Guia do folião: dicas para aproveitar o Carnaval sem perder a saúde

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

carnaval2

Seja nos blocos de rua, nos desfiles de escola de samba ou mesmo nos bailes em lugares fechados como clubes e casas noturnas. Para cada evento neste Carnaval, existem alguns cuidados específicos e também os que devem ser tomados em qualquer ocasião. “É importante entender o limite do corpo de cada um, o que inclui preparo físico e noções de suscetibilidade do organismo’, diretor médico e cardiologista do Hospital Santa Paula,  Otávio Gebara. Segundo ele, dormir bem, fazer uma alimentação balanceada e se hidratar são cuidados fundamentais para aguentar todos os dias de folia

Desidratação, intoxicação alimentar, ardência na pele e até infecção urinária são comuns durante o Carnaval. Segundo a nutricionista Andrea Santa Rosa Garcia, o carnaval é tempo de prestar atenção na alimentação, tomar precauções para que a diversão comece, evolua e termine bem, minimizando a possibilidade de problemas. “A água deve ser indispensável nesse período, principalmente se o dia estiver ensolarado, para não correr risco de desidratação”, ressalta. “Nos dias dos desfiles ou blocos, o ideal é que a pessoa esteja sempre com uma garrafinha do lado se hidratando”, indica a nutricionista.

Com a rotina alterada por causa da folia, por exemplo, é comum o aumento do consumo de alimentos com corantes, gordura e açúcar, principalmente em lanchinhos e guloseimas na praia, no clube etc. Segundo a nutricionista funcional Flávia Cyfer, é nessa hora que pode acontecer a intoxicação do organismo, comprometendo o metabolismo. “O importante é não deixar de priorizar a ingestão de líquidos e o consumo de alimentos leves e crus de preferência”, explica.

Para quem ficou o dia inteiro pulando de um bloco para outro e está sofrendo com ardência, devido ao calor intenso, segundo Julio Nogueira, especialista em Medicina Estética do W Spa, a dica é tomar um banho frio, porém com um sabonete ideal para acalmar a pele após longos períodos exposta ao sol. Dê preferência aos sabonetes com formulação hidratante, pois além de limpar, os cosméticos ainda são capazes de refrescar o corpo. Eles vão ajudar a tonificar e revigorar a derme queimada, deixando-a saudável e revigorada. O mais importante é passá-lo em movimentos circulares e suaves para não descamar a pele já prejudicada pelo sol. Como solução caseira para quem abusou do sol, indico o chafé de camomila, que é um chá de camomila bem concentrado que deve ser aplicado gelado sobre a pele para acalmar e hidratar,melhorando bastante a ardência e vermelhidão.

Veja uma lista de cuidados especiais para não “atravessar na Avenida” no quesito saúde:

Para qualquer evento:

– Evite a ingestão de alimentos pesados, que dificultem a digestão. Dê preferência para as frutas e verduras;

– Hidrate-se de duas em duas horas: o recomendado é ingerir no mínimo dois litros de água por dia (exceto pacientes com restrições médicas);

– Beba moderadamente: o consumo excessivo de álcool ou a mistura de destilados com fermentados pode acabar com a festa e causar ressaca no dia seguinte;

– Em casos extremos, é possível desenvolver pancreatite em apenas um dia de muito excesso por causar um edema que impede a drenagem do pâncreas;

– Sempre tenha em mãos barrinhas de cereais para garantir a alimentação de duas em duas horas;

– Cuidado com o calor excessivo: em dias muito quentes a tendência é a pressão arterial cair, o que pode ocasionar enjoo, tontura e desmaios. Para evitar a queda de pressão é preciso manter o corpo hidratado, alimentar-se adequadamente, vestir roupas leves e evitar ambientes pouco ventilados;

– Beijo na boca: normalmente trocamos em torno de 250 bactérias e alguns vírus quando beijamos alguém. Portanto, é preciso ter cautela para prevenir doenças como a mononucleose, conhecida como “doença do beijo”. Trata-se de uma doença viral com sintomas parecidos com os da gripe: febre alta, dor ao engolir, tosse, cansaço, falta de apetite, dor de cabeça, entre outros;

– Doenças sexualmente transmissíveis: todo ano o Ministério da Saúde faz uma campanha sobre a importância do uso da camisinha neste período. A camisinha é item fundamental do folião consciente.

Na Avenida

– Salto alto: ficar em pé por muitas horas sambando de salto alto pode ocasionar dor nas pernas e na planta dos pés, câimbras, inchaço nos pés, joanete, calos, problemas nas unhas, entre outros. Para evitar esses problemas, procure usar um salto com a base e o bico mais largo, assim os dedos não ficam apertados. Já para o dia seguinte, o médico aconselha ficar com as pernas esticadas;

– Algumas fantasias dificultam a ida ao banheiro. Como muitos foliões ficam horas preparados para entrar na avenida, a dica é ir ao banheiro antes de se vestir. Evite reter urina por longos períodos, porque, além do desconforto, favorecem as infecções urinárias e formações de cálculos;

– Durma bem: no dia seguinte procure dormir pelo menos oito horas para reequilibrar o organismo.

Nos blocos de rua

– Proteja sua pele: o excesso de exposição ao sol é a principal causa do câncer de pele, o mais comum no país. Por este motivo, o protetor solar deve fazer parte da rotina do folião, retocando a cada duas horas, assim como o uso de chapéus e camisetas.

– Utilize calçados confortáveis: o ideal é usar tênis para proteger os pés e ter mais flexibilidade nos movimentos. Esse tipo de calçado amortece o impacto e é mais confortável, afinal, você ficará em pé a maior parte do tempo;

– Para evitar insolação, hidrate-se pelo menos de duas em duas horas, use filtro solar e prefira as roupas com tecidos leves (evite tecidos do tipo sintético) e use chapéus ou bonés para uma maior sensação de conforto;

– Álcool gel: como não é possível lavar as mãos em banheiros químicos, a chance de contaminação aumenta. Os contágios mais frequentes são de E.coli – que faz parte da flora natural do corpo, porém, quando há um desequilíbrio, causa náusea, vômito e diarreia; e o vírus VHA, da Hepatite A. Para se prevenir, tenha um álcool gel para higienização das mãos sempre que for ao banheiro.

Fonte:  Cardiologista do Hospital Santa Paula,  Otávio Gebara 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!