Quando o ciúme em excesso pode se tornar uma doença

Sentir ciúmes é da natureza humana. Mas ciúme patológico prejudica as relações e deve ser tratado. Abandono ou traição podem explicar

Sentir ciúme é normal, mas em excesso pode indicar um desequilíbrio que precisa ser tratado (Foto: Freepik)
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Todos temos dentro de nós sentimentos e emoções, dos mais nobres aos mais medíocres, de acordo com as nossas experiências de vida e relações, vamos mostrando mais uns do que outros. Hoje, selecionei uma emoção que é bastante comum entre amigos, familiares, relacionamentos afetivos e profissionais. Vamos falar sobre o ciúme, que é considerado um sentimento comum entre os humanos, portanto, sentir ciúmes é da natureza humana.

O ciúme pode aflorar nos primeiros anos de vida, pode ser percebido desde a infância, quando a criança, ainda em seu mundo lúdico, mesmo brincando, pode expressar os primeiros sinais de ciúmes, quando um amiguinho no parquinho ou na creche, por exemplo, pega o seu brinquedo.

Ou mesmo com a chegada do irmão mais novo, o mais velho começa a não querer desgrudar do colo dos pais, mesmo já tendo autonomia e idade para andar, falar, comer sozinho, começa a ter atitudes e comportamentos de bebê. A presença do irmãozinho faz com que ele regrida e tenha ciúmes do colo que antes era somente seu.

Qual será a diferença entre ciúme normal e ciúme patológico?

O ciúme é considerado “normal” quando é leve e não compromete ou prejudica o relacionamento no qual está inserido. Em relação ao ciúme patológico, é excessivo, intenso e irracional, não existe um dado de realidade que possa constatar o comportamento descontrolado, ou seja, o ciúme exagerado.

Muitas pessoas com ciúme patológico podem ter comportamentos inadequados tais como querer controlar e manipular o outro, ser agressivo, violento, possessivo, desconfiado, autoritário. Todos esses comportamentos irão prejudicar a qualidade da relação e assim, afetar a vida das pessoas. 

Viver uma relação com alguém que sofre de ciúme patológico é bem difícil, pois a pessoa precisa ser muito hábil para não provocar o ciúme patológico no outro, com isso perde a sua naturalidade como consequência, podendo até ocorrer um relacionamento abusivo, e assim, comprometer sua saúde mental e as suas relações sociais. 

O ciúme patológico pode acontecer com qualquer pessoa independente do sexo, da orientação sexual, raça, nível econômico e cultural. O comportamento humano é muito complexo, não se sabe o que pode causar este sentimento. Entendemos que várias situações são capazes de desencadear o ciúme patológico.

Pessoas que sofreram traição ou abandono sentem mais

A mais comum delas acontece com pessoas que já sofreram traição. É frequente elas desenvolverem um sentimento de desconfiança em seus relacionamentos. É também muito frequente em indivíduos que passaram por abandono, outros com baixa autoestima, insegurança, traços paranoides. Ainda é possível que seja um comportamento aprendido quando se pertence a uma família disfuncional, ou serem vários fatores combinados.

Independentemente do que possa ter ocorrido, é importante tratar o ciúme patológico, pois há a possibilidade dele aumentar, intensificar-se, e assim, as pessoas irão se afastar, pois, é difícil se relacionar com alguém excessivamente comprometido emocionalmente.

O ciúme patológico tem tratamento, não deixe esse sentimento destruir as suas relações. Quando o ciúme do indivíduo chega nesse nível de comprometimento, é importante buscar ajuda de um profissional da área da psicologia. A hipnose clínica pode tratar esse sofrimento e mudar a sua vida para melhor. Cuide-se!

Leia mais nossos artigos na seção ‘Palavra de Especialista’

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!