Só 11 dos 92 municípios do RJ têm instituições públicas para idosos

Acolhimento a pessoas idosas em situação de rua e acesso a serviços de saúde nas ILPIs são debatidas em audiência pública na Alerj

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Apenas 11 dos 92 municípios do Estado do Rio de Janeiro contam com Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) públicas, enquanto há um grande número de pessoas idosas em situação de rua. O Governo do Estado do Rio dispõe de somente um ILPI – o Abrigo do Cristo Redentor, que recebe prioritariamente idosos vítimas de violência encaminhados pelo Ministério Público ou Defensoria Pública, não tem vagas. Para debater a necessidade do aumento dessas instituições públicas, foi realizada Comissão de Assuntos da Criança, do Adolescente e do Idoso, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), se reuniu em audiência pública nesta terça-feira (24/10).

De acordo com a Frente Nacional de Fortalecimento das ILPIs, as instituições foram criadas com a finalidade de mudar o conceito dos antigos asilos, substituindo não só a nomenclatura, mas também o serviço prestado nas instituições, sendo um programa único e de referência na América Latina. Na ILPI, cada idoso é atendido a partir do seu próprio grau de dependência com um cronograma específico de atividades focado na melhoria de vida e acolhimento.

Durante o encontro, a promotora Cristiane Branquinho, coordenadora do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça e Proteção ao Idoso do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), ressaltou a dificuldade de abrigar os idosos e que é necessária uma parceria com a Secretaria Estadual de Saúde para que as ILPIS tenham acesso à saúde pública de forma mais abrangente.

“A gente verifica a grande dificuldade de abrigar os idosos que necessitam de auxílio por ter um número pequeno de instituições públicas no Estado. É necessário buscar junto com a Secretaria de Saúde ações que possam melhorar o trabalho das secretarias municipais de saúde para que elas fomentem a interlocução entre as ILPIS do município com as estratégias da saúde da família. Essa interlocução fará com que as ILPIS tenham acesso à saúde pública não apenas para a vacinação e sim para o atendimento de atenção secundária e terciária.”, afirmou a promotora.

Leia mais

Residencial senior ou instituição de longa permanência?
Mais de 65 mil denúncias de violação a direitos dos idosos em 2023
‘Raiz da violência contra idosos é o etarismo’, aponta especialista

Volta Redonda ganhará centro para 140 idosos

O deputado Munir Neto (PSD), presidente da Comissão, afirmou que o colegiado irá cobrar do governo estadual a melhoria dessa política pública para a população da Terceira Idade.

“Essa audiência foi muito importante para tratarmos sobre as ILPIs do estado. Vamos levar todas as sugestões da reunião para os gestores municipais e para o governador Cláudio Castro, para que a gente melhore a realidade e o atendimento às pessoas idosas,” pontuou.

O parlamentar aproveitou a ocasião para anunciar a construção de uma nova instituição pública no bairro Roma, no município de Volta Redonda, que será implementada numa parceria da prefeitura local e o Governo do Estado.

O Centro Integrado de Atendimento à Pessoa Idosa Munira Arbéx Francisco vai atender a 140 idosos e contará com diversos serviços como centro de reabilitação e fisioterapia, refeitório, sala de atividades, entre outros.

Estiveram também presentes na reunião Christina Abdala, integrante da Fundação Cuidadosa e da Frente Nacional de Fortalecimento das ILPIs; e Edmilson Martins de Moraes, cardiologista e geriatra, interventor da Casa dos Pobres de Itaperuna.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!