Com Covid sob controle, foco do Rio agora é no mosquito

Município reforça prevenção e controle das arboviroses transmitidas pelo Aedes aegypti (dengue, zika e chikungunya)

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Com dados epidemiológicos da Covid-19 em baixa, o município do Rio de Janeiro decidiu voltar suas atenções para um velho conhecido: o mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya. Para reforçar a prevenção e controle das arboviroses transmitidas pelo mosquito. mais de 1,4 milhão de imóveis já foram inspecionados este ano pelos agentes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS-Rio).

“Os últimos dois anos foram muito difíceis para a Secretaria Municipal de Saúde. Os profissionais precisaram mudar muito suas características de trabalho, as pessoas tinham medo de nos deixar entrar nas suas casas e levar covid-19. Todos ficaram assustados e nós também”, disse o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz.

Agentes de saúde visitam residências e logradouros públicos para identificar focos do mosquito (Foto: Ascom SMS-Rio)

Segundo ele, tudo isso só serviu para mostrar ainda mais a força do SUS e o quanto é relevante o trabalho de prevenção. “É muito importante poder retomar ações como essas e voltar a cuidar também das outras questões de saúde pública, como a prevenção das arboviroses”, disse ele, que acompanhou o trabalho dos agentes nesta quinta-feira (10).

As ações da SMS-Rio para controle do Aedes aegypti ocorrem durante todo o ano, sendo reforçadas no verão, quando a combinação de chuvas e calor favorece o surgimento de criadouros do mosquito. Desde o início do ano, as equipes de vigilância ambiental em saúde já realizaram mais de 1,4 milhão de visitas em imóveis, com mais de 200 mil criadouros de mosquito eliminados.

Em todo o ano de 2021, foram registrados 932 casos de dengue no município, sendo 51 no mês de janeiro, contra os 17 casos registrados em janeiro deste ano. Os dados epidemiológicos completos por área programática, mês e semana epidemiológica de início de sintomas estão disponíveis em: https://saude.prefeitura.rio/dengue-dados-epidemiologicos/

Ações começaram esta semana em bairros

Irajá, Realengo e Humaitá já receberam as equipes de saúde nos últimos dias. a SMS realizou, na manhã desta quinta-feira (10), ações nos bairros do Grajaú e de Vigário Geral. Além de orientar os moradores sobre as formas de prevenção, as equipes realizaram visitas em imóveis e logradouros para buscar e eliminar possíveis focos do mosquito.

Nas ações desta quinta-feira, em parceria com as subprefeituras da Grande Tijuca e da Zona Norte, a Coordenação de Atenção Primária e lideranças comunitárias, os agentes de vigilância em saúde visitaram 1.323 imóveis nos dois bairros e eliminaram quatro focos de mosquito. Além disso, foram removidos materiais que poderiam servir de criadouros do vetor.

Outras ações de saúde, como vacinação contra a covid-19 e estandes educativos com materiais de apoio para tirar dúvidas da população sobre os cuidados necessários para evitar a presença do Aedes aegypti, também foram oferecidas. Ao todo, 250 profissionais participaram das atividades.

Nas próximas semanas, outras mobilizações semelhantes serão realizadas em diferentes regiões da cidade. Na próxima terça-feira (15), será realizada ação em Anchieta; na quarta (16), na Saúde; na quinta (17), em Itanhangá; e na sexta (18), em Sepetiba.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!