AGENDA POSITIVAFAMÍLIA

Uma lista de emoções: mãe e filha emocionam em teatro no Rio

Por Waleria de Carvalho*

Talvez existam muitas donas Lauritas por aí que querem se encontrar na vida, apesar da aposentadoria após 35 anos como professora do Estado, de ser trocada por outra mulher e fingir que o marido morreu e de ter um relacionamento conturbado com a filha.

Vamos combinar, será mesmo que existe uma família perfeita? Claro que não. Isso é bobagem que a propaganda botou em nosso caminho para comprarmos cada vez mais margarina com sal ou sem sal, como preferirem.

A verdade é que uma vida salgada ou apimentada pode ser mais interessante do que uma existência morna, regada a solidão. Ao longo do tempo vamos nos adequando as situações.. E foi assim que todo o mundo enfrentou a pandemia e suas consequências.

Deste jeito, dona Laurita e Amanda, vizinhas de prédio, se encontraram. Amanda fazia compras para ela, que não podia nem botar o pé no corredor e as duas acabaram por fazer laços de amizade.

Lilia Cabral e a filha Giulia Bertolli na peça ‘A Lista’, em curtíssima temporada no Teatro Riachuelo (Foto: Cristina Granato)

Artistas nos salvaram da loucura durante isolamento social

Durante quase dois anos, o mundo viveu um sofrimento quase interminável. Graças à cultura e aos nossos artistas que fizeram inúmeras lives, palestras, encontros virtuais que não enlouquecemos de vez no período de isolamento social.

E foi durante esse período que a atriz Lilia Cabral e a filha Giulia Bertolli nos brindaram com a peça ‘A Lista’, que saiu das telas do computador e ganhou os palcos. O espetáculo fala de amor, vizinhos, amizade, entrega, tristeza, velhice, chatice e solidão. Aborda, de forma comovente, as alegrias e agruras de se morar sozinha em Copacabana, um dos lugares onde o mundo quer passar férias.

A atriz Lilia Cabral brinca com as palavras e arranca muitas risadas da plateia, que não se cansa de elogiar a performance dela e de sua filha, Giulia. As duas vêm batendo bola desde 2020, antes de forma virtual, e agora presencialmente.

Waleria de Carvalho, jornalista e crítica de teatro, após a peça ‘A Lista’, que recomenda (Foto: Uanderson Fernandes)

“No virtual a peça tinha em torno de 50 minutos, mas vi que daria para fazer mais e estreamos no palco também’’, disse Lilia Cabral, que, apesar dos muitos anos de profissão, ainda se emociona no palco.

O texto de Gustavo Pinheiro encanta a todos e é de uma leveza ímpar assim como a direção de Guilherme Piva, os cenários de JC Serroni e a iluminação de Wagner Antônio. Sem dúvida, uma excelente diversão que também nos faz refletir sobre a vida.

Mas se apresse. A peça encerra neste fim de semana a sua curtíssima temporada no Rio de Janeiro, a última deste ano. O espetáculo pode ser visto neste sábado (28/10), às 19h, e amanhã (29/10), às 17h, no Teatro Riachuelo, na Cinelândia. Vale conferir!!

*Waléria de Carvalho é jornalista no Rio de Janeiro e mantém uma coluna de Teatro no site Sopa Cultural.

Leia mais

Orgulho autista: peça de teatro retrata TEA sem romantização
‘Mãe arrependida’: quem nunca? A maternidade real na vida e no palco
Quem disse que mulheres não falam sobre sexo?
Da adolescência à adultez: os desafios enfrentados pelas mães

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *