Calor extremo no Rio: estudante morre em show de Taylor Swift

Com sensação térmica de 60 graus em estádio, cerca de 1 mil pessoas desmaiaram. Abaixo-assinado propõe lei para distribuição de água em shows

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Descaso, omissão, ganância ou tragédia anunciada? Em meio a temperatura de 42 graus, com sensação térmica beirando os 60 no Estádio Olímpico Nilton Santos, o Engenhão, no Rio de Janeiro, a cantora norte-americana Taylor Swift iniciou nesta sexta-feira (17), a sua esperada turnê pelo Brasil. Mas a estreia de um dos shows mais aguardados do ano, que reuniu mais de 60 mil pessoas e tinha ingressos vendidos a mais de R$ 1 mil, foi marcada por uma tragédia causada, muito provavelmente, pelo calor extremo. Mais de mil pessoas desmaiaram e a estudante universitária Ana Clara Benevides Machado, de 23 anos, acabou morrendo.

O caso provocou uma enorme comoção nas redes sociais e levou diversas autoridades a se manifestarem. Inúmeros relatos nas redes sociais davam conta que a produção do show proibiu os fãs de entrarem no estádio com suas próprias garrafas d´água e, dentro do Engenhão, o copo de água era vendido a preços entre R$ 8 e R$ 10. Mesmo quem queria pagar, não conseguia porque os vendedores tinham dificuldades em transitar em meio à multidão.

Diversos fãs postaram protestos em relação à medida, o que revoltou muita gente na internet ao longo de todo o dia de sábado. Também circulam vídeos em que a cantora Taylor Swift pausou o show e pediu que algumas pessoas tivessem acesso à água.

“Eles precisam de água, bem ali. Estão segurando um telefone pra dizer isso. Desculpem, mas está muito calor, então se estão dizendo que precisam de água, eles realmente precisam. Temos que fazer chegar até eles”.

Ela desmaiou ‘do nada’, conta amiga

A jovem cursava Psicologia na Universidade Federal de Rondonópolis (UFR), no Mato Grosso, e veio ao Rio para assistir a ídola. Foi sua primeira viagem de avião. Segundo relatos de familiares e amigos na internet, ela chegou ao Engenhão às 11h para o show previsto para começar às 19h30. Ana Clara estava junto à grade da pista premium e chegou a assistir o início do show, mas já na segunda música desmaiou e teve uma parada cardiorrespiratória.

Ela foi socorrida por uma equipe médica que estava de prontidão no estádio. Durante manobras, os médicos conseguiram reanimar a jovem. Mas, a caminho do Hospital Municipal Salgado Filho, ela acabou tendo uma segunda parada respiratória e não resistiu.

Somente o laudo final da necropsia deverá revelar a causa da morte, mas segundo a análise inicial do Instituto Médico-Legal (IML), a jovem não apresentava sinais de qualquer doença infecto-contagiosa que pudesse causar o problema. O perito Reginaldo Franklin Pereira, que assina o laudo preliminar do IML, disse que é preciso se fazer exames laboratoriais e ainda detalhar o que aconteceu com Ana Clara antes de sua morte.

Ana Clara Benevides com a amiga, Daniele Menin, horas antes do show, já dentro do Engenhão (Foto: Reprodução do Instagram)

Amiga da universitária, a bióloga Daniele Menin, estava ao lado dela quando ela desmaiou “do nada”.

“Não falou nada. A gente estava chorando de emoção, de ver a Taylor, e aí ela caiu assim. O pessoal puxou (sic) ela para fora, a gente estava bem na grade, e aí eu pulei a grade e a gente foi correndo para o postinho de apoio deles ali”, disse Daniele ao G1.

“Eles atenderam ela ali no estádio mesmo. Já começaram a tentar reanimar ela ali. Aí eu entrei em desespero porque eu vi que era grave. E aí, chamaram ambulância ali e, pelo que eu entendi, ela teve uma outra parada ali mesmo na ambulância”, completou a amiga.

Segundo Daniele, Ana Clara estava muito feliz por poder ver de perto a sua ‘loirinha’. Nas redes sociais, a estudante postou um vídeo momentos antes do show – veja aqui.

Segundo show é adiado para segunda-feira (20)

Após sofrer muitas críticas nas redes sociais e vários posicionamentos de autoridades a respeito, a Time For Fun (T4F), decidiu adiar para segunda-feira (20/11, feriado da Consciência Negra), o novo show que a cantora faria neste sábado (18), no mesmo local. A decisão foi comunicada pela própria artista em sua conta no Instagram, quando já estaria no camarim, dentro do estádio, no bairro do Engenho de Dentro, Zona Norte do Rio. A justificativa da cantora foi a “temperatura extrema” registrada na cidade.

“Escrevo isso do meu camarim no estádio. A decisão tomada foi por adiar o show de hoje devido às temperaturas extremas no Rio. A segurança e bem-estar dos meus fãs, artistas e equipe devem ser e sempre deverão vir em primeiro lugar”, escreveu Taylor.

Taylor Swift adia segundo show no Rio por causa das altas temperaturas. Foto: stories/taylor swift
Taylor Swift adia segundo show no Rio por causa das altas temperaturas. (Foto: Instagram Taylor Swift)

A Ticket For Fun confirmou, em seu site oficial que o show deste sábado foi reagendado para a próxima segunda-feira (20). O show deste domingo (19) está mantido. O comunicado diz ainda que todos os ingressos para a apresentação de hoje permanecerão válidos para a nova data.

O Procon-RJ orienta os consumidores sobre seus direitos em decorrência da suspensão da apresentação. Aqueles que tiveram despesas com hospedagem, transporte ou pacotes de viagens relativos ao show e ingressarem no Procon-RJ terão seus casos analisados individualmente.

Os fãs que desejarem participar do espetáculo na nova data poderão assistir ao show sem que haja qualquer cobrança de valores adicionais. Já os consumidores que não desejarem ou não puderem comparecer no novo dia, têm o direito a receber o valor total pago pelo ingresso.
Caso o consumidor encontre alguma dificuldade de solução perante o fornecedor,  poderá procurar o Procon-RJ em qualquer dos canais de atendimento,  que podem ser consultados em www.procon.rj.gov.br.

Produtora permite entrada de água para novos shows

Em novo comunicado, a TF4 também voltou atrás e decidiu permitir a entrada de garrafas de água de plástico flexível, copos de água lacrados e alimentos industrializados lacrados, sem limitação de itens por pessoa – garrafas térmicas, de alumínio, metal ou de vidro continuam proibidas.

“Esclarecemos que a exigência dos itens serem lacrados segue recomendações de segurança. Também ressaltamos que a proibição de entrada de garrafas de água em estádios é uma exigência feita por órgãos públicos e que não realizamos a comercialização de bebidas e alimentos, sendo essa uma atribuição da administração do estádio”, diz a nota.

Ainda segundo a produtora, o efetivo de serviços foi reforçado. Cerca de 200 colaboradores extras irão se somar aos 1.230 profissionais que estão trabalhando no evento desde o início entre seguranças, brigadistas, orientadores de público e outros. Além disso, a estrutura de atendimento médico foi reforçada, totalizando 8 postos médicos disponíveis, 8 ambulâncias e 8 UTIs móveis.

A empresa, entretabto, não divulgou balanço sobre o total de atendimentos médicos realizados, e não se pronunciou sobre as críticas de fãs ou mesmo sobre a determinação do ministro da Justiça para que seja apurado se houve restrição ao acesso à água dentro do Engenhão. O Corpo de Bombeiros diz que a empresa cumpriu todas as exigências relacionadas às condições de segurança contra incêndio e pânico. “As ocorrências médicas ficaram a cargo da produção do evento”, dizem os bombeiros.

Autoridades cobram medidas urgentes

O caso está sob investigação pela Polícia Civil do Rio de Janeiro e uma série de medidas foi tomada depois da morte de Ana. O governador do Rio, Claudio Castro, anunciou que o Procon investigará as denúncias e determinou uma operação especial no entorno do estádio para levar água aos fãs que aguardavam o show, previsto para a noite deste sábado, além de reforçar a estrutura de atendimento médico.

Já o prefeito do Rio, Eduardo Paes,  informou que  determinou antecipação da entrada ao estádio em uma hora, além do aumento de pontos de distribuição de água, e também no número de brigadistas e ambulâncias. Nas redes sociais, Paes classificou a morte da  jovem como “inaceitável” e afirmou que ainda estão apurando os detalhes da morte.

A Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro (DPRJ) informou que ingressou com um pedido de liminar, no início da tarde deste sábado (18), para obrigar a empresa T4F, organizadora dos shows de Taylor Swift, a fornecer água para os fãs que irão assistir às novas apresentações da cantora, previstas para sábado e domingo, no Engenhão, sob pena de multa de pelo menos R$ 100 mil.

O Ministério Público do Rio de Janeiro também emitiu uma nota na tarde deste sábado (18), informando que o procurador-geral de Justiça, Luciano Mattos, conversou com o prefeito Eduardo Paes e determinou que a empresa responsável pela organização do show seja acionada para a “tomada de medidas de prevenção urgentes”.

O Ministério Público Federal também afirmou que vai investigar a conduta da TF4 durante a produção dos shows da cantora Taylor Swift no Brasil. A investigação irá apurar se a produtora agiu ou não para impedir a morte de Ana Benevides. A investigação ocorre a pedido da deputada federal Sâmia Bonfim (PSOL-SP), que enviou ofício pedindo a responsabilização e investigação da empresa mediante denúncias de omissão no caso.

Neste sábado (18), o ministro da Justiça, Flávio Dino, determinou que a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) adote medidas imediatas para exigir que os eventos garantam segurança à saúde dos consumidores, incluindo acesso à água. Na rede social X, antigo Twitter, Dino mencionou denúncias de “vedação ou ausência de disponibilidade de água”, e lembrou que o Brasil enfrenta uma “imensa onda de calor”.

A Secretaria Nacional do Consumidor determinou que empresas sejam obrigadas a permitir que o público entre em eventos e shows com garradas de água. A determinação passa a valer para o segundo show de Taylor Swift, neste domingo.

‘Lei Benevides’: abaixo-assinado cobra água de graça em grandes shows

Enquanto isso, a sociedade civil organizada também se mobiliza pelas redes sociais. Um abaixo-assinado começou a circular na internet logo após a morte da jovem fã e já tem mais de 100 mil assinaturas. O documento foi criado na plataforma digital Change.Org e pede para água potável gratuita em todos os shows no Brasil (veja o link para assinar).

“Em um dos eventos mais aguardados deste ano, vimos uma fatalidade acontecer diante dos nossos olhos por pura negligência. Os consumidores do Brasil estão esgotados de serem desrespeitados por empresas milionárias que não se preocupam com o consumidor”, argumentou Giuliana Maestrini, que abriu o abaixo-assinado.

Ela propõe uma ampla campanha pela aprovação da chamada ‘Lei Ana Benevides’, que garantirá a distribuição gratuita de água em eventos. Giuliana também criticou a produção do show.

O setor de eventos se sente envergonhado com a falta de responsabilidade da empresa responsável pelo evento de hoje e gostaria que haja mudança para que uma fatalidade dessas não ocorra novamente”, diz ela, no abaixo-assinado.

Confira nosso Especial Onda de Calor

Defensoria Pública move ação para garantir acesso à água em show

A ação da Defensoria Pública foi movida pelo Núcleo de Defesa do Consumidor (Nudecon) junto ao plantão judiciário da capital e pede que a empresa disponibilize pontos de distribuição, hidratação e abastecimento de água em quantidade adequada para o público. O Nudecon também requer que a T4F seja proibida de impedir o acesso dos fãs com garrafas plásticas de água para consumo próprio. E argumenta que o valor da garrafa d’água cobrada pela empresa no estádio era exorbitante.

“O valor era exacerbado para pessoas hipossuficientes economicamente, que juntaram todas as suas economias para conseguir acesso ao ingresso e poder assistir a artista. Estas pessoas não têm, portanto, acesso à compra de água e alimentos dentro do evento”, argumenta o Nudecon.

No pedido de liminar, a Defensoria ressaltou que a Lei Estadual nº 2424/95 obriga bares, restaurantes e estabelecimentos similares a servirem água de forma gratuita — o que não foi observado no primeiro show. A ação solicita que o cumprimento da liminar, caso deferida, seja acompanhada por um oficial de justiça, e que a não observância a decisão judicial pela empresa esteja sujeita a multa de, no mínimo, R$ 100 mil.

O coordenador do Nudecon, Eduardo Chow De Martino Tostes, diz que “a água é um bem primário, sem o qual a pessoa não pode viver. Impedir a entrada de milhares de consumidores com suas garrafas de água, em uma situação de calor extremo, para a simples finalidade de lucrar mais com a venda de água, é uma conduta ilícita e que deve ser combatida por todos os órgãos públicos”.

Ministério Público do Rio apura responsabilidades

A denúncia no Ministério Público foi recebida pela Assessoria de Grandes Eventos e o caso foi enviado com urgência para a 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Consumidor para a adoção de providências. De acordo com a nota, a apuração criminal será acompanhada por uma das Promotorias de Justiça de Investigação Penal, a partir do registro de ocorrência junto à delegacia de polícia da área.

“Já há informação de que o corpo está sendo periciado. O MP contará com promotores de Justiça de plantão durante o fim de semana no estádio Nilton Santos para fiscalização das medidas que busquem evitar novos problemas e garantir a proteção da saúde do público presente”, diz o texto.

“Medidas de prevenção urgentes, sempre depois que a casa cai. Sempre depois que acontece a tragédia. Essas medidas tinham que ter sido tomadas, no mínimo, 72 horas antes do primeiro show. Como sempre, não existem “medidas de prevenção”. Primeiro, acontece a tragédia. Depois, pensam que medidas de prevenção poderiam ter sido tomadas”, criticou a servidora pública Céumar Turano.

Produtora de Taylor Swift lamenta, mas não propõe solução

Show de Taylor Swift no Rio abre The Eras Tour, sua turnê no Brasil, com 60 mil pessoas no Estádio Nilton Santos (Foto: Reprodução do Instagram)

A cantora também se manifestou sobre a morte da estudante no Instagram. Ela se disse “devastada” com o ocorrido e afirmou que esta seria a última coisa que ela pensaria quando decidiu trazer a turnê ao Brasil. Também pelo instagram, na manhã de sábado, a Time For Fun (T4F), organizadora da turnê The Eras, emitiu um comunicado em suas redes sociais, lamentando a morte da fã e informando que ela morreu “após quase uma hora de atendimento emergencial”.

“E com muita tristeza que informamos o falecimento de Ana Clara Benevides Machado, 23 anos. Na noite de ontem, Ana Clara se sentiu mal e foi prontamente atendida pela equipe de brigadistas e paramédicos, sendo encaminhada ao posto médico do Estádio Nilton Santos para o protocolo de primeiros socorros. Diante do quadro, a equipe médica optou pela transferência ao Hospital Salgado Filho, onde, após quase uma hora de atendimento emergencial, infelizmente veio a óbito. Aos familiares e amigos de Ana Clara Benevides Machado, nossos sinceros sentimentos”, diz o comunicado.

O pronunciamento da produtora também provocou uma avalanche de críticas nas redes sociais, já que a nota não propunha medidas a serem adotadas nos próximos shows de Taylor Swift no país para evitar uma nova tragédia.

Natural do Mato Grosso do Sul, a estudante de 23 anos Ana Clara Benevides cursava Psicologia na UFMS (Foto: Reprodução do Instagram)

“Não liberar água de casa com 60° graus de sensação térmica Irresponsabilidade. Descaso. Mudem essas regras para os outros shows! Ainda dá tempo de remediar novas tragédias. É um absurdo o que aconteceu. Além da ventilação do estádio estar FECHADA. Mudem!” Essa política de vocês só desvaloriza a vida da fã, tão jovem, que faleceu nas mãos de vocês. Esse é um show repleto de famílias, de crianças e essa é a postura? Lamentável”, escreveu uma fã.

Estado leva água para refrescar e abastecer fãs

Ações do Governo do Estado para o show da Taylor Swift (Fotos: Rafael Campos

Mais de 210 agentes do Governo do Estado do Rio de Janeiro trabalharam neste sábado (18), no entorno do Engenhão, até o anúncio do cancelamento do show da cantora Taylor Swift. A operação conjunta, com 130 agentes da Operação Lei Seca e do Programa Segurança Presente, além do Corpo de Bombeiros e os aguadeiros da Cedae, foi determinada pelo governador Cláudio Castro, “devido às altas temperaturas registradas na capital”, informou a nota.

“Além do emprego de mil agentes de segurança ao longo dos três dias de evento, contamos com o reforço de equipes multidisciplinares do Governo do Estado para o melhor atendimento à nossa população e também aos visitantes que vieram ao nosso estado para acompanhar este grande show. Reforçamos o pedido à população que se hidrate e alimente nesses dias de forte calor, pois enfrentaremos dias atípicos, de temperaturas mais elevadas”, orientou o governador.

Foram distribuídas gratuitamente 16 mil garrafas d’água gelada e a atuação de 60 bombonas, com a capacidade de cada uma reservar 10 litros. O Corpo de Bombeiros também destinou 20 viaturas e 80 bombeiros que ativaram mangueiras de seis caminhões, com a capacidade de lançar 4 mil litros de jato de água por minuto, espalhados pelos quatro setores do Engenhão, para refrescar os fãs que aguardavam na fila do evento, sob forte calor e sol escaldante.

A ação vai continuar neste domingo, quando está prevista outra apresentação da artista. Os aguadeiros da Cedae, profissionais conhecidos por distribuir água em grandes eventos, vão servir água em copos biodegradáveis, mas as pessoas também poderão levar suas garrafinhas para serem enchidas pelos aguadeiros. Segundo o Governo do Estado, a iniciativa dá continuidade à distribuição de água que aconteceu na quinta (16) e na sexta-feira (17) no Largo da Carioca, Central do Brasil e Madureira.

O Procon do Estado também foi até o show verificar denúncias sobre a questão do acesso com garrafas de água ao estádio e a instalação de tapumes que podem estar impedindo a ventilação dentro do Engenhão.  O órgão abriu imediata apuração, junto à organização do evento, sobre os motivos da restrição da entrada com água no estádio. O Procon-RJ ainda oficiou a empresa organizadora para instalar mais bebedouros dentro do Engenhão e, principalmente, a permitir o acesso de garrafas de plástico vazias, sem tampa, para servir de refil.

A Secretaria de Estado de Saúde informou que também disponibilizou cinco equipamentos para o show no Engenhão: duas ambulâncias intermediárias do SAMU-RJ, cada uma com uma dupla de motolâncias, além de uma ambulância avançada para reforçar o atendimento na UPA Engenho Novo, que fica próxima ao estádio.

Santuário do Cristo Redentor se solidariza

Em nota, o Santuário Arquidiocesano Cristo Redentor se solidarizou com a família e os amigos da jovem Ana Clara Benevides Machado. Na noite de quinta-feira (16), foi realizada uma projeção mapeada no monumento com uma mensagem de boas-vindas à cantora Taylor Swift.

“A morte é uma realidade que chega de modo inesperado, mas a fé de que o Cristo Redentor sempre nos acolhe de braços abertos concede-nos a paz, o consolo e a esperança. O Santuário Cristo Redentor, assim como sempre acolhe todos os visitantes que chegam ao Rio de Janeiro, neste dia, reza a Deus pela vida da Ana. Que o Redentor a acolha em seus braços, console os familiares e amigos e abençoe todos”, diz o texto.

Inspirado no show, o Santuário do Cristo Redentor realiza a Gincana #TaylorNoCristo, que tem como objetivo sensibilizar e mobilizar a sociedade contra a pobreza e a exclusão social. A meta inicial de R$ 180 mil em doações foi batida na última quinta-feira (16), permitindo a compra de 20 mil unidades de panetone e água mineral.

A pedido dos fãs, a campanha prossegue até este domingo (19), quando se comemora o Dia Mundial dos Pobres, instituído pelo Papa Francisco. Todos podem participar doando um Kit (panetone + água) a partir de R$ 15,00, no site da Kickante. Com este desafio, mais de 120 instituições sociais apoiadas pelo Santuário e milhares de pessoas em situação de rua  estão sendo beneficiadas. 

“Resgatamos o sentido de gincana como método nobre e didático. Jovem gosta de  desafio. Por isso, direcionamos a energia dos fãs para fazer o bem. Isso pode ser  replicado e será! É mobilização solidária, o Cristo Redentor descendo a montanha do  Corcovado para impactar a sociedade”, disse o  reitor do Santuário, Padre Omar.

Na noite de quinta-feira, começaram as entregas das doações pela equipe do Santuário junto a três fãs  da cantora em dois pontos do Centro do Rio de Janeiro, Praça da Cruz Vermelha e Arcos  da Lapa, para a população em situação de rua. Em paralelo, o Santuário Cristo Redentor, até o final do ano, está promovendo uma  campanha de arrecadação de panetones para tornar o Natal especial para muitas famílias. 

Calor no Rio bate recorde

Assim como várias cidades do país, o Rio de Janeiro enfrenta uma forte onda de calor. O pico do fenômeno está previsto para este sábado, com os termômetros na casa dos 42 graus e sensação térmica superior aos 50 graus. As temperaturas podem chegar a 40°C no fim de semana, conforme informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Estão previstas pancadas de chuva no fim do dia, no sábado, mas o calorão deve permanecer. Durante a semana, a sensação térmica ultrapassou os 50 graus em vários pontos da cidade.

Com informações da Agência Brasil, Folha de S. Paulo, MP-RJ e Santuário do Cristo Redentor (atualizado em 18/11/2023, às 20h17)

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!