A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a solidão uma epidemia global em novembro de 2023, evidenciando a dificuldade que as pessoas têm em se conectar umas com as outras. Entrar no mundo do namoro online pode ser um antídoto eficaz contra a solidão.

A tecnologia é, sem dúvida, uma excelente aliada contra a solidão: 7 em cada 10 (77%) usuários da plataforma Bumble indicaram que a consideram uma facilitadora para conhecer novas pessoas. Quase metade (44%) dos usuários revelaram sentir-se menos solitários em comparação com cinco anos atrás. Além disso, 4 em cada 10 (35%) usuários afirmaram que conhecer alguém no app ajudou a aliviar o sentimento de solidão. Na mesma pesquisa, 48% dos entrevistados no Brasil relataram que conhecer alguém pelo aplicativo aumentou sua felicidade.

Com a proximidade do Dia dos Namorados, os aplicativos de namoro se tornam um grande aliado na busca pelo parceiro perfeito, com a intenção de não passar o dia sozinho. Porém, nem tudo é perfeito. Atualmente, o medo, a desconfiança e a insegurança assombram muitos usuários desses apps, fazendo com que deixem de utilizar as plataformas e de ter experiências que poderiam ser enriquecedoras.

E não é de hoje que a internet e os aplicativos de relacionamento se tornaram ferramentas populares para facilitar a comunicação e a paquera virtual. Agora, esses recursos ganham mais força com uso da inteligência artificial. 

Muitas pessoas utilizam essas tecnologias para encontrar novos parceiros e desenrolar conversas atraentes. No entanto, essas mesmas plataformas oferecem oportunidades para golpistas, que podem causar danos emocionais e prejuízos financeiros significativos.

Pesquisas globais do Bumble Inc. revelam que os entrevistados citaram perfis falsos e o risco de golpes como suas principais preocupações ao utilizar aplicativos de namoro online, além disso, 46% das mulheres pesquisadas expressaram ansiedade sobre a autenticidade de suas conexões online em aplicativos de namoro.

Entenda o que é o golpe do amor

Chris Roeckl, diretor de produto da Appdome, alerta sobre o uso de VPN e GPS falsos, muito usados por golpistas no famoso “golpe do amor”. “Usuários maliciosos podem manipular mecanismos que falsificam a localização de seus dispositivos móveis para enganar quem busca um relacionamento, principalmente em aplicativos que prometem encontros com estrangeiros onde golpistas modificam a conformidade geográfica para fingir ser alguém do exterior que está em busca de um amor no Brasil.”

O uso de identidade falsa, incluindo métodos como localização, imagens ou informações falsificadas, para atrair pessoas e envolvê-las emocionalmente, é o que define o chamado Golpe do Amor.  Segundo informações disponíveis no site da Receita Federal, o que acontece é que, em um suposto relacionamento à distância, o golpista exige valores ou pagamentos da vítima para liberar encomendas enviados ao Brasil, como presentes endereçados ao amado, porém, após o pagamento, o fraudador bloqueia o contato ou desaparece, deixando prejuízos não só financeiros, mas também emocionais.

Roeckl explica que o uso de aplicativos móveis como meio para realizar golpes é comum, não só em aplicativos de namoro, mas também no nicho de apostas, jogos, compras online e principalmente bancos também são vítimas frequentes dos cibercriminosos.

Métodos de engenharia social, ou seja, a manipulação psicológica de pessoas para a execução de ações ou divulgação de informações confidenciais, ganham muito mais força. Cabe às marcas e desenvolvedores encontrarem soluções e ferramentas que sejam capazes de proteger os usuários de ataques maliciosos, garantindo que o mundo virtual seja mais seguro e confiável para todos”, conclui o especialista.

O combate a esse tipo de fraude já existe. A ferramenta da Appdome, por exemplo, inclui algoritmos sofisticados que identificam e bloqueiam sinais GPS falsos, protegendo contra modificação ou acesso não autorizado aos dados GPS. No entanto, ela precisa ser adotada por marcas de aplicativos que pretendam prevenir atividades fraudulentas que possam explorar e abusar de funções baseadas em localização para atacar os usuários.

Como reconhecer os sinais de alerta

A maioria dos golpes nos aplicativos de relacionamento carrega os mesmos sinais de alerta.  Por isso, é essencial estar atento a perfis criados recentemente ou que contenham poucas informações, além de usuários sem foto de perfil ou que façam muitas perguntas para obter informações confidenciais, como endereço e dados pessoais.

Evite compartilhar informações pessoais ou profissionais e desconfie ainda de pessoas que evitam marcar encontros presenciais ou chamadas de vídeo. Fotos de perfil que parecem ser de outra pessoa, ‘photoshopada’ que apresentem elementos suspeitos, como recortes ou sombras irregulares, também merecem atenção”, alerta Helder Ferrão, gerente de marketing para as Indústrias da Akamai na América Latina.

Mesmo com todos esses cuidados, criminosos conseguem atrair vítimas para golpes de roubo, extorsão, fraudes ou sequestro. “Os aplicativos de namoro oferecem oportunidades para conhecer novas pessoas, mas também abrem portas para diversos tipos de golpes. É crucial que os usuários estejam atentos a sinais de alerta, porque é por meio da conscientização e da adoção de medidas de segurança que é possível evitar prejuízos emocionais e financeiros”, completa Helder.

Os 5 tipos de golpes mais comuns em aplicativos de namoro

Para evitar ser a próxima vítima de um cibercriminoso, confira 5 tipos de golpes comuns em aplicativos de namoro segundo o especialista da Akami, Helder Ferrão:

Golpe do link falso

Popular na internet, o golpe do link falso – também chamado de phishing – consiste em enganar alguém para clicar em uma mensagem ou site que, ao final, busca roubar informações como senhas e números de cartões de crédito. Para aplicar esse golpe, nem é preciso iniciar uma conversa, pois os golpistas podem obter números de celular a partir da descrição do perfil do usuário.

O phishing é comum nessas plataformas, uma vez que os criminosos exploram a confiança e a vulnerabilidade das pessoas em busca de conexões emocionais. Proteger ao máximo suas informações pessoais deve ser uma prioridade ao interagir online. Indicar sua profissão ou compartilhar fotos com artigos de luxo no perfil pode ser um chamariz para golpes”, aponta Helder.

Golpe do LoveGPT

O LoveGPT é uma ferramenta baseada no modelo de linguagem Chat GPT, criada para facilitar a criação de perfis falsos e a coleta de informações pessoais em aplicativos de relacionamento. Ela permite a criação de descrições de usuários e conversas realistas, facilitando a atuação de criminosos, além de armazenar dados em 13 aplicativos diferentes, como Tinder, Bumble e Badoo.

O software consegue gerenciar números de celular e endereços de e-mail para contornar verificações de identidade, criando múltiplas contas falsas. Ele também pode identificar interesses dos usuários, enviar curtidas, interagir com perfis, extrair fotos e baixar conteúdo HTML. Adaptando-se ao estilo de cada aplicativo, o LoveGPT simula flertes de forma eficaz e convincente.

Golpe do sequestro 

De acordo com dados da Divisão Antissequestro de São Paulo, 96% dos sequestros realizados na cidade em 2023 ocorreram por meio de aplicativos de namoro, tornando São Paulo a capital brasileira com o maior número desse tipo de ocorrência. O golpe funciona da seguinte maneira: a vítima é atraída para um encontro pessoal e levada a um cativeiro, onde permanece por dois ou três dias até transferir todo seu dinheiro. Com o PIX, o esquema de ligar para um parente e exigir resgate se tornou desnecessário, facilitando a aplicação desse golpe.

É comum que um grupo esteja por trás do sequestro, e temos notícias de casos incluindo mulheres reais que conquistaram a confiança das vítimas por meio de fotos, chamadas de vídeo ou encontros presenciais. Só quando o encontro acontece e outros membros da quadrilha aparecem com o suposto parceiro, a vítima percebe que foi enganada”, explica Helder.

Golpe do marido traído

Neste golpe, criminosos se passam por mulheres e, após algumas interações, enviam mensagens fingindo ser maridos traídos ou amigos dos maridos, exigindo quantias em dinheiro. O golpe também inclui ameaças de agressão ou até mesmo de morte, feitas por mensagem ou chamada de vídeo.

No mês passado, uma operação policial identificou grupos em Brasília (DF), Recife (PE), Itabaiana (SE) e Campinas (SP). Segundo a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), 22 mandados de busca e apreensão foram cumpridos e, entre os golpistas, estavam homens que já cumpriam pena.

Golpe da criptomoeda

O golpe chamado CryptoRom combina romance e investimentos fraudulentos em criptomoedas. Criminosos atraem vítimas para relacionamentos amorosos e as convencem a investir em falsas plataformas de criptomoedas. Eles também coagem as vítimas dizendo que suas contas foram invadidas e pedem mais dinheiro.

A Sophos, empresa britância de software e hardware de segurança, divulgou no ano passado uma descoberta que mostrou que golpistas conseguiram infiltrar sete novos aplicativos falsos de investimento nas lojas oficiais da Apple e Google Play, ampliando o número de vítimas. Nos EUA, é comum que os fraudadores exijam uma taxa de 20% sobre os fundos antes de permitir saques, com relatos de vítimas sendo enganadas repetidamente com novas demandas de pagamento.

Tomar medidas de prevenção individuais se tornou essencial para quem busca novos relacionamentos por meio de aplicativos e sites de namoro. Ferrão ainda destaca a importância de escolher plataformas mais seguras para fazer essas conexões.

Os aplicativos são responsáveis por garantir a segurança de seus usuários, e temos visto grandes nomes desse mercado utilizando a própria IA para melhorar seus sistemas de verificação e identificação de perfis falsos, além de oferecer recursos tradicionais para denunciar e bloquear usuários suspeitos que infrinjam as diretrizes da comunidade”, diz Helder.

Segundo ele, é importante que os usuários mantenham as conversas em plataformas seguras e fiquem atentos a perfis que insistem em levar a conversa para aplicativos mais vulneráveis, além de sempre desconfiar quando pedem dinheiro, acesso a contas pessoas ou até mesmo quando receber links suspeitos.

Leia mais

8 conselhos para não cair nos ‘golpes do amor’ em aplicativos
Não era amor, era cilada: 4 entre 10 mulheres são vítimas de golpe
Curso gratuito orienta mulheres 50+ a se protegerem de ‘golpes do amor’

‘Dedo podre’: como se proteger de relacionamentos abusivos e golpes em aplicativos

Amor eterno, promessas românticas e viagens dos sonhos podem simplesmente caracterizar um golpe de fundo amoroso. Saiba como evitar

No universo amoroso, há expressões que ganham popularidade. Entre elas, a expressão “dedo podre” é frequentemente utilizada para descrever a tendência de algumas pessoas em fazer escolhas ruins em relacionamentos.  Victor Quintiere, professor de Direito Penal do Centro Universitário de Brasília (CEUB) alerta quanto às relações abusivas e golpes emocionais que vitimizam centenas de pessoas em busca de um relacionamento sério.

Relacionamentos abusivos são uma realidade preocupante, em que o poder e o controle são exercidos de forma desigual, causando danos emocionais e físicos às vítimas. De acordo com especialistas, a falta de discernimento na escolha de parceiros pode levar a uma vulnerabilidade maior, abrindo espaço para relacionamentos prejudiciais e perigosos, principalmente em mulheres.

Para evitar evitar esse tipo de situação, Victor Quintiere destaca que antes de iniciar um relacionamento, é importante buscar informações sobre o possível parceiro, tanto por meio de buscas em sistemas informatizados, quanto pela educação relacionada às legislação existente no país. “Conhecer as leis, em especial a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006), no caso das mulheres, pode auxiliá-las a entender seus direitos e a se protegerem contra violência psicológica, física, financeira e emocional nos relacionamentos abusivos”, ressalta.

Em caso de violência doméstica a partir de relacionamentos abusivos, Quintiere orienta as mulheres a denunciarem tais crimes nas delegacias de proteção à mulher em seus respectivos estados. Segundo o jurista do CEUB, estas delegacias são responsáveis por apurar esse tipo de delits e, caso sejam identificados indícios suficientes de autoria e materialidade, encaminham um relatório ao Ministério Público, que poderá oferecer denúncia contra a pessoa que praticou a violência ou as ameaças no contexto de uma relação amorosa.

Estelionato de fundo amoroso: cuidados e enquadramento legal

Com o avanço da tecnologia e o surgimento de aplicativos de relacionamento, também surgiram os golpes emocionais. Nestes casos, indivíduos se aproveitam da vulnerabilidade emocional de outras pessoas, conquistando sua confiança para obter vantagens financeiras ou causar danos psicológicos. Esses golpes mostram a importância de estar alerta e conhecer os riscos envolvidos nas interações virtuais.

O professor esclarece que o termo “estelionato amoroso” deve ser restrito a situações em que o autor se aproxima da vítima utilizando meios virtuais e explorando uma eventual vulnerabilidade emocional, conquistando sua confiança e, em seguida, exigindo presentes ou favores financeiros. “É importante diferenciar o estelionato com fundo amoroso do conceito banalizado de estelionato sentimental”, classifica.

Quintiere acrescenta que o estelionato com fundo amoroso ocorre quando o criminoso utiliza estratégias de persuasão amorosa para se aproximar da vítima e obter vantagens ilícitas no âmbito patrimonial. “Além do repasse de dinheiro, os golpistas podem almejar a contemplação em testamentos, transferência de bens e até mesmo a simulação de contratos, tudo com o intuito de obter vantagem econômica ilícita”, completa.

Para as vítimas de golpes em apps de relacionamento, o professor de Direito Penal recomenda procurar imediatamente as autoridades competentes para que os delitos sejam apurados. Segundo ele, é cabível ainda o pedido judicial de indenização por danos morais sofridos. Quintiere reitera que a melhor maneira de combater tais práticas é conhecer os seus direitos: “O conhecimento e a informação são poderosas ferramentas para prevenir e lidar com essas situações. Denuncie relacionamentos abusivos e atenção aos golpes de aplicativo”.

Confira dicas para prevenir golpes em apps de relacionamento

• Verifique a existência da pessoa com quem se está se comunicando, realizando pesquisas na internet;
• Não forneça dados pessoais, como CPF, informações bancárias, detalhes sobre veículos ou imóveis, especialmente nos primeiros contatos;
• Observe como se dão as primeiras comunicações, ficando atenta ao chamado “bombing”, em que o golpista envia mensagens em excesso para conquistar a confiança rapidamente;
• Desconfie de pessoas estrangeiras que prometem enviar presentes do exterior e, posteriormente, solicitam pagamento de taxas;
• Marque encontros em locais públicos com movimento e segurança, como shopping centers, evitando fornecer o endereço residencial;
• Comunique-se com amigos próximos ou familiares sobre o encontro e, se possível, manter contato durante o encontro por meio de aplicativos de conversação.

5 dicas para mulheres 50+ se protegerem de golpes em apps

Criadora do perfil  Bruxas do Match utiliza seu conhecimento em Perícia Criminal para favorecer a segurança e autoconfiança das mulheres no universo digital

Com o aumento dos golpes em aplicativos de relacionamento, a segurança das mulheres tornou-se uma preocupação crescente. De acordo com uma pesquisa realizada em 2022 pela PSafe, foi constatado que um em cada quatro brasileiros que se envolveram com outras pessoas online já foi vítima de um perfil falso. Dos participantes entrevistados, 34,38% afirmaram ter se relacionado com alguém que conheceram na internet, e desses, 24,59% relataram ter sido enganados por fraudadores.

O estudo abrangeu 10.755 pessoas entrevistadas entre fevereiro e março e as estimativas foram baseadas no número de usuários do sistema Android no país, que totalizavam 131,1 milhões em 2022, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além disso, a pesquisa revelou que 25,5% das vítimas sofreram perdas financeiras como resultado desses relacionamentos falsos.

Diante deste cenário, o Bruxas do Match – perfil nas redes sociais voltado a prevenção de golpes em aplicativos de relacionamentos para mulheres 50+ – visa fornecer suporte e orientação às mulheres interessadas em ingressar e utilizar os apps com segurança. Maria Helena, fundadora do Bruxas do Match, compartilhou dicas essenciais para as mulheres evitarem golpes, baseadas em sua experiência pessoal e conhecimento adquirido em Perícia Criminal:

  1. Levar a conversa para o WhatsApp: ao estabelecer uma conexão com alguém em um aplicativo de relacionamento, é recomendado migrar a conversa para o WhatsApp ou outra plataforma de mensagens mais segura. Isso proporciona maior privacidade e controle sobre suas informações pessoais.
  2. Não incluir fotos de familiares no perfil: evitar compartilhar fotos de familiares ou informações que possam identificar sua localização ou rotina. É importante preservar a privacidade e reduzir a exposição a possíveis golpistas.
  3. Fazer videochamada antes de ir ao encontro: antes de marcar um encontro presencial, é aconselhável realizar uma videochamada para conhecer melhor a pessoa. Isso ajuda a verificar a identidade e a autenticidade do perfil, minimizando o risco de enganos.
  4. Informar alguém sobre o encontro: sempre avisar um amigo ou familiar sobre o encontro, fornecendo informações como o local, horário e a localização do encontro. Essa medida adiciona uma camada extra de segurança, garantindo que alguém esteja ciente do encontro.
  5. Sempre se encontrar em um local público: no primeiro encontro, é recomendado escolher um local público, com pessoas e movimento. Isso cria um ambiente seguro e proporciona a oportunidade de interagir com outras pessoas ao redor, caso necessário.

Deu match!

Maria Helena ressaltou a importância de estar consciente sobre o uso correto desses aplicativos, destacando que a confiança e a segurança devem ser prioridades. “As mulheres têm o poder de aproveitar os benefícios dessas tecnologias, desde que tomem precauções adequadas”, reforça.

Maria Helena acredita que todas as mulheres solteiras têm o direito de viver experiências maravilhosas e se conectar com pessoas legais, ao estarem preparadas e informadas.

Eu quero ensinar as mulheres a entrar nesse mundo de aplicativos de relacionamentos e fazer com que elas aprendam a observar onde pode haver manipulação e golpes”, explica Maria Helena.

As ideias compartilhadas pela autora integraram o curso “Deu Match”, realizado no Dia dos Namorados (12), em formato online. O encontro ofereceu às participantes um aprofundamento nessas dicas e forneceu ferramentas adicionais para identificar e evitar golpes em aplicativos de relacionamento. Outras informações nos perfis @bruxasdomatch no Instagram e Facebook ou pelo e-mail suporte@bruxasdomatch.com.br.

Com Assessorias

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *