Dá para comprar felicidade e viver sempre alegre e saudável?

Na peça ‘Felicidade à Venda’, família de artistas arranca risadas com busca por fórmulas milagrosas de saúde e felicidade

A Família Dacosta busca fórmulas milagrosas em busca da felicidade (Fotos: Júlia Morais)
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Dizem que ‘felicidade não tem preço’. Outros falam que tem sim e que é muito melhor sofrer em Paris do que ser feliz em Bangu, bairro da zona oeste carioca que ferve neste verão. ‘Felicidade à Venda’  traz uma debochada reflexão sobre o lado ridículo da felicidade burguesa contemporânea. A peça aborda uma família real de artistas e seus conceitos de sucesso, satisfação e bem-estar e suas fórmulas de felicidade, sejam elas encontradas em farmácias, shoppings ou roteiros de viagens.

Em cartaz às sextas, sábados e domingos, até dia 4 de fevereiro, no teatro do Centro Cultural Justiça Federal, no Rio de Janeiro – Felicidade à Venda é um espetáculo irônico e provocativo da família Dacosta. No palco estão Alexandre Dacosta, Lucila de Assis e Dora de Assis, pai, mãe e filha também na vida real. Uma família oficial e real de artistas cariocas enlaçados pelo humor. Artistas que, pela primeira vez na História do Brasil, estão juntos em cartaz na cidade.

Dirigida por Natasha Corbelino, a dramaturgia é do próprio elenco, uma família de atores autores, que utiliza a metalinguagem para abordar o universo complexo das relações familiares na busca da felicidade. Eles apresentam a cena performativa musical de uma família branca burguesa promovendo a ideia de que a alegria é um estado de satisfação que pode ser seu.

“Onde estão nossas saúdes? É como uma exposição familiar. Mãe, pai e filha são peças de uma peça de convivência. O palco vira o espaço íntimo onde essa bela família branca troca experiências sobre sucesso, bem-estar e satisfação pessoal. Tudo com humor, ironia e música”, diz Natasha Corbelino.

A partir de suas próprias vivências, a família de atores fala das receitas de felicidade vendidas pela sociedade capitalista. A peça conta também com números musicais curtos, que trazem à memória famosas propagandas e jingles de remédios. As letras são de Alexandre Dacosta.

“É uma reflexão cômica em torno do marketing da venda de simulacros de felicidade, de como o mercado manipula o nosso desejo para nos tornar consumidores de fórmulas de sucesso, alegria e bem-estar”, explica Dora de Assis.

E você, a que preço quer ser feliz? Pergunte-nos como. No verão do Rio 40 e tantos graus – e sensação térmica de 60° à sombra -, ‘Felicidade à Venda’ é no mínimo ar-condicionado garantido ou seu dinheiro de volta!

QUEM SÃO

Alexandre Dacosta

Artista visual, músico, compositor, cineasta, ator e poeta. Advindo da Geração 80, realizou 17 exposições individuais, RJ/SP/PE e Montevideo (Uruguai), e mais de 100 coletivas no Brasil e exterior. Recebeu dois prêmios de pintura: IBEU (1985) e Secretária de Cultura no XVIII Salão de Belo Horizonte MG (1986). Como cantor, músico e compositor, faz trilhas sonoras para filmes, peças de teatro e gravou o álbum “Antimatéria” (Universal Music/Agracadabra, 2017) com 13 canções autorais e o CD Livro “ADJETOS” (Editora 7 Letras, 2011) com 18 canções para esculturas. Como diretor e roteirista produziu os documentários de longa metragem “A Sobrancelha é o Bigode do Olho” e o autodoc “Akangatumirimusika”, 14 filmes de curta-metragem (seis ficções, três documentários, cinco experimentais), recebendo 11 prêmios em festivais. Como ator foi protagonista de cinco longas metragens, 10 curtas, participou de mais de 40 filmes, 17 peças de teatro e musicais, seriados, minisséries e novelas. Como poeta lançou o e-Book “Autopoese” (Editora Lacre, 2017), o livreto “Memória do Vidro” (Edição do Autor, 2016) e o livro “[tecnopoética]” (Editora 7 Letras, 2011). Desenvolve a arte sonora “Rádio Varejo” e participa de revistas, antologias e saraus de poesias.

Dora de Assis

Tem 26 anos, é formada em Artes Visuais pela UERJ e faz a Licenciatura em Artes Cênicas pelo Célia Helena. Seus últimos trabalhos no cinema foram em “Adeus, Verão!”, de Diego de Jesus, com estreia prevista para 2024; “O Turista Aprendiz”, de Murilo Salles, 2023; e “Mate-me Por Favor”, de Anita Rocha da Silveira, 2015. Em TV, atuou em “Malhação – Toda Forma de Amar”, como a Raíssa, em 2019, Rede Globo.

Lucília de Assis

Jornalista, atriz e roteirista. Indicada ao prêmio Shell pelo texto do espetáculo “Não Peça”. Junto com Alexandre Dacosta, criou a “Dupla-Sucesso Claymara Borges & Heurico Fidélis”, com quem gravou como cantora e compositora o CD “Cascata de Sucessos”. Desde 1998, faz parte do grupo de humor O Grelo Falante. Com o Grelo lançou os livros “Tapa de humor não dói – A hora e a vez das mulheres gozarem”, pela Editora Objetiva; e “Tomaladacá – O grande livro das relações”, “Livro de Bolsa – Minutos de ignorância” e “Coisa de Mulher”, pela Editora Imago; criou e redigiu “Garotas do Programa”, para a TV Globo. Roteirizou e atuou no filme “Coisa de Mulher”. Escreveu e dirigiu a peça “Mau Humor”. Atuou e produziu a peça “Antessala”, com direção de Guida Vianna. De 2012 a 2017, redigiu e apresentou o programa ao vivo O Grelo Falante, na Rádio Roquete-Pinto, 94.1 FM.

SERVIÇO

Espetáculo: Felicidade à Venda
Datas: 12,13,14,19,20,21, 26, 27 e 28 de janeiro e 2, 3, 4 de fevereiro de 2024
Horário: sextas e sábados às 19h e domingos às 18h
Local: Teatro do Centro Cultural da Justiça Federal
Endereço: Av. Rio Branco, 241 – Centro – Rio de Janeiro
Classificação etária: 16 anos
Ingresso: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia)
Duração: 60 min.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!