Não é não: por um Carnaval mais seguro para as mulheres

Conheça as campanhas promovidas nos blocos de rua e na Avenida para combater o assédio sexual contra as mulheres e outros tipos de violência

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

O Rio de Janeiro é um dos lugares mais perigosos para as mulheres. Mata-se uma mulher a cada três dias, como apontam as estatísticas do Dossiê Mulher, do Instituto de Segurança Pública (ISP). Em 2022, foram 111 feminicídios (quando o assassinato é cometido só pelo fato de a vítima ser mulher). A cada hora, 14 mulheres sofrem algum tipo de violência no estado, principalmente violência sexual e psicológica. Em 2022, foram 125 mil mulheres vítimas de violência.

Mas não é no Carnaval, quando nós, mulheres, saímos para curtir e aproveitar a folia, que seremos vítimas, mais uma vez. Pelo menos se depender das campanhas de conscientização promovidas pela Prefeitura do Rio e pelo Governo do Estado, que vêm com força total durante os festejos deste ano. Confira abaixo as principais iniciativas, antes mesmo de começar oficialmente a folia na cidade do Rio de Janeiro.

Campanha ‘Ouviu um Não? Respeite a decisão’

Além de saciar a sede dos foliões e mantê-los hidratados, os aguadeiros da Cedae estão levando, nas bombonas de água, o slogan da campanha “Ouviu Não? Respeite a decisão”, da Secretaria de Estado da Mulher (SEM-RJ). A ideia é reforçar o enfrentamento à violência contra a mulher, com mensagem clara e objetiva contra casos de assédio e importunação nos blocos de carnaval. A novidade será encontrada desfilando nas ruas até o dia 18 de fevereiro e já foi testada e aprovada no último fim de semana nos megablocos puxados pelos cantores Léo Santana e Lexa.

As bombonas trazem estampado o QR code do Rede Mulher, aplicativo que pode ser baixado gratuitamente no celular. A ferramenta oferece orientações para a segurança das mulheres, incluindo o botão de emergência que liga a vítima diretamente à Central 190, da Polícia Militar. Enquanto o atendente conduz a mulher para um lugar seguro, o app indica para a Central a localização exata de quem está pedindo socorro.

“O objetivo dessa parceria é levar uma mensagem bem clara e objetiva às mulheres e aos foliões em geral: Qualquer coisa depois do ‘não’, é assédio. É preciso respeitar o corpo da mulher, que pode se vestir como ela quiser e estar onde ela quiser”, disse a secretária de Estado da Mulher, Heloisa Aguiar.

A campanha se transformou em um programa de governo e deu origem a um protocolo, criado em 2023, com orientações e treinamentos, com o objetivo de garantir mais segurança às mulheres em grandes eventos. A ativação do protocolo, em parceria com os produtores de grandes eventos no RJ, inclui uma série de recomendações, como iluminação adequada em estacionamentos e banheiros, divulgação de canais de ajuda para mulheres em situação de emergência e outras orientações sobre como os seguranças devem abordar e agir em casos de agressões e importunações. O protocolo também indica apresentar à vítima o App Rede Mulher.

No fim de semana, a ação com aguadeiros da Cedae estará concentrada, no sábado (3/2), com os foliões do Bloco Simpatia é quase Amor, em Ipanema. Já no domingo (4/2), é a vez do Bloco da Favorita, que fará uma homenagem ao Bloco da Preta, no Centro do Rio. Os postos de hidratação da Cedae serão montados em pontos estratégicos ao longo do circuito dos blocos.

No último fim de semana, 70 aguadeiros usaram 100 bombonas com capacidade de 11 litros cada, além de dois caminhões pipas, cada um com 10 mil litros de água. Uma equipe de apoio, formada por três químicos e técnicos do laboratório de controle de qualidade da água, além de 10 técnicos de operação, acompanhou em tempo real a ação.

Campanha ‘Carnaval + Seguro para as Mulheres’

Com o objetivo de aumentar a conscientização sobre a violência contra a mulher durante o período do Carnaval, oferecendo suporte e informação à população, a Secretaria Municipal de Políticas e Promoção da Mulher e realiza a campanha ‘Carnaval + Seguro para as Mulheres’. Nos blocos de rua, o órgão mantém equipes distribuindo materiais personalizados como leques, adesivos e tatuagens temporárias com o intuito de conscientizar a população.

Os banheiros em locais de grande concentração de foliões serão adesivados com um QRCode do site Rio + Seguro para as Mulheres, que contém informações sobre como e onde buscar ajuda em casos de violência. O material é oferecido em português, inglês, espanhol e francês. Traduzido também para inglês, francês e espanhol – que é para os gringos não terem dúvidas sobre o respeito às mulheres brasileiras e, sobretudo, cariocas – o site informativo traz as diversas formas de violência de gênero e foi desenvolvido em parceria com a Organização Internacional das Migrações (OIM) da ONU.

“O carnaval é a maior festa da nossa cultura e precisa ser também uma época em que todas as mulheres se sintam seguras. Estaremos na Sapucaí reforçando a nossa missão de assegurar que as mulheres tenham sua dignidade garantida e conscientizando a população sobre o combate à violência. Sempre é tempo de enfatizar que depois do não, é assédio. Queremos promover um carnaval com respeito e acolhimento para todas”, afirma a secretária da Mulher, Joyce Trindade.

A iniciativa começou no Réveillon de 2022, e pelo segundo ano consecutivo acontece em um dos maiores eventos culturais do Brasil. O órgão também vai instalar um posto de atendimento durante o Carnaval das ruas Marquês de Sapucaí, no Centro, e Intendente Magalhães, em Madureira, onde ocorrem os desfiles oficiais das escolas de samba do Rio, funcionando em horários estendidos, para acolher mulheres em situação de violência, além de ter os banheiros da Avenida adesivados com o material da campanha.

Lavagem da Sapucaí recebe 200 mulheres

A Secretaria de Políticas e Promoção da Mulher irá participar da tradicional cerimônia de lavagem da pista da Marquês de Sapucaí, neste sábado (3/2), reta final dos ensaios técnicos. O desfile terá a presença de mais de 200 mulheres, que frequentam os equipamentos da Secretaria da Mulher, e irão desfilar pela avenida carregando as faixas “Carnaval + Seguro para as mulheres”, “Respeita as minas” e “Depois do não, é assédio”.

Antes do desfile, as mulheres irão se reunir no Circo Crescer e Viver para participar da capacitação do programa Stand Up, plataforma da L’Oréal Paris de treinamento contra o assédio nas ruas. Também irão realizar uma oficina de customização de camisas e abadás. A ação faz parte da campanha Carnaval + Seguro para as mulheres, que tem como objetivo conscientizar a população sobre o combate ao assédio e reafirma o compromisso em garantir a segurança das mulheres.

Stand Up foi desenvolvido junto com a ONG Right To Be, que já impactou mais de 1,5 milhão de pessoas no mundo. A metodologia de intervenção se provou eficaz quando aplicada em universidades americanas, diminuindo em 17% os casos de violência sexual no local. O programa oferece um método baseado em 5 Ds – distrair, delegar, documentar, direcionar e dialogar – que auxilia homens e mulheres a intervir com segurança diante dessa situação. No Brasil, a ONG Cruzando Histórias é responsável pelos treinamentos.

Empoderadas leva ação a estações do Metrô

Nesta quarta-feira (31/01), o MetrôRio e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, por meio do programa Empoderadas, promovem uma ação no sistema metroviário para orientar as mulheres no período de Carnaval. A iniciativa ocorre das 8 às 12h e das 14h30 às 17h30, nos vagões femininos e plataformas, no trecho entre as estações Central do Brasil/Centro e Carioca/Centro.

A ação faz parte da campanha de combate ao assédio e tem como objetivo a prevenção e o enfrentamento à violência em locais de alta circulação, como nos transportes e nos blocos carnavalescos. As equipes darão informações sobre o projeto e telefones para denúncia, além de oferecer orientações sobre violência contra mulheres. Clientes do metrô poderão tirar dúvidas sobre como denunciar casos de agressão física, ameaças ou de abuso psicológico, moral, patrimonial, físico ou sexual.

Com Assessorias

 

O Hospital Municipal Rocha Faria, em Campo Grande, realiza na segunda-feira (5/2), das 10h às 15h, campanha de doação de sangue no Espaço Cegonha, no primeiro andar da unidade. O objetivo é reforçar os estoques do Hemorio no Carnaval, período marcado pela temporada de viagens e mais movimento nas estradas, consequentemente a procura pela doação é reduzida e os acidentes podem aumentar. O Hemorio fornece hemoderivados para mais de 200 hospitais da rede pública do Rio de Janeiro, principalmente para emergências.

Doar sangue é seguro e salva vidas. Depois da coleta, os componentes sanguíneos são separados e quatro pessoas podem ser beneficiadas. E, 24h após a doação, o organismo do doador começa a recompor algumas substâncias que foram retiradas, de forma que a coleta de sangue seguinte pode ser feita após oito semanas para homens e 12 para mulheres, pois o sangue já estará com os componentes reconstituídos.

Para ser um doador de sangue é necessário apresentar documento oficial de identidade com foto; ter entre 16 e 69 anos (menores de 18 devem estar com autorização do responsável); estar bem de saúde e pesar mais de 50 kg. Não precisa estar de jejum. Mas é recomendado que a pessoa não tenha ingerido comida gordurosa nas últimas quatro horas. Outro fator importante é estar descansado. E em 30 dias o voluntário pode pegar o resultado dos exames laboratoriais feitos com uma pequena amostra sanguínea retirada da doação.

Pessoas que fizeram tatuagem ou colocaram piercings devem aguardar seis meses para fazer a doação. Quem teve covid-19 recentemente precisa aguardar dez dias após a recuperação.

Serviço

Doação de sangue no Hospital Municipal Rocha Faria
Data: segunda-feira, 5 de fevereiro
Hora: das 10h às 15h
Local: Espaço Cegonha, 1º andar da unidade
Endereço: Avenida Cesário de Melo, nº 3215 – Campo Grande

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!