Como fugir da ressaca e aproveitar as festas sem culpa

Especialistas explicam o que fazer antes, durante e depois para reduzir os efeitos da famosa ressaca. Saiba se pode malhar no dia seguinte

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Um ano desafiador, sem dúvida, e nada melhor que comemorar as conquistas e a luta superada. Natal, Ano Novo, confraternizações amigo oculto, férias de verão e, ainda, pensar nas metas para próximo ano! Os compromissos nesta época são muitos e é até difícil organizar toda a agenda. Outro desafio é cuidar da saúde e não extrapolar. Afinal de contas, é o ano que está acabando, mas o bem-estar, disposição e saúde devem continuar plenamente.

As festas de final de ano são marcadas por momentos de alegria, reuniões e, é claro, celebrações regadas a comida e bebida. No entanto, trazem também, muitos exageros, como o excesso de consumo de bebidas alcoólicas, misturado a comidas mais gordurosas, que pode transformar a festa em uma experiência desagradável no dia seguinte.

A famosa ressaca nada mais é que a sobrecarga do organismo para conseguir absorver e metabolizar a grande quantidade de bebida ingerida. A causa principal é a desidratação e a perda de líquidos, juntamente com vitaminas e minerais.

“Cabe ao fígado metabolizar todo o álcool ingerido em excesso nas festas de final de ano. E mesmo assim são produzidas substâncias químicas que causam os sintomas clássicos da ressaca: náusea, dor de cabeça, mal-estar e até diarreia”, explica Érico Souza de Oliveira, clínico geral do Hospital Alemão Oswaldo Cruz. 

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), a dose padrão de consumo de bebida alcoólica no Brasil, para adultos, é de aproximadamente 10 gramas de álcool puro, o equivalente a uma lata de cerveja ou chope (330 ml), uma taça de vinho (100 ml) ou uma dose de destilado (30 ml). A recomendação é de não exceder duas doses por dia e se abster de beber pelo menos dois dias por semana.

Doutor Tontura explica a intoxicação pelo álcool

O neurologista Saulo Nader, apelidado por internautas e pacientes como Doutor Tontura, explica o que acontece com o corpo na ressaca e dá dicas importantes para curtir qualquer comemoração sem presente surpresa indesejável. Segundo o especialista, os sintomas entram no grupo intitulado de “Tontura de Origem Clínica” e por traz dessa intoxicação o organismo inteiro fica ruim, quem já passou por isso sabe que além de dor e mal-estar na cabeça, sente sensação de náusea e corpo fraco, por exemplo.
A intoxicação pelo álcool vem uma grande curiosidade também. Dr. Saulo explica ainda que quando ingerimos a bebida alcoólica, o etanol que é metabolizado no fígado entra no corpo e promove os efeitos neurológicos: fala mole, desequilíbrio, a pessoa fica mais eufórica no começo e depois fica mais deprimida (fase aguda).
“Passando pelo fígado, o etanol produz uma substância que é tóxica para o corpo chamada acetaldeído, responsável por esses sintomas da ressaca, isto é o álcool do dia anterior, sabia? A pessoa chega e pergunta: Doutor, bebi muito na noite passada, acordei com tontura, dor de cabeça, mal-estar, o que eu faço para passar a ressaca?”, comenta o neurologista.

O impacto do álcool no corpo

Petiscos, drinques e excesso. Ninguém é de ferro, mas a mistura pode se transformar em uma ressaca, além de desconfortos no estômago, como náuseas, vômitos e a tão conhecida dor de cabeça.

“O álcool tem efeitos significativos no organismo, especialmente quando combinado com alimentos gordurosos. Essa combinação pode sobrecarregar o fígado e levar a problemas digestivos”, explica Felipe Saint Clair, coordenador médico da Klini Saúde.

Ele diz que o fato de aumentar a vontade de ir ao banheiro, não quer dizer que esteja hidratado, muito pelo contrário. “O excesso de bebida alcoólica aumenta, em um primeiro momento, a vontade de urinar e, em alguns casos, a quantidade de suor. Isso impacta em perdas significativas de sais minerais. Por isso é imprescindível repor com muita água, água de coco e isotônicos”

Não existe fórmula mágica para curar ressaca

Dr. Tontura enfatiza que não existe fórmula mágica para curar ressaca. Não adianta fazer simpatias, seguir receitas caseiras, chás tipo boldo, mistura de café com outros ingredientes, não há nenhuma comprovação apenas efeito placebo. O que resolve a ressaca mais rápido é água, hidratação.
“A lógica é bem simples, se estou muito hidratado, se eu bebo bastante líquido, aumento o volume de sangue, diluo essa substância tóxica e ajudo meu fígado a metabolizar mais rápido o etanol e eliminá-lo”. sintetiza. Assim, se a pessoa vai beber um pouco mais, já deve se preparar para minimizar os efeitos da ressaca.
Doutor Tontura fala também da importância de intercalar as doses de bebida alcoólica, com outras bebidas que hidratem, como um copo de água, refrigerante, suco, chá gelado, Gatorade. A pessoa se manterá hidratada e os efeitos da ressaca serão menores.
Para o médico, é recomendável também, após o período de consumo de bebidas, tomar algum analgésico pra dor de cabeça e remédio pra enjoo que seja de confiança da pessoa e que não dê efeito colateral ou alergia, vale sempre antes consultar o médico, nunca se automedique. Alerta bebida e remédio não combinam e podem causar muitos efeitos colaterais.

Dicas que podem ajudar a evitar a ressaca e manter sua saúde em dia

Os especialistas deram algumas dicas valiosas para tornar suas celebrações mais leves, saudáveis e sem aquela dor de cabeça no pós-festa. Confira!

Hidratação antes, durante e depois do consumo de bebida alcoólica.

Se você faz parte do time que não dispensa as bebidas alcoólicas o segredo é beber água antes, durante e depois. Beber bastante água faz toda a diferença para a metabolização do álcool no corpo, e a sensação de ressaca no dia seguinte é menor.

“Além da hidratação com água é importante ingerir carboidrato e fibras. Se puder, trocar o pastelzinho por um petisco assado, acompanhado de uma salada, vai diminuir os efeitos da ressaca”, alerta.

Faça atividades físicas ao ar livre

Se você pratica exercícios físicos na academia e ela estiver fechada para as festas de final de ano, aproveite as áreas ao ar livre para se exercitar com uma caminhada ou corrida leve, para entrar em contato com a natureza. Se for viajar para a praia, por exemplo, faça caminhadas pela areia e mantenha os exercícios físicos em dia. Em casa também é possível se exercitar, por exemplo, pulando corda.

Ingestão de bebida alcoólica e estômago cheio

Segundo Dr. Érico, fazer refeições muito tarde, após o consumo de bebidas alcoólicas não é recomendável. Em vez disso, se alimente antes do primeiro drinque e continue beliscando as comidas durante a noite, como sugestão de torradinhas leves, petiscos saudáveis, queijos magros e oleaginosas. O alimento retarda o esvaziamento gástrico e pode reduzir os sintomas da ressaca. Felipe Saint Clair  também reforça que ficar sem comer não é uma boa tática: “Ingerir álcool de estômago vazio, aumenta a absorção rápida do álcool, potencializando seus efeitos negativos”.

Importância do autocuidado

Tirar um tempo para descansar é fundamental. Um corpo descansado tem mais disposição, bem-estar, saúde, energia e qualidade de vida. E mesmo com todos os compromissos, preservar horas de sono é importante para celebrar com intensidade e alegria.

Ovo ajuda a curar ressaca?

nutricionista Lucia Endriukaite, do Instituto Ovos Brasil, compartilha dicas valiosas para combater a ressaca e recuperar-se de forma saudável após uma noite de consumo de bebidas alcoólicas.

Dica 1: Alimentação Pré-Ressaca

Antes de consumir bebidas alcoólicas, inclua ovos em suas refeições. Os ovos são ricos em proteínas e gorduras saudáveis que ajudam a retardar a absorção do álcool pelo organismo.

Mantenha-se alimentado durante o consumo de álcool, intercalando com sucos ou água para evitar a desidratação.

Escolha alimentos leves e ricos em proteína, como omeletes, que proporcionam saciedade e contribuem com as vitaminas do complexo B, essenciais para o funcionamento do fígado.

Dica 2: Combate à Ressaca

Após uma noite de festa, opte por refeições leves, como ovos mexidos ou ovos levemente cozidos, acompanhados de torradas, sucos de frutas e iogurte com cereais. Esses alimentos fornecem proteínas essenciais para a recuperação do organismo.

Os ovos são uma excelente fonte de vitaminas do complexo B, vitaminas A e E, além de minerais como magnésio, zinco, manganês e selênio, que favorecem a recuperação celular.

Dica 3: Mantenha a Moderação

Evite o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e mantenha-se hidratado.

Evite a mistura de diferentes tipos de bebidas alcoólicas.

Não consuma álcool se estiver tomando medicamentos ou se for dirigir.

O que fazer no dia seguinte?

De acordo com o clínico geral Érico Oliveira, não há nenhum remédio que cure a ressaca. “O ideal é a hidratação, ingestão de carboidratos, como batata, macarrão, cereais e bastante repouso. Água, sucos, água de coco e isotônicos (sem álcool) repõem água, sais minerais e vitaminas perdidos. O refrigerante não hidrata, mas ajuda contra a queda da glicose”, explica.

Dr Filipe lembra que café sem açúcar não ameniza dor de cabeça e o uso de remédios para dor de cabeça sem prescrição também não é uma boa opção. “Se você não conseguiu evitar a ressaca, a recomendação é repouso e a ingestão de água, água de coco e sucos naturais”, diz o especialista.

Ele ainda recomenda evitar molhos branco e vermelho, queijos amarelos, frituras, leite e carne vermelha após a ingestão de álcool. “Isso porque o pH do sangue fica mais ácido, então é recomendável evitar todos os alimentos ácidos e gordurosos.

“No dia seguinte, vale o mesmo processo: consumir bastante água e tomar os remedinhos que ajudam a passar os sintomas e recuperar mais rápido o equilíbrio”, completa o Doutor Tontura.

5 dicas essenciais para o ‘day after’

Hidratação é fundamental – Reidrate o corpo com água, sucos naturais ou bebidas isotônicas para compensar a desidratação causada pelo álcool.

Refeições leves – Opte por refeições leves e de fácil digestão para ajudar na recuperação do sistema digestivo.

Evitar cafeína em excesso: Embora muitos busquem cafeína para se recuperar, o excesso pode piorar a desidratação. Consuma com moderação.

Descanso adequado: Permita que o corpo descanse para facilitar a recuperação completa.

Atenção aos sinais de emergência: Se os sintomas persistirem ou se agravarem, procure ajuda médica.

“Nunca subestime a gravidade de uma ressaca intensa. E, por favor, nada de acreditar que o que cura a ressaca é voltar a beber. Celebrar com responsabilidade é a chave para desfrutar das festas sem comprometer a saúde”, finaliza Felipe Saint Clair.

Exercícios podem ajudar a aliviar a ressaca? Personal diz que é bom evitar

As comemorações de final de ano podem fazer o consumo de álcool ser elevado, e no dia seguinte trazer o aparecimento da ressaca, que pode ser desconfortável para muitas pessoas. Porém, entre os meios de recuperação, a prática de exercícios pesados pode piorar a condição. Conversamos com Matheus Vianna, personal trainer da equipe Nutrindo Ideais (@nutrindoideais), criador do método Performance+ para saber mais sobre, confira:

De acordo com o personal, se a intenção for fazer exercícios visando a eliminação de líquidos, não é indicado. O ideal é focar na hidratação e alimentação saudável para garantir boa recuperação. Caso ainda não esteja totalmente disposto após as primeiras 24 horas, a orientação é iniciar por treinos leves até que se sinta confortável para retomar a rotina.

O ideal é não praticar exercícios, pois o álcool pode provocar os seguintes efeitos:

Efeitos neurológicos, como comprometimento da coordenação motora;

Potencializar a queima de carboidratos;

Causar desidratação;

Prejudicar a síntese de proteínas;

Afetar a função imunológica;

Piorar a atividade cardiovascular, metabólica e nutricional, interferindo direta ou indiretamente no desempenho e na recuperação muscular.

Quanto tempo dura uma ressaca?

A ressaca surge em média de 6 a 8 horas após o consumo excessivo de bebida alcoólica, podendo durar até 24 horas. Portanto, este seria o período ideal de tempo sem praticar atividades físicas que exigem bom condicionamento físico. O processo de recuperação é fundamental para o desempenho e isso inclui adequado reabastecimento do glicogênio, síntese proteica, restauração de eletrólitos e da hidratação corporal.

O que pode ser realizado são exercícios de recuperação, principalmente de relaxamento como alongamentos realizando 3 séries de 1 minuto ou caminhadas leves de 30 a 40 minutos, se a intenção for aliviar os sintomas da ressaca o ideal é não realizar exercícios físicos com esse propósito para não piorar.

O consumo de bebidas alcoólicas aumenta a produção de moléculas pró-inflamatórias e diminui as anti-inflamatórias, alterando o equilíbrio de processos inflamatórios e da resposta fisiológica do organismo. A soma desses eventos pode ocasionar lesões com respostas inflamatórias reduzidas, prolongando o tempo de recuperação.

Com Assessorias

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!