Rio à espera de testes rápidos para Covid-19

Secretário diz que há 1 mil pedidos na fila, menos que em outros estados. Demora na chegada de 900 respiradores do governo federal prejudica atendimento a

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

O Estado do Rio de Janeiro quer ampliar a oferta de testes rápidos para o novo coronavírus. Hoje, o déficit é de pelo menos mil testes, menos que em outros estados, segundo o secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos. Segundo ele, a demora na entrega, pelo governo federal, de equipamentos necessários para o tratamento da Covid-19 também preocupa. Em todo o país, faltam 23 mil testes. São esperados 900 respiradores para ajudar os pacientes atendidos nas UTIs.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, confirmou a subnoficação, o que deve começar a mudar a partir da próxima semana, com a expansão de testes rápidos. “O número de casos confirmados vai passar a ter aumento porque vamos começar a atender os testes represados. O número de casos confirmados hoje é muito menos do que o que realmente está circulando”, disse o ministro, anunciando que haverá “megamáquinas automatizadas” para acelerar as testagens.

A SES  lançou, nesta quinta-feira (2), o assistente virtual “Sesin Responde” para tirar dúvidas da população sobre o novo coronavírus, em tempo real. Na ferramenta interativa, Sesin, o mascote da SES, explica os sintomas da Covid-19 e, com o relato do usuário sobre o que está sentindo, indica se deve procurar atendimento médico ou permanecer em quarentena.

A plataforma online pode ser acessada por um código QR ou pelo link chat.saude.rj.gov.br. Sem necessidade de cadastro ou integração com redes sociais, o usuário é direcionado para uma página de navegador em que Sesin faz uma triagem dos sintomas apresentados.

De acordo com as respostas que o robô recebe, orienta como a pessoa com suspeita de infecção deve proceder. Se houver indicação de consulta com um profissional de saúde, a plataforma encaminha automaticamente o usuário para a Central 160, a central telefônica da SES exclusiva sobre o coronavírus.

Para Edmar Santos, a presença virtual em diferentes canais é mais uma forma de a SES estar acessível para a população, principalmente no período de isolamento domiciliar.

Nosso objetivo é que as pessoas recorram às fontes oficiais para buscar informação sobre a doença. Para isso, temos site, redes sociais, atendimento telefônico, painel online e, agora, o atendente virtual. Com todos esses serviços funcionando integrados, a população pode esclarecer dúvidas sobre coronavírus sem sair de casa e ter a orientação correta sobre quando procurar atendimento médico, sem sobrecarregar as unidades de saúde”, explica.

O chatbot “Sesin Responde”, que funciona com atendimento automatizado, está disponível por um código QR ou pelo link chat.saude.rj.gov.br, e a central telefônica 160 funciona gratuitamente 24 horas por dia.

Esta semana a SES lançou também o painel painel.saude.rj.gov.br, que faz o monitoramento online de casos de Covid-19 no estado e torna mais acessíveis as informações à população. O site www.coronavirus.rj.gov.br é o canal oficial do Governo do Estado sobre o novo vírus

Parceria com supermercados para compra direta de produtores

A Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento firma, a partir desta semana, uma parceria com redes de supermercados que vai possibilitar que pequenos produtores rurais forneçam seus produtos nestes estabelecimentos. O objetivo é colaborar com o escoamento da produção durante a pandemia do coronavírus.

– Estamos atuando rápido, assim como todas as ações do governador Wilson Witzel, para que o Estado tenha menos impactos nesta crise. Esses agricultores terão a garantia da venda do seu produto dentro de grandes redes que foram mantidas abertas, apesar das importantes restrições determinadas. Esse apoio para eles é fundamental neste momento – disse o secretário de Agricultura, Marcelo Queiroz.

O primeiro negócio foi fechado entre uma grande rede de venda virtual e associações de produtores da Região Serrana, que vai possibilitar a venda de alimentos da linha hortifrutigranjeiros, como frutas, legumes e verduras. Os kits com os produtos foram entregues nesta terça-feira (31/03). Uma outra venda foi fechada com a rede de supermercados Zona Sul e os produtos serão entregues na próxima semana.

Outras grandes redes já estão negociando a compra e as operações serão fechadas em breve, oferecendo assim mais um canal de venda para produtores da agricultura familiar.

– Sem o nosso apoio seria inviável para muitos desses produtores esse contrato. As grandes redes fazem a compra de outras grandes redes ou direto nas centrais de abastecimento. Nosso objetivo é que, mesmo depois da pandemia, eles possam continuar com essa ponte, o que poderá significar uma melhora nos seus ganhos e seus negócios. O setor do Rio de Janeiro tem muito a ganhar com essa iniciativa – explica Marcelo.

Para fornecer produtos para as grandes redes, os agricultores precisam seguir alguns critérios como ofertar rastreabilidade, disponibilizar código de barras, documentação, entre outros parâmetros. A secretaria está apoiando e agilizando estes processos para os agricultores selecionados, além de fazer a ponte com as empresas.

Para ser incluído no projeto, os agricultores podem entrar em contato com a secretaria através do e-mail: seappa@agricultura.rj.gov.b

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!