Raio-X

Sete em cada 10 brasileiros são sedentários

sedentarismo2

As facilidades do mundo moderno vêm para o bem e para o mal. Graças a tantas tecnologias à disposição de todos, a população se tornou mais preguiçosa e, com isso, mais sedentária, obesa e com muitas outras complicações que o excesso de peso traz à saúde.  Atividades simples, como ir até a lanchonete da esquina, são cada vez mais substituídas por aplicativos de celular que permitem o serviço em domicílio, assim como ficou mais cômodo pagar as contas sem precisar ir ao banco. É indiscutível a praticidade, porém, não se deve esquecer que as atividades cotidianas também contribuem para manter o corpo ativo.

Hoje um indivíduo gasta bem menos calorias por dia do que há 100 anos. Para piorar a situação, 70% da população brasileira não pratica exercícios físicos regularmente. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) é considerado sedentário o indivíduo que gasta menos de 2.200 calorias por semana em atividades físicas e ocupacionais, representando um gasto de 300 calorias por dia, equivalente a uma hora de movimento significativo.

O sedentarismo é considerado um problema de saúde pública, pois pode desencadear diversos problemas como colesterol, diabetes, hipertensão, sobrepeso e obesidade. Mas mudanças simples de hábitos podem contribuir para que doenças sejam evitadas. Neste dia 11 de março, Dia Internacional de Combate ao Sedentarismo, especialistas recomendam a prática regular de atividades físicas como uma das melhores formas de prevenção e controle de problemas de saúde, principalmente quando se trata de doenças crônicas, como obesidade e diabetes.

A prática frequente de atividades físicas é uma das medidas mais eficazes para prevenção de doenças cardiovasculares, principalmente se associada com uma dieta equilibrada, manutenção de peso adequado, abstenção do tabagismo e do consumo excessivo de álcool. Além de prevenir doenças cardiovasculares, oferece inúmeros benefícios para a saúde como aumentar o condicionamento, fortalecer a musculatura e reduzir o estresse.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), entre os benefícios oferecidos pela prática de esportes e atividades físicas estão a melhora na aptidão muscular e cardiorrespiratória; melhora da saúde óssea e redução do risco de hipertensão, doença cardíaca coronária, acidente vascular cerebral, diabetes, câncer de mama e cólon e depressão, além do auxílio na redução e controle de peso.

Mas não é necessário ser um atleta de alta performance para perceber esses benefícios. É o que demonstra um estudo recém-publicado no periódico científico JAMA Internal Medicine. De acordo com o levantamento, aqueles que se exercitam apenas uma vez por semana já conseguem perceber melhora no desempenho cardiovascular e respiratório e na resistência física, além de estarem mais protegidos contra o risco de morte prematura, que foi reduzida em 30%. Esse resultado representa um incentivo a mais para quem gostaria de praticar alguma atividade física, mas não tem tempo ou disposição para adotar um ritmo regular de treinos.

Controle de doenças crônicas

De acordo com especialistas, além do seu papel preventivo, a prática de atividades físicas apresenta benefícios no controle de doenças crônicas. “Quando são diagnosticados com diabetes tipo 1 ou 2, por exemplo, muitas pessoas acreditam que não poderão mais levar uma vida ativa, relacionando a prática de atividades físicas a crises de hipoglicemia (quando a taxa de açúcar no sangue diminui drasticamente). Porém, seguindo alguns cuidados simples que seu médico pode orientá-lo de acordo com a intensidade da atividade física e nível de açúcar no sangue, a prática de atividades físicas é benéfica e auxilia no controle da doença”, explica Marina Santorso, gerente médica de Diabetes da Novo Nordisk Brasil.

Apesar de o diabetes estar diretamente ligado ao risco de doenças vasculares, como infarto cardíaco, acidente vascular cerebral (AVC) e entupimento de artérias – estudos indicam que uma pessoa com diabetes tem duas a seis vezes mais chances de morte por eventos cardiovasculares, como infarto do miocárdico – a prática de atividades físicas, associada a um tratamento adequado, pode até mesmo reverter esse prognóstico.

“Os exercícios físicos melhoram o aproveitamento da glicose pelos músculos, ajudam a aumentar a sensibilidade à insulina e contribuem para a prevenção de doenças associadas, como insuficiência renal, neuropatia e retinopatia, além dos problemas cardiovasculares. Ao associá-los ao uso de uma medicação que ofereça proteção cardiovascular comprovada, estamos reduzindo o risco de complicações e aumentando a qualidade de vida”, afirma a médica.

Combate à obesidade

As atividades físicas também são fundamentais para o controle da obesidade, problema que já afeta milhões de pessoas em todo o mundo e, atualmente, atinge 18% da população brasileira adulta. Apesar de ser constantemente relacionada à estética, a obesidade traz riscos à saúde que vão muito além do espelho: a obesidade é considerada fator de risco para o desenvolvimento de doenças crônicas, como diabetes, hipertensão e problemas cardiovasculares – responsáveis por mais de 70% das mortes no Brasil.

De acordo com a endocrinologista e gerente Médica de Obesidade da Novo Nordisk, Rocio Riatto Della Coletta, manter o organismo ativo é fundamental não só para o processo de perda de peso, mas especialmente para mantê-lo sob controle, grande dificuldade de quem passa pelo processo de emagrecimento.

“A prática de atividades físicas não só acelera o metabolismo, mas também contribui para um maior gasto energético. Estudos demonstram que, independentemente do peso inicial, uma perda de 5-10% em pessoas com obesidade traz benefícios expressivos à saúde, incluindo melhoras dos níveis de glicemia sanguínea, da pressão arterial, dos níveis de colesterol e da apneia obstrutiva do sono”, afirma.

A médica ressalta que todas as modalidades oferecerem benefícios e que a escolha deve ser feita juntamente com o médico. “Alguns se beneficiam de atividades mais intensas, como corrida; outros preferem esportes de menor impacto, como natação. O importante é manter o corpo em movimento”, completa.

Aliada da saúde emocional

De acordo com o ortopedista do Hospital Rios D’Or, Rodrigo Rezende, além de oferecer diversos benefícios para a saúde, a prática de atividade física também é grande aliada da saúde emocional, pois aumenta a autoestima, a autoconfiança, o sentimento de felicidade promovendo entusiasmo e otimismo. “Um grande leque de opções é oferecido e não é preciso ir para academia para sair do sedentarismo. Caminhar, correr, pedalar, nadar ou jogar bola são excelentes atividades para movimentar o corpo e cuidar da saúde”, comenta.

A escolha da atividade a ser praticada deve respeitar algumas questões como doenças pré-existentes, condição física e idade. Os limites do corpo devem ser respeitados e a consulta médica antes do início de qualquer esporte deve ser uma regra para evitar lesões musculares e/ou danos permanentes à saúde. “Através da avaliação médica é possível identificar algumas inconformidades como hipertensão arterial, problemas cardíacos, pulmonares, entre outros. Por isso, a consultas médica prévia é tão importante. Além disso, vale ressaltar que o uso associado de estimulantes, energéticos e anabolizantes pode provocar arritmia cardíaca”, explica Olga Ferreira de Souza, coordenadora do serviço de arritmia e eletrofisiologia da Rede D’Or São Luiz.

Nunca é tarde para resgatar a saúde

A primeira regra para se tornar ativo é sair da zona do conforto e se conscientizar sobre a importância do exercício físico. Escolher uma atividade que dê prazer é fundamental para a regularidade da prática. Mudar simples hábitos como usar a escada ao invés do elevador, ir até a padaria caminhando e estacionar o carro em um lugar distante do seu destino são boas formas para dar um “chega pra lá” definitivo ao sedentarismo.

O professor titular de cardiologia na PUC-PR, Dr. José Rocha Faria Neto, explica: “Os benefícios da prática regular de atividade física são inúmeros. Além da manutenção do peso, o exercício diminui a incidência de infarto, ajuda no controle da pressão arterial e pode até ter efeitos psicológicos, já que existe a liberação de hormônios como a endorfina, responsáveis pelo bem-estar e sensação de felicidade”.

A prática de exercício físico ajuda a fortalecer os músculos, e um importante músculo que se beneficia é o coração. O fortalecimento do coração faz com que ele possa bombear o mesmo volume de sangue sem bater tantas vezes, o que diminui o desgaste do órgão e as chances de desenvolver possíveis doenças. Outras vantagens incluem benefícios no metabolismo da glicose, fortalecimento dos músculos envolvidos na respiração e melhorias na circulação do sangue.

José Rocha explica que, apesar de seus benefícios, a prática de exercícios físicos pode apresentar riscos, caso não seja uma atividade apropriada para a condição do paciente. Pessoas com problemas cardíacos podem necessitar de um acompanhamento apropriado. “Quando se tem uma condição cardíaca é preciso consultar um médico para encontrar o tipo de exercício ou esporte mais adequado para cada caso. Muitas vezes, exames complementares são necessários para avaliarmos a intensidade adequada da atividade a ser realizada.”.

Da Redação, com assessorias

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *