, próximo à Freeway, em Gravataí. Além disso, três carros carregados de alimentos foram encaminhados para a Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Gravataí, onde os desabrigados estão sendo acolhidos.
No domingo (5), parte das doações foi destinada ao CTG Laço da Amizade em Gravataí. Voluntários trabalharam incansavelmente na preparação de centenas de refeições na sede do SETCERGS, que foram encaminhadas para o centro de acolhimento na FAPA. As ações estão sendo realizadas com apoio da Transpocred.

Empresa de transporte foi vítima de tentativa de golpe

Preparação de alimentos para desabrigados (Fotos: Marcelo Matusiak)
Preparação de alimentos para desabrigados (Fotos: Marcelo Matusiak)

 

Desde o início da crise, diversas empresas associadas ao Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística no Rio Grande do Sul (SETCERGS) têm se mobilizado para auxiliar as comunidades afetadas, destinando recursos e logística para ajudar aqueles que mais precisam. As ações humanitárias são promovidas em diferentes frentes.

A Cooperlíquidos disponibilizou um caminhão para transporte de água potável e outros donativos essenciais. Já a TRANSVR dedicou caminhões para o transporte exclusivo de água potável levando até comunidades carentes. A Modular disponibilizou a sede da empresa em Canoas, que está servindo como abrigo para famílias desabrigadas. Já a Prata Vera Transportes mobilizou equipes para preparar lanches distribuídos à comunidade de Muçum.

A Tomasi Logística tem atuado desde os primeiros momentos da tragédia. A empresa cedeu uma caminhonete para a Defesa Civil, e seis caminhões foram mobilizados para auxiliar na remoção dos pertences das famílias afetadas nas regiões mais atingidas de Estrela. O depósito da empresa em Estrela (RS) também foi designado como ponto de coleta para doações.

A Cincos Transportes / Rodonaves disponibilizou caminhões para o transporte de oxigênio, fundamental para o funcionamento de hospitais e centros médicos, e está recebendo doações em mais de 300 pontos distribuídos pelo Brasil. “O ponto lamentável é que mesmo diante do cenário de tristeza, a empresa Rodonaves foi vítima de tentativas de golpe”, informou o sindicato.

Marca de biscoitos doa 21 toneladas de alimentos

A Isabela, marca de massas e biscoitos da M. Dias Branco, informa que disponibilizou entrega emergencial de 21 toneladas de alimentos para os desabrigados pelas enchentes do Rio Grande do Sul. Os produtos começarão a ser entregues assim que houver condições de retirada no Centro de Distribuição da marca instalado em Nova Santa Rita, na região metropolitana de Porto Alegre, cujo acesso rodoviário, neste momento, está comprometido.

A companhia iniciou campanha de arrecadação entre colaboradores e parceiros e indica as entidades abaixo para os que quiserem contribuir:

A companhia, que possui uma planta industrial em Bento Gonçalves, está mapeando os funcionários que tiveram suas moradias afetadas e oferecerá, também emergencialmente, apoio financeiro, cesta de alimentos e atendimento psicológico.

De acordo com a M. Dias Branco, a planta de Bento Gonçalves (fábrica e moinho de trigo) e o Centro de Distribuição não foram danificados pelas fortes chuvas, mas o acesso às instalações é difícil.

Associação Médica do RS recebe doações

A Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS) estará com uma operação especial neste final de semana (dias 4 e 5), das 9h às 18h, para receber doações destinadas à população atingida pelas cheias no estado.
Localizada na Av. Ipiranga, 5311, em Porto Alegre, a AMRIGS é um ponto de arrecadação para aqueles que desejam contribuir com as famílias atingidas pelas enchentes.
Os donativos, que incluem desde produtos de higiene e limpeza até roupas de cama, mesa e banho, estão sendo recebidos na sede da entidade e serão posteriormente encaminhados à Defesa Civil para distribuição.
Confira a lista completa de itens:
Artigos gerais:
– Água
– Copos plásticos
– Jogo de cama
– Lençóis de solteiro e fronhas
– Toalhas
– Produtos de higiene
– Produtos de limpeza
– Rações para cães e gatos
– Roupas
Para crianças/idosos:
* Absorventes
* Escova de dente
– Fraldas infantis (todos os tamanhos)
– Fraldas geriátricas
– Lenços umedecidos
– Pomadas para assaduras
– ⁠Mamadeiras
– Roupas para bebês e crianças

Comunitas lança ‘Reconstrua RS’

A OnG Comunitas criou um fundo de apoio à reconstrução do Rio Grande do Sul após a forte chuva que atingiu o Estado. O “Reconstrua RS” será modelado por meio de uma gestão compartilhada, comitês de atuação e execução privada e com ações prioritárias, entre elas a reorganização das escolas para o retorno das aulas.

Doações para ações de reestruturação são realizadas na chave Pix – CNPJ 03.983.242/0001-30 ou pelo Banco do Brasil – 001 – Agência 1195-9 – Conta Corrente 600.650-7. Doações para ações emergenciais podem ser feitas pelo pix – 92.958.800/0001-38 (CNPJ). Para mais informações, reestruturars@comunitas.org.br

Rede de Bancos de Alimentos do RS

Para ajudar, não é preciso sair de casa. Basta contribuir via pix, depósito bancário ou via site oficial Doe Alimentos, da Rede de Bancos de Alimentos do RS. PIX: CNPJ – 04.580.781/0001-91 / Conta corrente: Banco Santander / Agência: 1001 / Conta: 13.000.284-4

Associação do Ministério Público do RS

A Associação do Ministério Público do Rio Grande do Sul (AMP/RS) está reunindo forças para comprar mantimentos para as vítimas – Chave pix: 87027595000157 (CNPJ) / Banco: Sicredi

Com Assessorias (atualizado em 05/05/24, às 17h)

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!