Vacina contra a dengue: chegou a vez dos adolescentes de 12 no Rio

Menos de 15% das crianças e adolescentes foram vacinados nas cidades que receberam imunizante. No Rio, mais de 37 mil doses foram aplicadas

Juliana, de 11 anos, recebeu a dose da vacina no Dia D de combate à dengue (Foto: Edu Kapps / SMS-Rio)
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Das 1.235.119 vacinas contra a dengue distribuídas a municípios selecionados pelo Ministério da Saúde, apenas 182.204 foram aplicadas em crianças e adolescentes que fazem parte do público-alvo definido pela pasta. A quantidade de doses aplicadas equivale a 14,75% do total distribuído. Os dados foram coletados desde o início da vacinação, em 9 de fevereiro, até o último sábado (2).

Ao todo, 521 municípios foram selecionados pelo governo federal para receber as vacinas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). As cidades compõem um total de 37 regiões de saúde que, segundo o ministério, são consideradas endêmicas para dengue.

No município do Rio de Janeiro, que está em epidemia de dengue desde o início de fevereiro, a vacinação atingiu até o momento somente 37.669 das 354 mil crianças e adolescentes que a Secretaria Municipal de Saúde do Rio (SMS) pretende imunizar na cidade.

A partir desta segunda-feira (4), a vacinação contra a dengue está disponível também para adolescentes de 12 anos – até sábado, só podiam receber as doses crianças e adolescentes de 10 e 11 anos.  O imunizante continuará sendo ofertado para estas faixas etárias. As demais idades serão anunciadas nos próximos dias.

Onde os pais podem vacinar os filhos no Rio?

A vacina está disponível em todas as 238 unidades de Atenção Primária do município. Além do Super Centro Carioca de Vacinação, em Botafogo, que funciona todos os dias, das 8h às 22h; e o Super Centro Carioca de Vacinação, unidade Campo Grande, localizado no ParkShoppingCampoGrande, que também funciona todos os dias, de acordo com o horário de funcionamento do centro comercial.

Para receber a vacina, o menor de idade deve estar acompanhado de um responsável e apresentar carteira de identidade ou certidão de nascimento. O esquema vacinal é de duas doses, com um intervalo de três meses entre elas. A faixa etária da campanha foi selecionada pelo Ministério da Saúde por apresentar maior risco de hospitalização pela doença.

Leia mais

Vacinação contra a dengue também vai a escolas
Com alta de casos de gripe, vacinação anual é antecipada
Vacina BCG é ineficaz em adultos, diz estudo da Fiocruz

Quem já teve dengue também deve se vacinar

A expectativa é vacinar todas as 354 mil crianças e adolescentes dessa faixa etária residentes da cidade do Rio, inclusive aquelas que já tiveram dengue.

As exceções são gestantes, lactantes, pessoas com imunodeficiência congênita ou adquirida — como terapias imunossupressoras, infecção por HIV sintomática ou evidência de função imunológica comprometida — e pessoas com hipersensibilidade aos componentes da vacina.

Quem teve quadro recente de dengue deve aguardar seis meses desde o início dos sintomas para receber o imunizante, e quem tem sintomas da doença (como febre e dor no corpo) deve buscar atendimento médico e avaliar a possibilidade da vacinação.

A SMS reforça que a vacina contra a dengue é segura e eficaz e foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A campanha faz parte do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do governo federal, sendo o Brasil o primeiro país do mundo a incorporar o imunizante à rede pública de saúde.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!