Atividade física traz benefícios para uma vida sexual mais saudável

‘Posso transar e treinar logo depois?’. Educador físico tira essa e outras dúvidas

Casal que treina junto (Foto: Getty Images/iStockphoto)
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Celebrar o prazer na vida é sempre uma delícia, não é mesmo? O Dia Mundial do Orgasmo (31 de julho) é uma ótima oportunidade para pensarmos em como deixar nossa vida sexual cada vez mais saudável. A atividade física, por exemplo, vem como uma oportunidade de trazer muitos benefícios na hora do sexo.

Estudos científicos apontam que a prática de exercícios físicos resulta, entre outros benefícios, em menos relatos de disfunção erétil em homens, aumento da incidência de orgasmo em mulheres, aumento da flexibilidade e resistência, e maior controle do assoalho pélvico.

Pesquisadores do New England Research Institute nos EUA analisaram um grupo de 600 homens de meia idade ao longo de um período de oito anos. Os homens que praticavam corrida regularmente durante este período não relataram nenhum problema de disfunção erétil, enquanto os de vida sedentária apresentavam vários episódios de perda de vigor sexual. 

Além disso, um recente estudo publicado no International Journal of Obesity relatou que mulheres com sobrepeso que perderam peso praticando caminhada, tiveram sensível melhora na qualidade do sexo, inclusive com aumento da incidência de orgasmos.

“A melhora na auto-estima é apenas um dos benefícios trazidos pela atividade física e que, certamente, fará a pessoa se permitir a sentir ainda mais prazer na hora do sexo. Mas podemos também citar estudos feitos e que mostram muitos outros benefícios relacionados a exercício e prazer”, afirma o personal trainer e educador físico Bruno Sapo.

  • Ainda segundo o especialista, treinos de força induzem a produção de testosterona, tanto em homens quanto em mulheres. Modalidades que treinam mais a flexibilidade também podem ser úteis em algumas posições sexuais diferentes.
  • Entre os benefícios da atividade física para a saúde sexual, ele cita ainda adaptações como a melhora da circulação sanguínea, desde os grandes grupos musculares e até mesmo nos órgãos-genitais; diminuição dos níveis de triglicerídeos – fator que pode prejudicar a ereção; melhora na resistência muscular e cardiorrespiratória – permitindo relações sexuais mais longas e com mais disposição entre os parceiros.

Posso transar e treinar logo depois? 

Não há evidências científicas robustas indicando que a atividade sexual tem um efeito negativo sobre os resultados atléticos. Uma análise, publicada no jornal científico Frontiers in Physiology, mostrou que a força de ex-atletas do sexo feminino não mudou quando fizeram sexo na noite anterior ao treino, e que maratonistas tiveram efeitos benéficos ao correr depois de transar.

No entanto, alguns indivíduos, por exemplo, respondem com sono e preguiça ao sexo, pela queda hormonal gerada após o orgasmo. Nestes casos, o sexo antes da academia pode não fazer sentido.

“Há quem fique felizão depois de transar, devido aos níveis de hormônios relacionados ao prazer, como endorfina. Essa pessoa vai treinar com mais gás, menos ansiedade e menos distrações, o que pode deixar o exercício ainda mais produtivo. O mais importante é aproveitar o momento do sexo e o momento de se exercitar”, comenta Bruno Sapo.

Leia mais

Anorgasmia: o distúrbio que afeta o desejo sexual e o orgasmo
Dia do Orgasmo: passo a passo para alcançar o ápice
Por que mais da metade das mulheres não chegam ao orgasmo?
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!