Atriz com síndrome de Down representa Brasil na ONU

Tathi Piancastelli participa de evento global em Nova York pela segunda vez: ‘Somos capazes de fazer o que quisermos’

Tathi Piancastelli representa o Brasil em evento da ONU para celebrar o Dia Internacional da Síndrome de Down (Fotos: Cris Ulla / Divulgação)
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Tathi Piancastelli inspirou Mauricio de Souza a incluir uma personagem com síndrome de Down na Turma da Mônica. Ela também foi a primeira pessoa do mundo com T21 (Trissomia do Cromossomo 21) a escrever e protagonizar uma peça de teatro profissional apresentada em Nova York. Agora, a atriz, escritora, palestrante, digital influencer e ativista volta à cidade para representar o Brasil, pela segunda vez, em uma importante reunião da Organização das Nações Unidas (ONU).

Coordenadora de ativismo do Instituto MetaSocial – que usa o slogan ‘Ser Diferente é Normal’ – e integrante do grupo de autodefensores da Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down (FBASD), Tathi foi novamente escolhida para representar o Brasil no encontro global da ONU que discutirá ações e políticas importantes voltadas para conscientizar a sociedade para acabar com a invisibilidade e estimular a inclusão, neste Dia Internacional da Síndrome de Down (21 de março).

“O meu trabalho sempre tem o objetivo de mostrar que nós somos capazes de fazer o que quisermos, como qualquer outra pessoa. Defendo e vivo isso, trabalho, sou empresária, morei sozinha, me casei, levo uma vida como todo mundo, como eu sempre sonhei. É uma grande conquista!”, reforça Tathi.

Para ela, é necessária uma transformação por meio da conscientização, fazendo com que a sociedade e o governo ofereçam oportunidades que atendam as necessidades e respeitem as características das pessoas com síndrome de Down, garantindo a elas o direito de conviver, estudar e trabalhar como qualquer outra pessoa. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 300 mil pessoas têm a síndrome no país.

Leia mais

Atriz, escritora, empresária, palestrante e… com síndrome de Down
Síndrome de Down: preconceito e discriminação, os piores inimigos
Contra abuso sexual, mãe de menina com Down cria cartilha
Síndrome de Down: estímulos devem começar desde cedo

 

Tathi inspirou personagem da Turma da Mônica

Tathiana Piancastelli Heiderich, de 39 anos, se tornou mundialmente conhecida depois que Mauricio de Souza, da Turma da Mônica, criou uma personagem com síndrome de Down, em homenagem a ela, em 2008, omitindo apenas a letra “h”.

Tati, a personagem, protagonizou a revista especial deste mesmo ano chamada Viva as Diferenças, onde apresentava algumas características da síndrome. Após esta edição, Tati passou a participar da turma.

Maurício de Sousa criou ainda um projeto em parceria com a ONG Mulher Brasil, chamado Donas da Rua da História com o objetivo de trabalhar o empoderamento feminino. Tathi fez parte do projeto e da exposição apresentada no Conjunto Nacional, em São Paulo.

Tathi Piancastelli é um exemplo de que a inclusão de forma efetiva, incluindo  a pessoa com síndrome de Down nas atividades sociais, revela talentos que, antes, ficariam escondidos em casa.

Com apoio da família, ela iniciou sua carreira nas artes cênicas em Campinas (SP), atuando em várias peças, entre elas o musical Grease. Percebendo seu talento, a família a incentivou a seguir em frente.

Ao se mudar para os EUA, Tathi se encantou com a Broadway e decidiu escrever sua própria peça. Não só escreveu, como atuou como personagem principal em ‘Menina dos Meus Olhos’.

A peça conta a história da adolescente Bela, que busca o amor e a aceitação social. Tornou-se, assim, a primeira autora com síndrome de Down a escrever e atuar numa peça. E ainda ganhou o Brazilian International Press Award 2016, na categoria Melhor Teatro/Espetáculo nos EUA.

Atualmente, a atriz apresenta a peça “Oi, Eu Estou Aqui!” (Hi, I Am Here!), um monólogo de 45 minutos, escrito e atuado por ela, onde retrata a sua busca por independência e autonomia, passando por uma jornada que concretiza os seus desejos de morar sozinha, se casar e ter um diploma.

Campanha para que Google crie doodle comemorativo

Em 2012, Tathi também representou o Brasil ao discursar na sede das Nações Unidas em Nova York, durante a primeira celebração oficial da data. Como ativista, ela usa suas redes sociais para disseminar informações e dar visibilidade à causa da pessoa com Down.

Tathi sabe utilizar muito bem o seu poder de fala para se comunicar com mais de 365 mil seguidores, com quem ela compartilha o dia a dia do seu trabalho como ativista. Parceira de grandes marcas no Brasil e atenta às oportunidades que a tecnologia proporciona, Tathi agora quer conquistar a parceria do Google.

Desde 2018 a influenciadora sugere à empresa a criação de um doodle comemorativo, uma versão especial da ilustração do Google, que aparece na página inicial do buscador. Seu objetivo é unir os esforços do seu trabalho com a empresa global para que, juntos, possam fazer com que o mundo inteiro pare e olhe para o tema.

“A informação é o melhor caminho para vencer o preconceito”, diz ela. Em suas redes sociais, Tathi publicou um exemplo do que poderia ser o doodle no buscador do Google (veja aqui). A gigante global ainda não respondeu sobre suas sugestões. Por enquanto…

Com Assessoria

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!