Atividade física é fundamental à saúde: que tal uma caminhada?

Pista Claudio Coutinho, na Urca, é opção para cariocas e visitantes. Educador físico e médicos destacam benefícios da atividade física

Cercada entre o mar e a montanha, em meio a muito verde, Pista Cláudio Coutinho é ideal para caminhadas e permite vista deslumbrante do Rio (Foto: Rosayne Macedo)
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Dia Nacional da Saúde, celebrado neste sábado, 5 de agosto, conscientiza sobre a importância de se ter um estilo de vida mais saudável. E o primeiro passo para isso é romper com o sedentarismo – que atinge metade dos brasileiros – e incluir a atividade física na rotina. Afinal, praticar exercícios físicos regularmente é um medicamento natural, como apontam os médicos, tanto para a saúde do corpo quanto para a mente. E que tal começar com a caminhada ao ar livre – um exercício de baixo impacto, sem restrição de idade e o melhor – de graça?

No Rio de Janeiro, não faltam espaços para isso. Seja em praças, parques, jardins ou praças públicas. Uma das opções é a Pista Claudio Coutinho, na Praia Vermelha, muito frequentada diariamente por cariocas e visitantes porque fica bem ali pertinho da entrada do Bondinho do Pão de Açúcar.

Estive lá dia desses, em uma das minhas ‘caminhoterapias’, acompanhada da amiga Rose Ruas – sim, porque atividade física acompanhada é ainda melhor, como diz uma nova pesquisa da USP.

A jornalista Rosayne Macedo, editora do Portal ViDA & Ação, em sua ‘caminhoterapia’ pela Pista Claudio Coutinho (Foto: Rose Ruas)

A pista leva este nome em homenagem ao ex-treinador da seleção brasileira de futebol, do mundial de 1978.  Também conhecida como Caminho do Bem-te-Vi e Estrada do Costão, a pista tem 1,25 km de extensão, toda em asfalto com trajeto entre encostas rochosas e mar.

 

A pista pode ser percorrida sem esforço por pessoas de todas as idades. O local é bastante limpo, preservado e, sobretudo, seguro – um requisito importante no Rio de Janeiro, já que a área é mantida pelo Exército, que detém uma base ali próximo. E o melhor: não tem custo algum.

Além da vista deslumbrante para o mar e da natureza exuberante pela variedade de espécies de Mata Atlântica, é possível apreciar micos simpáticos circulando em meio à vegetação abundante. E eles ainda posam para fotos! Mas atenção, “não alimente o mico’, como diz uma placa bem grande instalada no local.
Cercada pelo mar e as encostas rochosas, em meio a muito verde, a Pista Claudio Coutinho é trilha fácil para pedestres (Foto: Rosayne Macedo)
É a partir da Pista Cláudio Coutinho que muitos aventureiros e esportistas mais experientes escalam o Morro da Urca ou, quem não deseja tanto esforço, pega a trilha mais tranquila que sobe até o topo.
Uma placa informa o desvio à esquerda para a trilha com 900 metros, que pode ser percorrida em torno de 40 minutos de caminhada e um pouco íngreme. No topo do Morro da Urca, o visitante pode comprar ingresso w voltar de Bondinho ou descer de volta pela trilha à Praia Vermelha.

Mas lembre-se: o local só é aberto a pedestres e não permite bicicletas, patins ou skate. Agora fica a dica: não existe banheiro ao longo da via, nem local para comprar água. Portanto, o ideal é levar sua garrafinha e evitar fazer necessidades na mata durante o percurso, para manter o local limpo e preservado.

A servidora federal Rose Ruas, de férias, aproveitando o passeio pela Pista Cláudio Coutinho (Foto: Rosayne Macedo)

E, claro, se levar algum lanche para consumir num dos bancos de madeira espalhados ao longo da pista, não deixe de recolher seu lixo. Um repelente também pode ser útil para prevenir de picadas de mosquitos.

Levar um amigo junto ajuda na hora de fazer atividade física

Assim como praticar simples hábitos como uma caminhada ao ar livro, levar o cachorro para passear, andar de bicicleta e optar pela escada no lugar do elevador ou escada rolante, realizar exercícios na companhia de alguém pode ajudar a tornar a atividade mais prazerosa, diminuindo assim, o risco de desistência.

“Ninguém gosta de sair de casa para fazer algo sozinho, ainda mais se demandar esforço e dedicação. Nós (seres humanos) necessitamos de estímulo e companhia”, enfatiza o educador físico Guilherme Santana.

A fala de Guilherme encontra consonância com a Pesquisa da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP)da USP (Universidade de São Paulo), que mostra que assim como a falta de locais adequados e a distância e precariedade dos locais existentes, a falta de uma companhia desestimula a prática de exercícios físicos.

Nas metrópoles, entretanto, academias ao ar livre ou que funcionam 24 horas dentro de estações de metrô e condomínios hoje fazem parte da realidade de metrópoles. Para Guilherme, que atua como gerente da Bluefit Academia, unidade Shopping Estação Goiânia, esse aumento da oferta de espaços para fazer atividade física estimula que mais pessoas incluam o exercício físico em sua rotina.

“No nosso caso, que é ininterrupto, percebemos que o fluxo de alunos não para. Até de madrugada, tem gente vindo malhar e isto é positivo para a saúde“, diz.

Um remédio natural: benefícios à saúde como um todo

O cardiologista José Luiz da Silva Júnior, que atua em Goiânia (GO), destaca as vantagens proporcionadas pelos exercícios para a saúde cardiovascular. A atividade física diminui o risco de infarto, de AVC e de outras doenças cardiovasculares, mas os benefícios não param aí.

Alguns estudos relacionam a atividade física frequente com a prevenção do desenvolvimento de câncer. Além disso, o exercício físico ajuda na saúde dos ossos, na prevenção e tratamento da osteoporose, auxilia também no tratamento e prevenção de doenças crônicas como diabetes mellitus, a hipertensão arterial, e também a evitar o ganho de peso, sobrepeso e obesidade.

“E vejam só que maravilha: a atividade física é um medicamento. Se a gente for parar para pensar, que reduz o risco de mortalidade global, principalmente morte cardiovascular, e diminui o risco de desenvolver várias doenças, de vários órgãos do corpo, como câncer, como insônia, como depressão, como demência, diabetes, como colesterol alto, pressão alta e por aí vai e ainda é de graça”, resume o médico.

Sensação de bem-estar e auto-estima

Para além de garantir a saúde do corpo como estímulos ao sistema imunológico, promovendo níveis adequados de açúcar no sangue e ajudando no fortalecimento dos ossos, os exercícios e atividades físicas, se praticados com frequência, também resultam em benefícios para a mente como sensação de bem-estar e auto-estima, como pontua o educador físico Guilherme.

O médico também ressalta os benefícios para a saúde mental daqueles que estão em dia com os exercícios. “Além dos benefícios para o corpo, é comprovado que pessoas que realizam atividade física com regularidade têm menor risco de desenvolver transtorno de humor, como depressão, e ela também é fundamental no tratamento também de doenças psiquiátricas. A atividade física está relacionada também a doenças como demência e traz prevenção nesse tipo de enfermidade, como o Alzheimer, como exemplifica o médico.

Ele ainda salienta a importância de uma alimentação saudável, rica em cereais integrais, verduras, legumes e frutas, com baixo consumo de gorduras saturadas e sal. “É fundamental o baixíssimo consumo de produtos industrializados e processados. A gente deve, majoritariamente, consumir alimentos o mais in natura possível, quanto menos processado e modificado o alimento mais saudável ele é e maior deve ser a participação na nossa alimentação”.

Sedentarismo atinge 52% dos brasileiros

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a atividade física regular é a prática feita em intensidade no mínimo moderada, por 150 minutos semanais divididos em três a quatro dias da semana e que causam modificações na fisiologia do corpo humano, entre elas, sudorese, aumento dos batimentos cardíacos e da frequência respiratória. Para adolescentes, a recomendação é de 60 minutos diários de atividade física moderada a vigorosa.

Mas, infelizmente, hoje, boa parte dos brasileiros não pratica atividade física regularmente. De acordo com o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 47% dos brasileiros são sedentários, percentual que alcança os 84% no segmento dos jovens.

Outro estudo do Serviço Social da Indústria (Sesi), a partir de dados coletados em março de 2023 para a Pesquisa Saúde e Trabalho, divulgada no final de junho, mostrou que mais da metade (cerca de 52%) dos brasileiros em todas as idades não pratica atividades físicas. Entre as mulheres, 45% não realizaram nenhum exercício físico em 2023, enquanto entre os homens foram 32% que não fizeram exercícios.

De acordo com o levantamento, apenas 22% dos brasileiros se exercitam diariamente, 13% pelo menos três vezes por semana, 8% ao menos duas vezes por semana e 5% apenas uma vez por semana. Estes entrevistados avaliaram seu estado de saúde individual como muito bom ou regular.

Treino adaptado às condições físicas e rotina de cada um

Estes números, segundo o médico do Núcleo de Medicina do Exercício e Esporte do Hospital Sírio Libanês, Paulo Zogaib, se refletem em problemas de naturezas diversas na saúde da população.

“Pessoas que não praticam atividade física estão mais expostas à principal causa de morte no mundo, que são as doenças coronarianas, além de doenças degenerativas, como Alzheimer, envelhecimento precoce e vários tipos de câncer”, afirmou Zogaib. “O sedentarismo também aumenta a vulnerabilidade das pessoas a quadros mentais como estresse, ansiedade, depressão, síndrome do pânico e burnout”.

Segundo o especialista, a melhor forma de combater esses efeitos está na prática diária de exercícios físicos que estimulem tanto a capacidade aeróbica quanto a resistência e força muscular do indivíduo. Zogaib aponta ainda que, embora pareça desafiadora à primeira vista, esta transição do sedentarismo para o hábito de se exercitar todos os dias se torna factível quando o programa de treinamento é adaptado às condições físicas e à rotina de cada um.

“Quanto mais ativo, melhor. Não é necessário fazer programas de condicionamento longos, pois quando pensamos em saúde, não precisamos atingir o desempenho de atletas de alto rendimento. Nesses casos, as cargas são muito menores e podem ser distribuídas durante a semana toda, trazendo benefícios. Claro que, para evitar prejuízos, é importante se consultar, pelo menos uma vez, com um médico para checar se há alterações importantes que podem se manifestar sob o estresse do exercício”,  apontou Zogaib.

O educador físico Guilherme Santana explica que o ideal é fazer ao menos 30 minutos de atividade física diária como corrida, caminhada, futebol, natação e dança. Já a prática de exercícios físicos como ponte, agachamento, flexão de braço e abdominal, comuns na musculação, devem ser realizados de duas a três vezes por semana, com duração mínima de meia hora.

Com informações de assessorias e agências

Leia mais

Caminhada e corrida após os 40: benefícios e riscos às articulações
Atividade física traz benefícios para uma vida sexual mais saudável
Autocuidado: confira 5 dicas para equilibrar corpo e mente
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!