Atenção, alérgicos: cuidados especiais podem evitar crises

Médico esclarece dúvidas sobre os principais fatores de risco e cuidados para evitar a ocorrência de alergias respiratórias

O inverno é a época do ano em que as pessoas ficam mais propensas a sofrer com alergias respiratórias (Foto: Freepik)
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

As alergias podem ser de diversos tipos, sendo a asma e a rinite alérgica, as alergias respiratórias mais comuns. Estas alergias acometem o sistema respiratório (cavidades nasais, faringe, laringe, traqueia, brônquios, bronquíolos, alvéolos e pulmões) e são frequentemente desencadeadas por agentes que ficam dispersos no ar, como ácaros, poeira, mofo, epitélios de animais e o pólen.

Por conta do Dia Mundial da Alergia (8 de julho), data estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para conscientizar sobre os cuidados relacionados às alergias, o médico alergista e imunologista Diogo Costa Lacerda, do Hospital Edmundo Vasconcelos, explica alguns dos sintomas mais comuns nas alergias respiratórias e os melhores cuidados e tratamentos a serem tomados.

Sintomas

Entre os sintomas causados pelas alergias, muitos já são conhecidos pelos brasileiros. “Podemos encontrar principalmente espirros sequenciais, coriza abundante e clara, coceira no nariz, nos olhos, ouvido e garganta, além de obstrução nasal. Quando pensamos em uma alergia que afeta os pulmões, os sintomas podem ser crônicos e mais graves, como a falta de ar, chiados, sensação de aperto no peito, fadiga, respirações curtas e rápidas, tosse contínua e dificuldade para realização de atividades físicas”, detalha o especialista.

Fatores de risco

Lacerda relata que para o desenvolvimento das alergia é necessário uma predisposição genética associada a uma exposição a determinadas substâncias, identificadas pelo organismo, como estranhas. As principais reações ocorrem contra os componentes da poeira, pólens, alimentos, medicamentos ou até mesmo produtos químicos. “No entanto, é importante ressaltar que a presença desses genes, não garante o desenvolvimento de alergias, mas sim aumenta a suscetibilidade”, afirma.

Além disso, fatores ambientais também possuem um papel crucial para o desencadeamento das alergias. Os ácaros são os principais alérgenos domésticos e estão presentes em colchões, travesseiros, carpetes e estofados, além de roupas e cobertores guardados há muito tempo. O pólen, muito presente especialmente durante o período de polinização das flores na primavera, é um desses elementos.

Outros fatores como a poluição do ar, o estilo de vida e a dieta também podem contribuir. “Embora a herança genética seja um fator importante no desenvolvimento de alergias, a interação com fatores ambientais desempenha um papel crucial”, ressalta.

Além dos cuidados durante a primavera, o inverno também é uma estação que pode agravar os sintomas das alergias. Nesta época, o ar fica mais seco devido à baixa umidade relativa e ocorre um aumento da permanência em ambientes fechados.

Cuidados e prevenções

O médico do Hospital Edmundo Vasconcelos enaltece que diversos cuidados e atitudes preventivas podem ser tomados para reduzir a frequência das alergias.

É recomendável a lavagem nasal com soro fisiológico várias vezes ao dia, auxiliando na limpeza e hidratação das narinas, aliviando a secura e reduzindo a irritação. Diogo lembra que é importante seguir as instruções adequadas para a aplicação do soro fisiológico. “As principais medidas para reduzir a exposição aos ácaros incluem a lavagem frequente de roupas de cama e a manutenção da limpeza na casa”, garante.

Medicamentos

Diversos medicamentos podem ser utilizados, como: Anti-histamínicos, corticosteroides intranasais (usados para a rinite alérgica), corticoesteroides inalatórios e broncodilatadores (utilizados na asma),  corticosteroides orais (para o caso de alergias mais graves ou crises agudas), entre outros.

Vale lembrar que qualquer medicamento só deve ser utilizado após orientação médica. O alergologista explica que o tratamento das alergias é amplo e personalizado, levando em consideração o impacto na qualidade de vida de cada pessoa. Para o tratamento, podem ser adotadas medidas preventivas e medicamentosas a curto, médio ou longo prazo.

“Pacientes com sintomas leves e esporádicos, podem se beneficiar apenas de medicamentos para crises. Por outro lado, aqueles com sintomas mais graves e crônicos podem necessitar de um tratamento prolongado. É importante manter acompanhamento médico para ajustar as doses e determinar a duração adequada do tratamento”, informa.

Cuidados que os alérgicos devem ter em casa

– Proteja a cama com capas de proteção para colchões e travesseiros para evitar o acúmulo de ácaros

-Evite bichos de pelúcia, animais de pelo e pena, especialmente no quarto

– Evite o mofo, reparando vazamentos de água e ventilando áreas úmidas como banheiros e utilizando desumidificadores, se necessário

– Evite produtos químicos irritantes, como fragrâncias fortes e sprays, que podem irritar as vias respiratórias

– Mantenha a casa limpa e ventilada, para reduzir a proliferação de ácaros

– Evite ambientes muito secos ou muito úmidos, que podem irritar as vias aéreas

– Evite exposição a poluentes domiciliares, como fumaça de cigarro

– Roupas de cama, cobertores, jaquetas e blusas de lã guardadas devem ser lavados e secados ao sol ou ao ar quente antes do uso

– Evite tapetes e cortinas de tecido

– Afaste o alérgico do ambiente enquanto se faz limpeza

– Evite métodos de limpeza a seco que possam agitar partículas no ar. Opte por métodos de limpeza úmida, como o uso de panos úmidos ou esfregões.

-Extermine baratas e roedores do ambiente

10 dicas de limpeza para evitar alergias no inverno

Doenças respiratórias como rinite, sinusite e asma, são mais comuns nessa época do ano, principalmente por conta das quedas de temperatura e da baixa umidade no ar.

Para minimizar esse problema é importante fazermos a limpeza adequada de nossas residências reduzindo a quantidade de poeira e ácaros no ambiente, fazendo com que as alergias não se manifestem.

Pensando nisso, o GetNinjas, aplicativo para contratação de serviços, reuniu algumas dicas simples e práticas para ajudar nesse sentido. Confira quais são elas:

1. Menos espanador e mais paninho

A melhor maneira de retirar o pó dos móveis é utilizando um pano úmido. Ao contrário do espanador, que apenas transfere o pó de um lugar para outro da casa, o pano úmido consegue efetivamente retirar a sujeira dos espaços.

2. Lave bichos de pelúcia e cortinas

Todos estes objetos acumulam muita poeira, por isso é importante mantê-los sempre higienizados. Panos úmidos são práticos e eficazes na limpeza das persianas. Cortinas de tecido e pelúcias devem ser lavados a mão, preferencialmente. Aproveite os dias ensolarados e secos do período para fazer isso.

3. Limpe o sofá

Por ser um dos móveis com maior potencial para acumular poeira, é recomendado limpá-lo a seco, utilizando um aspirador de pó. Tenha atenção especial aos “cantinhos”, famosos por acumular sujeira.

4. Higienize os tapetes

Tapetes também são outros grandes acumuladores de poeira. Para fazer uma limpeza profunda, polvilhe bicarbonato de sódio por toda a superfície do objeto (utilize uma peneira para fazer isso) e o deixe agir. No dia seguinte, retire o produto com um aspirador.

5. Cuidado com os vidros

Vidros também podem acumular poeira. Para fazer uma limpeza profunda, dilua uma colher de sopa de bicarbonato de sódio em 250 ml de água e aplique o produto com um pano de algodão.

6. Atenção aos cobertores e edredons

As noites de inverno costumam ser mais frias, portanto perfeitas para dormir com um cobertor, uma manta ou um edredom. Antes de utilizá-los, no entanto, é importante lavá-los e deixá-los secar bem para ter certeza de que não transportem ácaros para a cama.

7. Menos vassoura, mais aspirador

Varrer a casa é bom, mas pode suspender a poeira e os ácaros causadores das doenças respiratórias. Sempre que possível, opte por utilizar o aspirador de pó ou panos úmidos para fazer a higienização. Caso tenha de utilizar a vassoura, a envolva com um pano úmido de modo a realizar a limpeza com mais eficácia.

8. Armários entram na lista também!

Limpe o móvel com uma solução de água e vinagre (diluídos em partes iguais). Após a higienização, feche as portas e deixe agir por duas horas. Na sequência, passe um pano com água e deixe secar naturalmente.

9. Utilize produtos de limpeza com moderação

Os produtos de limpeza convencionais costumam ter odores fortes que, por consequência, podem instigar as alergias. Escolha os que apresentam cheiros mais suaves ou mesmo os caseiros.

10. Deixe a luz entrar

Tente manter as portas e janelas de casa abertas, sempre que possível. Aproveite os períodos da manhã e meio da tarde para deixar o sol entrar e arejar todos os espaços. Ele também é um excelente aliado na limpeza doméstica.

Com Assessorias

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!