carnaval

Oficialmente, terça-feira é o último dia do Carnaval… Mas no Rio de Janeiro e em muitas outras cidades do país é difícil tirar o povo da rua… Pelo menos até domingo ainda tem muita folia!!!! Então, não custa relembrar aqui algumas dicas de especialistas ouvidos pelo Blog Vida & Ação.  Hidratação, alimentação balanceada, proteção contra o sol e na hora do sexo, além de calçados e roupas confortáveis, são imprescindíveis para curtir os dias de folia sem nenhuma surpresa desagradável.

“No Carnaval, devido à descontração, o consumo elevado de álcool e a própria cultura da festa, as pessoas ficam mais propícias aos “relacionamentos rápidos” e ao sexo casual. Caso não usem o preservativo, se tornam vulneráveis a DSTs, como a tricomoníase, gonorreia, clamídia, sífilis, hepatite B, HPV e HIV. Todas elas são transmitidas pela relação sexual seja ela vaginal, anal e oral e até mesmo com o contato com o líquido seminal ou lubrificação vaginal”, explica o ginecologista do Hospital Caxias D’Or, João Marcello Guedes.

Doença do beijo – Um simples beijo também pode apresentar risco para a saúde, pois doenças como a mononucleose e o herpes labial são transmitidas pela saliva. A primeira, conhecida como doença do beijo, é benigna, podendo em alguns casos se apresentar em formas mais severas sendo os sintomas a febre, dor de garganta, aparecimento de gânglios submandibulares, dor articular e aumento do baço. Já a segunda tem como principal característica o aparecimento de lesões vesiculares ao redor dos lábios.

DSTs – Como já falamos aqui, esta é a época do ano mais propícia ao contágio por doenças sexualmente transmissíveis (DST). Na tricomoníase, gonorreia e clamídia o sintoma mais comum é o corrimento vaginal com odor, que pode estar associado a dor pélvica ou dor durante a relação. Já a sífilis pode causar o aparecimento de lesões genitais tipo úlcera indolores. A Hepatite B tem como principais sinais a dor abdominal, febre, mal-estar e aparecimento de coloração amarelada na pele (icterícia), enquanto que o HPV tem o aparecimento das verrugas genitais como o principal alerta, podendo ser responsável também pelos cânceres de colo de útero, vulva e vagina. Com sintomas iniciais inespecíficos como febre e mialgia, o HIV só é diagnosticado através da realização de testes sorológicos e moleculares. A camisinha deve ser a companheira indispensável nos dias de festa para que o Carnaval seja aproveitado com responsabilidade e segurança.

Calçado ideal – O ortopedista Mário Fernandes, do Hospital Niterói D’Or, garante que o melhor calçado para se curtir a folia no carnaval seria o tênis, pois protege os pés e geralmente é confortável e ajuda na absorção do impacto. Se a fantasia exigir calçados altos, prefira o salto quadrado com frente meia pata ou plataforma, desde que a diferença entre a parte anterior e posterior do calçado não ultrapasse 4 cm. Estes calçados devem estar bem presos aos pés para evitar entorses ou até fraturas.

Alergias – É preciso tomar alguns cuidados com os sprays de espuma, pinturas de rostos em crianças, por exemplo, que podem desencadear um processo alérgico. A Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai) alerta que prays de espuma são principalmente irritantes primários e podem causar lesões em mucosas, como olhos, boca e nariz. Não podem ser ingeridos e nem devem ser usados por crianças. Alguns não obedecem às normas do Inmetro por serem importados de forma ilegal, além de serem inflamáveis. O contato prolongado com a pele pode causar sensibilidade, que é uma forma de alergia. Também é preciso atenção na hora de pintar o corpo. Usar tintas orgânicas, cobrir pouco a pele, já que áreas extensas cobertas perdem a capacidade de eliminar toxinas e não deixam o suor sair. Muito cuidado com olhos e boca, já que essas tintas podem ser tóxicas. Não deixem as crianças dormirem sem remover a tinta com água e sabonete.

Praia e Carnaval – Um dos cuidados, ainda segundo a Asbai, é não ter contato com outros alimentos que possam conter a proteína alimentar que causa a alergia, além de seguir orientações médicas sobre o plano de ação no caso de emergência. Quem nunca teve reação, não é possível prever se algum dia terá. Então, caso apresente algum sintoma alérgico durante a refeição, deve-se, imediatamente, interromper o consumo do alimento e procurar auxílio médico.

Mosquitos – A melhor prevenção é usar mosquiteiro na cama, telas contra insetos nas janelas, repelentes na pele, conforme a idade, e inseticidas. Evite ambientes abertos no início e final do dia. Cuidado com gramados onde proliferam formigas.

Na hora do xixi – O ginecologista do Hospital Caxias D’Or, João Marcello Guedes, reforça a importância para que as mulheres fiquem atentas à higiene dos banheiros públicos e químicos, evitando o contato da pele com o sanitário e fazendo a higienização das mãos. Uma dica é ter sempre um frasco pequeno de álcool gel e um rolo de papel higiênico para garantir a eficácia da higiene.

Proteção da pele – A dermatologista do Hospital Oeste D’Or, Valéria Stagi, destaca simples dicas para cuidar da pele e da saúde durante a folia, como usar chapéus, camisetas e protetores solares; evitar a exposição solar e permanecer na sombra entre 10 e 16h (horário de verão) e usar filtros solares diariamente com fator de proteção solar (FPS) 30, no mínimo, reaplicando a cada duas horas.

Alimentação e hidratação – A nutricionista Viviane Loureiro, do Hospital Caxias D’Or, ressalta a importância da hidratação, pois a água é um condutor natural que além de hidratar ajuda a eliminação de toxinas e excessos cometidos como, por exemplo, com a bebida alcoólica. Aposte em alimentos leves evitando frituras, observando sempre o armazenamento dos alimentos. Lembre-se de hidratar bem as crianças, oferecer alimentos leves, moderar nos doces e balas coloridos e evitar roupas que cubram todo o corpo, o que pode aumentar a sudorese, causando desidratação e insolação por excesso de calor.

Riscos da desidratação –  Márcia Umbelino, clínica geral e especialista em medicina ortomolecular recomenda as pessoas que vão consumir bebidas alcoólicas no Carnaval que já comecem anteriormente a beber água de coco e isotônicos, intercalando bebida com água, águas aromatizadas, para que não ocorra uma desidratação mais acelerada pelo calor e pelo álcool.  O uso de roupas com proteção UVB e UVA, bonés, biquínis, blusas de mangas cumpridas com proteção de piscina e praia, também nos ajudam na perda de eletrólito em excesso através da transpiração. Nesse caso não é pela ingesta, mas sim pela perda, pelo suor, de água e eletrólitos. Uso de boné e chapéu é recomendado não só para a proteção contra os raios solares, para a proteção da pele e do coro cabeludo, mas também porque se tem uma perda excessiva de água via coro cabeludo, via transpiração.

Dicas da nutricionista

A nutricionista oncológica Paula Pratti, do Centro de Excelência Oncológica, listou as dicas que podem ser inseridas na agenda dos dias de folia:

1.     Eliminar alimentos ultraprocessados, com farinhas refinadas ou até integrais, como pães, massas, bolos, biscoitos.

2.     Alimentar-se apenas quando sentir fome;

3.     Fazer duas refeições completas: almoço e jantar, com bastantes verduras e legumes (Couve, brócolis, couve-flor, repolho, pepino, alface, abobrinha), carnes de todos os tipos (frango, boi, porco, bacon artesanal, vísceras, peixes), ovos, queijo e azeite. Evite as raízes (batata, aipim, inhame).

4.     Opções de lanches, caso tenha fome nos intervalos das refeições: frutas (abacate, pêssego, ameixa, frutas da época), castanhas (castanhas do Pará e de caju, nozes amêndoas, amendoim), iogurte natural integral, ovos mexidos ou omeletes. Durante o carnaval, procure seguir essa mesma linha, caso precise de mais energia para curtir dia e noite. Se o folião for muito animado, insira raízes (batata, aipim, inhame), pois são boas fontes de carboidratos. Elas darão energia para curtir dia e noite, pulando atrás do trio.

5.     Preparações acrescidas de gorduras boas, como azeite de oliva e óleo de coco, são também boas fontes de energia e podem fornecer mais saciedade. Um sugestão é adicionar um fio de azeite a saladas e preparações salgadas ou 1 colher de chá de óleo de coco a vitaminas de frutas ou sucos.

6.     Opte por frutas, como pêssego, maçã, banana, uva, abacaxi, maracujá e melão. São fontes de potássio, essencial para a contração muscular.

7.      Evite a desidratação, que pode ser ocasionada pelo calor e pelo consumo de bebida alcoólica. O ideal é intercalar com bebidas não alcoólicas, como água aromatizada com frutas, sucos e água de coco.

8.     Faça gelinhos de fruta: Ponha pedacinhos de frutas picadas na forma de gelo e cubra com água. Congele, depois adicione esse gelo à água de coco, à limonada ou à água pura. O resultado fica um charme para decorar bebidas!
Colocar uvas no congelador e ingerir congelada é uma tática, ao mesmo tempo, refrescante e hidratante, já que a uva é rica em compostos antioxidantes, que irão auxiliar seu corpo a se recompor para mais um dia de folia.

9.     Dê preferência a preparações ensopadas, assadas ou grelhadas. Evite frituras e empanados, pois esses tipos de preparações podem causar náuseas no calor.

10.  Cuidado ao consumir frutos do mar do mar nessa época. Esses alimentos são muito perecíveis. Se não estiverem conservados de maneira correta, podem ter elevada contagem bacteriana e provocar uma intoxicação alimentar séria.

11.  Cuidado com alimentos vendidos na praia. Preste atenção nas condições de higiene e de conservação. Evite consumir camarões e ostras expostos ao sol.

12.  Prefira energéticos naturais, como cafeína, presente no café e no chá-verde. Este pode ser ingerido gelado e misturado com suco de fruta natural (ex: limonada, maracujá).

Da Redação, com assessorias

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *