Rio de Janeiro ganha Centro de Reabilitação Pós-Covid

Referência no tratamento da Covid-19 pelo SUS, Hospital Ronaldo Gazolla será especializado em atender pessoas com sequelas da doença

Hospital Raul Gazolla, no Rio, é adaptado para receber pacientes em tratamento de sequelas da Covid (Foto: Rodrigo Leão / SMS-Rio)
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Um dos maiores centros especializados no tratamento da Covid-19 pelo Sistema Único de Saúde no país, o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla (HMRG), em Acari, Zona Norte do Rio de Janeiro, vai agora virar um centro de reabilitação para pacientes que apresentam sequelas pós-infecção pelo coronavírus. Maior referência para internação de pacientes com covid-19 na pandemia, não só na cidade do Rio de Janeiro, mas em todo o estado, o HMRG passa a contar com um espaço de 2.400 metros quadrados com especialidades dedicadas ao tratamento de sequelas físicas, mentais e até emocionais impostas pela doença.

O centro de reabilitação pós-covid-19 do Hospital Ronaldo Gazolla contará com áreas especializadas em neurologia, cardiologia, endocrinologia, pneumologia, psiquiatria, psicologia, fisioterapia, fonoaudiologia, nefrologia, entre outras. Um ginásio dedicado à fisioterapia atenderá pacientes com dificuldades de locomoção e terá capacidade de atender até 1.500 pessoas por mês. O centro de imagens do hospital, que foi ampliado, vai auxiliar no diagnóstico preciso de complicações decorrentes da doença e auxiliar na reabilitação e na recuperação da qualidade de vida, da saúde e da autoestima dos pacientes.

No auge da pandemia, o HMRG foi ampliado e se tornou, em 2021, o hospital com o maior CTI da América Latina, na ocasião, exclusivamente voltado à internação de pacientes com covid-19. São 420 leitos, sendo 280 CTIs e 140 de Clínica Médica. Agora, com o centro de reabilitação, a unidade oferecerá tratamento direcionado a pessoas que sofrem com diversos transtornos após contrair o vírus, algumas após longo período de internação em estado grave. Entre os quadros mais comuns apresentados por esses pacientes estão problemas respiratórios, circulatórios, musculares, neurológicos, fadiga crônica e até sintomas de depressão e ansiedade.

Para o o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, a criação do centro de reabilitação aqui no Ronaldo Gazolla é muito significativa porque representa a etapa final de um trabalho de dedicação e excelência da unidade para salvar vidas.

“Infelizmente, houve muitas mortes nessa pandemia, pois a covid-19 é uma doença grave e cruel, mas cada um dos profissionais desse hospital se dedicou ao máximo para cuidar dos pacientes e acolher as famílias nesse momento de sofrimento. Agora é a hora de ajudar os pacientes que sofrem com as sequelas a superarem essas dificuldades impostas pela doença, e tenho certeza de que a dedicação e a excelência dos profissionais serão as mesmas”, completou.

Obras custaram R$ 5 milhões e são doadas pela iniciativa privada

A abertura do centro de reabilitação é fruto de uma parceria da Secretaria Municipal de Saúde com o Movimento União BR e com apoio da Fiocruz. A entidade articulou e captou com empresas e instituições R$ 5 milhões. Com o valor arrecado foi possível realizar as obras para a readequação da área do hospital, revitalizar os elevadores, comprar insumos e equipamentos de saúde, TVs, sistema de ar condicionado, não só para as áreas assistenciais, mas também para o auditório.

O trabalho foi realizado com a gestão operacional do Instituto da Criança, uma das instituições parceiras do Movimento União BR. Já a Fiocruz, por meio do Programa Unidos contra a Covid-19, também angariou recursos ao lado de parceiros e contribuiu para a idealização e concretização do novo espaço.

“Essa entrega realizada hoje demonstra a força da sociedade civil para gerar resultados em prol de todos. O Movimento União BR e seus parceiros estão muito honrados em apoiar este projeto tão grandioso, resultado da nossa campanha do Pacote do Bem, iniciado em 2021″, disse a fundadora do Movimento União BR, Tatiana Monteiro de Barros.

Regulação de leitos no Rio promete ser mais ágil

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS-Rio) está iniciando esta semana as atividades do Núcleo Avançado de Regulação, para ampliar e fortalecer a capacidade de gestão dos leitos da rede municipal, agilizando fluxos regulatórios e reduzindo o tempo de ociosidade do leito desde a alta até a nova admissão. O objetivo é acelerar o acesso do paciente ao leito.

Todas as 45 unidades hospitalares e de urgência e emergência da rede municipal passam a contar com profissionais dedicados ao processo de regulação. Foram contratados cerca de 200 profissionais, entre eles enfermeiros e agentes que atuarão no âmbito dos hospitais, unidades de pronto atendimento (UPAs), coordenações regionais de emergência (CER), maternidades e hospitais de retaguarda.

O projeto ampliou em 75% o número da equipe que atua na regulação municipal. Esses novos profissionais farão a atualização das plataformas digitais e sistemas da regulação com informações seguras das unidades, o que, além de acelerar o acesso dos pacientes aos leitos da rede municipal conforme necessidade e em tempo oportuno, permitirá o aprimoramento dos indicadores de saúde.

’A covid-19 trouxe um novo paradigma para os sistemas de saúde exigindo maior integração e agilidade em seus processos e fluxos de regulação. O eixo de atuação central destas equipes é a otimização das ações de regulação, internação e alta a partir de plataformas digitais integradas. Apostamos que a implementação desses recursos ajudará os gestores a identificar necessidades, corrigir rumos e melhorar, cada vez mais, a satisfação do paciente na rede pública carioca’’, declarou a subsecretária geral da SMS, Fernanda Adães Britto.

O Complexo Regulador do Município do Rio está completando 20 anos de existência. As primeiras equipes de regulação avançada começaram a atuar em 2015 em 13 unidades hospitalares, com o objetivo de realizar o monitoramento da ocupação de leitos, acelerar a oferta e diminuir o tempo de permanência nos hospitais.

Com a implementação do Núcleo Avançado de Regulação, agora também as UPAs, CERs e hospitais de retaguarda, num total de 45 unidades, terão profissionais especializados em regulação. Para o próximo ano, a meta é implementar a iniciativa nas unidades da esfera estadual e federal, incluindo os institutos e hospitais universitários.

Plano de saúde desativa atendimento virtual para Covid

Devido à redução dos casos de Covid-19 e de outras doenças respiratórias nas últimas semanas, o Pronto Atendimento Virtual, serviço adotado em caráter emergencial pela Unimed Rio, como forma de reduzir o contágio e desafogar as demandas presenciais de atendimento, será descontinuado a partir desta sexta-feira, dia 1º de abril.

De acordo com a operadora, o paciente conta com todas as nossas unidades de urgência e emergência 24 horas, além das consultas online agendadas, com um dos nossos médicos cooperados. Os prontos-Atendimentos Unimed-Rio funcionam no PA Barra da Tijuca (Av. das Américas, 777); o  PA Hospital Unimed-Rio (Av. Ayrton Senna, 2.550 – exclusivo para os planos Delta e Ômega da Unimed-Rio); o PA Copacabana (Rua Siqueira Campos, 70). o PA Méier (Rua Aristides Caire, 27).

Com Assessorias SMS-Rio e Unimed Rio

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!