FAMÍLIALER FAZ BEM

Mãe fala em livro sobre filho jovem levado pela violência

Ao contrário do que se diz, a dor do parto não é a maior na vida de uma mãe, mas a da partida de um filho, qualquer que seja a circunstância. E não foi diferente para a jornalista Alessandra do Valle, ainda em processo de luto por ter perdido um filho em setembro de 2021, em uma tentativa de assalto.

“Começar a pensar sobre o livro foi uma forma de me conectar com suas lembranças sem me afundar na tristeza da saudade, um processo com o qual entendi que retomar minha vida deixando aos poucos o luto não significa me afastar do meu eterno captain”, apelido dado por ela a Lucas do Valle.

Emocionada, Alessandra conta tudo o que passou e sua nova luta por uma legislação mais rígida e por todas as mães que passaram pela mesma situação e não têm a mesma oportunidade de apoio que ela teve.

“Uma mãe nunca está preparada para perder um filho, é algo inimaginável até que aconteça. É como se algo estivesse errado no tempo de Deus, da ordem natural das coisas. Nem com o cenário caótico de violência que vivemos, sempre temos a falsa certeza que será possível proteger nossas crias debaixo de nossas asas, dando a nossa vida pela delas se necessário. Por isso, o luto de uma mãe é tão dolorido e difícil”, conta Alessandra para expressar o que sente.

Lucas completaria 30 anos no dia de seu enterro

A tragédia foi anunciada nas redes sociais pela própria mãe. Ao estacionar o carro para trabalhar, no Ipiranga, Lucas foi abordado por dois assaltantes e baleado na cabeça no dia 15 de setembro, por volta das 6h30, e ficou em coma por dois dias até ser identificada a sua morte cerebral. Ele foi enterrado no sábado, dia 18 de setembro, exatamente quando completaria 30 anos.

“Quando comecei a conseguir a organizar minhas memórias, a recuperá-las sem tanta dor, comecei a entender muitos sinais. Por exemplo, em nossa última viagem juntos, eu sentia no meu coração, sem entender muito bem, que aquela era uma viagem de despedida”, conta.

Quem teve a ideia do passeio em Porto de Galinhas foi Lucas. Ele queria um tempo sozinho com Alessandra: “Mãe, vamos ter esse momento egoísta”, disse. Ele também tinha outros objetivos com sua proposta: “”Eu quero que você me leve para percorrer os caminhos do meu avô Gol”.

E são memórias como essa e o seu processo de aceitação até hoje que serão costurados no conteúdo do livro. “O objetivo é resgatar momentos de alegria e não de tristeza. Quero dedicar a Lucas um trabalho feliz, assim como eu tenho a certeza que foi a passagem dele”, destaca.

Alessandra do Valle e Caroline Dias de Freitas, na sede da DISRUPTalks (Foto: Divulgação)

Sobre a autora

Alessandra do Valle é jornalista, apresentadora, coach business, mãe de cinco meninos e, agora, escritora. Apaixonada por esporte e por televisão, tem retomado aos poucos a sua carreira.

Este é o primeiro livro lançado pela publisher Caroline Dias de Freitas, da DISRUPTalks, acostumada a receber celebridades e ouvir histórias divertidas de bastidores da fama. Ela destaca a importância do livro de Alessandra e como é diferente de tudo que já publicou anteriormente.

“Quando conheci Alessandra, sua vontade de publicar o livro e seu propósito nobre de apoiar outras mães nessa mesma situação além de chamar a atenção para o problema da violência, eu já senti em meu coração que gostaria de estar ao lado dela. A DISRUPTalks também nasceu para unir o entretenimento da leitura ao desenvolvimento pessoal e à promoção do bem-estar”, conclui Caroline.

Com assessoria da DISRUPTalks

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *