O que está em alta e o que nunca sai de moda quando o assunto é perder peso

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

peso

Perder peso está na lista de resoluções desejadas para o Ano Novo de nove entre dez pessoas. Afinal, é no início do ano, em pleno verão, quando o corpo fica mais à mostra, que os indesejáveis quilinhos a mais – alguns inclusive herdados em uma semana de farra gastronômica entre o Natal e o Réveillon – começam a incomodar muito mais. A preocupação nem sempre é meramente por questão estética, mas com o objetivo de fazer as pazes com a balança também reflete positivamente na saúde e na qualidade de vida.

E como uma coisa leva à outra, já virou costume que os meses que antecedem a famosa estação marquem um ‘boom’ nas academias e o surgimento de diversas dietas milagrosas – tudo pelo “projeto verão”. E quando já se está em plea estação? Dá para recuperar o tempo perdido? É possível perder peso rapidamente, de forma saudável e sustentável?  O que fazer para conquistar a boa forma e mantê-la quando o verão passar? O Blog Vida & Ação traz dicas da nutricionista Sinara Menenez, da Nature Center para tirar todas as suas dúvidas.

Correndo atrás do prejuízo

Com as altas temperaturas, o corpo fica mais em evidência, e surgem diversas dietas da moda prometendo derreter as gordurinhas em poucas semanas. Mas, em geral, elas não são a melhor saída – é preciso muita cautela na hora de “correr atrás do prejuízo“ para que essa perda de peso não comprometa a saúde. Ainda que exista uma urgência em emagrecer, é preciso que as mudanças na dieta sejam feitas de forma equilibrada.

“Em geral, regimes radicais que proíbem determinados alimentos ou se restringem ao consumo de um único grupo não conferem uma perda de peso qualificada. Além de aumentarem o risco de uma carência nutricional, os quilos perdidos nem sempre correspondem à diminuição do percentual de gordura, mas sim, a perda de líquidos”, afirma Sinara.

Justamente por isso, muitas dietas famosas promovem uma perda de peso inicial que não se sustenta a longo prazo. “O grande problema é que dietas restritivas não podem ser seguidas por muito tempo. Em muitos casos elas até propiciam o efeito rebote – no qual se recupera todo peso perdido, ou até mais”, destaca a nutricionista.

Mas que fazer para acelerar a perda de peso sem colocar a saúde em risco? Como turbinar a dieta sem grandes sacrifícios? De acordo com a profissional da Nature Center, existem alimentos funcionais que podem fazer parte do plano de emagrecimento, acelerando o metabolismo e limpando o organismo. Veja o que está em alta neste verão – e certamente para o ano ou a vida inteira!

Derretendo as gorduras – o que está em alta

A palavra de ordem para eliminar os quilos indesejados, principalmente após os excessos do fim de ano que põem todo o  esforço de muita gente a perder,  é moderar a alimentação e adotar uma rotina de exercícios. Contudo, existem maneiras de acelerar este processo e fazer com que os resultados apareçam mais depressa, auxiliando até mesmo na motivação para seguir firme no objetivo.

Detox

Quando seguimos uma dieta desequilibrada, nosso corpo acumula diversas toxinas provenientes de conservantes, corantes, agrotóxicos, álcool, fumo e outros elementos que podem estar associados à alimentação. Todas essas impurezas acarretam em danos ao organismo, retardando o metabolismo, tornando a digestão mais lenta, prejudicando o trabalho do fígado e ainda propiciando a retenção de líquidos.

Processos inflamatórios, como o acúmulo de gordura subcutânea, o inchaço e até mesmo a celulites são consequências desse processo. Logo, iniciar a dieta focando na desintoxicação pode beneficiar as etapas seguintes do emagrecimento, renovando as energias, melhorando o metabolismo e ainda fortalecendo a imunidade.

O que incluir: Alimentos detox como couve, brócolis, limão, agrião, pepino e gengibre. “Um suco desintoxicante feito com esses ingredientes é uma ótima opção para iniciar o dia.” Diuréticos, esses alimentos aceleram a eliminação de toxinas e, algum deles, possuem até mesmo efeito termogênico.

O que evitar: O consumo alimentos industrializados, refrigerantes, doces e bebidas alcoólicas durante este período. “A dieta detox é uma aliada no processo de reeducação alimentar, logo, não faria sentido continuar com os velhos hábitos e esperar que ela sozinha surta efeito, é preciso moderação”. A nutricionista também alerta que este período de desintoxicação deve ser breve, de apenas algumas semanas, voltando à alimentação normal – porém saudável – após este período.

Termogênicos

Esses alimentos são conhecidos por estimular a termogênese, processo no qual o organismo mantém a temperatura corporal estável. Para tal, nosso corpo aciona mecanismos como sudorese, diurese e circulação – tarefas que demandam energia. O segredo dos termogênicos é, justamente, estimular este processo, acelerando o metabolismo, impulsionando a vasodilatação, intensificando a frequência cardíaca e propiciando um gasto calórico maior.

O que incluir: Alimentos como a cafeína, pimenta e gengibre aumentam a temperatura corporal e ativam o sistema de alerta do organismo, melhorando a disposição para os treinos e potencializando a queima de gorduras. O café verde, chá verde e chá preto são alternativas práticas e potentes.

O que evitar: É preciso cautela, pois os efeitos colaterais dos termogênicos podem ser nocivos a algumas pessoas. Além disso, por estimularem o sistema nervoso central, devem ser tomados preferencialmente pela manhã para não interferirem na qualidade do sono. É sempre bom ressaltar que o uso de suplementos de qualquer tipo deve ser sempre acompanhado por um nutricionista.

Funcionais ou super-alimentos

Em alta, esses alimentos ficaram famosos pela capacidade de oferecer benefícios à saúde além da nutrição. Conhecidos também como super-alimentos, alguns deles são capazes de aumentar a disposição, facilitar a digestão, melhorar a resposta imunológica, reduzir o colesterol e combater processos inflamatórios, dentre eles, o acúmulo de gorduras.

O que incluir: Berries como o Goji Berry, cranberry e mirtilo são nutritivas e possuem propriedades antioxidantes. Essas frutinhas podem, inclusive, compor um suco vermelho de fácil inclusão na dieta até nos dias mais quentes. Óleos funcionais como o de cártamo, de chia e de coco também têm lugar na dieta. E para reduzir a vontade de comer doces, aposte no picolinato de cromo.

O que evitar: Tentar seguir uma dieta pouco acessível. O ideal é combinar alimentos funcionais com a dieta tradicional. “Incluir algumas bagas de goji no iogurte natural, polvilhar chia sobre a salada, acrescentar a linhaça na massa da tapioca são alguns truques para tornar a dieta sustentável em longo prazo. Não apenas para caber no bolso, mas também para agradar o paladar”, aconselha a nutricionista.

O que nunca sai de moda

Entra verão, sai verão e alguns hábitos nunca saem de moda quando o assunto é emagrecer. Independentemente da estratégia utilizada, esses passos são obrigatórios para aqueles que desejam perder peso e, principalmente, manter.

Exercício físico: Você sabia que cerca de 80% do nosso gasto calórico está ligado a fatores nos quais não podemos interferir? Aspectos como sexo, idade e até mesmo genética determinam, em geral, a capacidade de o nosso organismo gastar calorias. Contudo, os outros 20% que restam nessa conta sofrem influência direta de fatores externos, que podem ser utilizados a nosso favor na hora de perder peso. Dentre eles, o exercício físico é um dos poucos meios que temos para acelerar naturalmente o metabolismo e aumentar a queima calórica. Portanto, fugir do sedentarismo é fundamental para a perda e manutenção do peso.

Reeducação alimentar: De nada adianta passar fome para perder peso e pouco tempo depois recuperar todos os quilos eliminados. A palavra de ordem para quem quer emagrecer e manter a boa forma é aprender a alimentar-se adequadamente, com moderação e qualidade. Investir na mudança de hábitos e encarar uma dieta saudável são os primeiros passos para a transformação definitiva da silhueta.

Dicas quentíssimas

– Aproveite: a fome tende a diminuir no verão. Portanto, aposte nos pratos leves e coloridos, saladas, lanches naturais e sucos funcionais. Porém, nunca pule refeições, alimente-se a cada três horas e opte sempre por alimentos saudáveis;

– Não gosta de academia? O horário de verão e o clima agradável tornam a estação mais convidativa para atividades ao ar livre. Aproveite para andar de bicicleta, descer um ponto antes do trabalho ou simplesmente caminhar pelo parque. Atenção apenas aos horários em virtude do sol e dos raios ultravioletas.

– Hidrate-se bem: água é fundamental para eliminar as impurezas do organismo. Contudo, preste atenção às escolhas: troque o refrigerante pela água de coco, sucos funcionais ou até mesmo pelo chá verde gelado. Mas lembre-se: preferencialmente sem açúcar.

– Devagar e sempre: não tenha pressa para alcançar seu peso desejado. Lembre-se que seu organismo levou um tempo para acumular os quilinhos extras e, igualmente, precisará de um tempo para perdê-los. O importante é manter-se motivado e focar na saúde antes de tudo.

– Consulte sempre um profissional de saúde para te auxiliar nas escolhas da dieta. Somente um nutricionista será capaz de orientar adequadamente as mudanças no cardápio e recomendar a suplementação, caso necessário.

Fonte: Nature Center, com redação

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!