5 efeitos provocados pelo álcool no organismo – e como se livrar deles

Bebidas mais açucaradas, mais calóricas e com o maior teor alcoólico podem ser as mais perigosas para efeitos mais significativos

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Começo de ano, férias universitárias e, logo mais, Carnaval. Nesse período, muita gente se empolga e acaba exagerando no álcool. As consequências no dia seguinte são um misto de arrependimento com sintomas físicos característicos da ressaca. O consumo excessivo de álcool pode trazer prejuízos instantâneos à saúde assim como a longo prazo. Isso porque o álcool afeta diversos órgãos e funções do organismo, como o fígado, a imunidade e a pele.

“O álcool aumenta o apetite; aumenta o cortisol, hormônio liberado para preparar nosso organismo quando estamos em perigo, aumenta o estresse oxidativo; prejudica a impermeabilidade intestinal e, dependendo da bebida, pode alterar o ciclo do sono. Além disso, pode provocar o inchaço no dia seguinte”, explica a especialista em emagrecimento e longevidade saudável Mariana Arraes.

Mariana conta que as bebidas mais açucaradas, mais calóricas e com o maior teor alcoólico podem ser as mais perigosas para efeitos mais significativos. “Algumas dicas que eu dou para amenizar o efeito do álcool é, no próprio dia que for ingerir o álcool, ficar atento para diminuir os excessos e manter a hidratação. Já no dia seguinte é importante fazer uma atividade aeróbia e sempre lembrar de se manter hidratado”, conclui a especialista.

Como driblar a ressaca

De acordo com o nutricionista Pedro Perim, da plataforma Science Play, voltada para divulgação de conteúdos sobre o universo da saúde, existem algumas estratégias simples para não passar sufoco no dia seguinte depois de beber.

“Alternar a cerveja com algum tipo de cerveja sem álcool, escolher misturas comuns para drinques, como por exemplo, água tônica e energético sem açúcar. E claro, manter o máximo possível a ingestão de água para que não ocorra a desidratação, que é um dos principais efeitos do álcool no organismo”, diz o nutricionista.

Mas, para aquelas pessoas que não conseguiram diminuir a dose e têm que lidar com a indisposição, Pedro explica que é normal ter efeitos da ingestão de álcool principalmente na questão cerebral, causado pela desidratação e que é muito comum ter lapsos de memória, perda da velocidade de reação e até mesmo dores de cabeça.

“A principal dica é: não se desespere e não faça nenhuma ação radical. Tomar alguma atitude radical pode ser mais um estímulo de estresse para o corpo. Invista nas opções de hidratação como água e sucos, além de alimentos ricos em vitaminas, como o melão, melancia, laranja e uva, por exemplo. Alguns chás também podem ter efeito de proteção e ser benéfico nesse cenário”, destaca o especialista.

Cuide-se: corpo e mente!

Segundo Patrícia Maira, clínica médica do Hospital Anchieta de Brasília, a ressaca pode ocorrer entre 6 e 8 horas e pode durar até 24 horas após a ingestão do álcool. A especialista explica que isso ocorre porque o álcool é um elemento tóxico processado pelo fígado e que existe uma certa quantidade para que seja metabolizado e, em casos de quantidades maiores, ocorre o acúmulo de substâncias tóxicas, provocando a ressaca.

Dor de cabeça, dor nos olhos, enjoo, mal-estar generalizado, dor no corpo e estômago são alguns dos sintomas, além dos sinais de desidratação, falta de apetite, tremores, suor e muito sono. Muitas pessoas acreditam que o medicamento é a melhor alternativa para uma cura rápida e eficaz. Mas Patrícia conta que existem algumas alternativas antes da medicação e que não é qualquer um que pode ser tomado, pois há fórmulas que podem causar um efeito reverso.

“O ideal para ser feito no outro dia, quando já está com sintomas de ressaca, é ficar em repouso, tomar muita água, ter uma alimentação mais leve. Além disso, dependendo dos sintomas, pode-se tomar um remédio para enjoo ou para dor, mas é importante evitar o uso de anti-inflamatórios, porque esse tipo de medicamento pode irritar a mucosa do estômago e piorar os sintomas que já existem”, conclui a médica.

5 opções para combater naturalmente a ressaca

Na época de férias e fim de ano é natural que o consumo de álcool aumente para quem gosta de bebidas. Porém, o que fazer quando a ressaca bate no dia seguinte? As nutricionistas Daniela Zuin e Eleonora Galvão, da Clínica Nutrindo Ideais (@nutrindoideais) prepararam uma lista com as melhores opções para se recuperar rapidamente e indicam uma receita fácil de se fazer no final. Confira:

1. Água natural:

O álcool é conhecido por desidratar o corpo, e isso causa os principais sintomas, como tontura, fadiga, vômito, febre, entre outros. Para hidratar o organismo enquanto o álcool desidrata e exige uma alta metabolização pelo fígado, a sugestão é que a cada 350ml de bebida alcoólica consumida, deve-se acompanhar 100ml de água.

Assim diminuímos os efeitos da intoxicação no organismo e intensa metabolização do nutriente álcool pelo fígado. A água, por ser responsável pela hidratação ideal do organismo, previne os principais sintomas de desidratação, comumente presentes no dia seguinte, o dia da ressaca. Como por exemplo, dor de cabeça, tontura e fraqueza, além de boca seca.

Um cálculo base para a quantidade ideal de água para cada organismo é multiplicar o peso por 35ml. Por exemplo, um indivíduo de 60kg deve consumir no mínimo 1500ml de água por dia.

2. Água de côco:

Rica fonte de minerais e eletrólitos como o potássio, que ajuda a manter os líquidos equilibrados no corpo, ajudando no metabolismo. A água de coco é melhor que isotônicos esportivos.

Água de coco é riquíssima em nutrientes, composta por 95% de água, o que a torna excelente na função de hidratar o organismo, além de ter altas quantidades de nutrientes essenciais para manter o organismo e funções metabólicas em perfeito funcionamento.

Em comparação aos isotônicos, a água de coco apresenta 5 vezes mais a quantidade de potássio e quase 2 vezes mais a quantidade de magnésio, sendo nutrientes essenciais para prevenção de câimbras decorrentes da atividade. É uma ótima opção de bebida totalmente natural, capaz de repor rapidamente os sais minerais perdidos, além de agir reduzindo o estado de estresse do organismo, muitas vezes ocasionado pela intensa metabolização do nutriente álcool.

A perda de sais minerais durante a atividade pode piorar câimbras e também gerar fadiga excessiva, dores musculares, náusea, dor de cabeça, diarréia e em casos graves, convulsões. Portanto, repor água e sais minerais é crucial para um dia seguinte saudável, mantendo o estado de saúde do organismo.

3. Suco de laranja:

O baixo nível de Vitamina C causado pelo álcool faz com que o corpo fique mais suscetível aos efeitos da ressaca, além do baixo nível de açúcar. O suco de laranja pode ser a fonte perfeita para a melhora da condição.

Rico em vitamina C, alto potencial antioxidante, que contribui para melhor função hepática, e consequente metabolização do álcool. O fígado é um órgão essencial no processo de metabolização correto e também no processo de detox natural do organismo. Suco de laranja é ótima fonte de vitamina C, além de vitamina E, também antioxidante, e sais minerais, atuando na sobrecarga e processos que facilitam a desintoxicação desse órgão para que possa exercer suas funções com saúde.

A correta ingestão desses nutrientes e água, presentes no suco de laranja, vão agir na desintoxicação impedindo a formação dos radicais livres, protegendo as células do estresse oxidativo, gerando a correta recuperação do organismo pós bebida alcoólica.

4. Chá de gengibre e limão:

O gengibre ajuda muito na sensação de enjoo e o limão auxilia o fígado que está sobrecarregado por conta do álcool.

O Zingiber officinale, ou popularmente conhecido como gengibre, é uma das plantas mais conhecida e utilizada no mundo todo. O gengibre é originário da Ásia tropical e pertencente à família dos Zingiberaceae, Em sua composição podemos encontrar alguns compostos importantes, como os fotoquímicos, os gingeróis que são responsáveis pelo seu gosto amargo e ardido característico e o 6-gingerol, sendo o componente mais ativo, que se destaca por sua atividade antioxidante. Por ser uma planta medicinal dentre outras funções hepatoprotetoras ajuda a relaxar o sistema gastrointestinal, aliviando os enjôos e as náuseas.

Citrus Limonium, ou popularmente conhecido como limão é uma fruta com excelente fonte de vitamina C, rico em polifenóis e carotenóides (violaxantina, luteína, criptoxantina, β-caroteno). É antioxidante, analgésico, e remineralizante. Muito indicado para quadros de afecções estomacais.

Ao contrário do que pensam as pessoas, o limão em seu estado natural tem como princípio ativo o ácido cítrico, porém, quando entra em contato com o meio celular no interior do nosso corpo, comporta-se como um neutralizante da acidez interna. O limão equilibra o pH do sangue, deixando-o levemente alcalino beneficiando órgãos e sistemas, uma vez que a acidez do sangue destrói as células. Por potencializar a capacidade metabólica dos órgãos excretores, promove limpeza e desintoxicação de todo o corpo, principalmente do fígado e da vesícula.

5. Suco de beterraba e abacaxi:

Também pelo desgaste do fígado, é importante consumir nutrientes antioxidantes, e a betaína é um composto anti-inflamatório presente na beterraba. Já o abacaxi é fonte de Vitamina C.

A beterraba é um alimento bom para o fígado, devido a sua composição rica em nitrato e antioxidante, como as betalaínas, que contribuem para a redução do dano oxidativo provocado por radicais livres e a inflamação das células do fígado. A raiz é uma das principais fontes de fibra e vitaminas do complexo B (incluindo B1, B2, B5, B6 e B9), que é possível incluir na alimentação de diversas formas. Com o valor calórico bem baixo, ela possui ação anti-inflamatória, diurética, digestiva, desintoxicante natural e purificadora do sangue.

O abacaxi possui uma potente enzima chamada bromelina ajudando a desobstruir o fígado do acúmulo de gorduras e toxinas. Uma das melhores coisas que você pode fazer para o seu fígado é manter o peso ideal e manter seu organismo hidratado. A combinação de beterraba com abacaxi, por exemplo, é ótima para fortalecer a imunidade e também funciona como bebida detox – ou seja, ajuda a limpar o organismo, sendo ótima para iniciar o dia.

Duas receitas para se fazer com os ingredientes citados:

Suco detox de beterraba com abacaxi

Ingredientes

  • 1/2 beterraba picada;
  • 1 fatia de abacaxi;
  • 1 punhado de hortelã;
  • 150 ml de água;
  • Gelo a gosto.

Modo de preparo

  • Bata todos os ingredientes no liquidificador por alguns minutos e está pronto.
  • Rende um copo americano (250ml).
  • O ideal é consumir na hora.
  • Pode ser levado à geladeira mas não deve consumir depois de 24h, pois muitos nutrientes e vitaminas desnaturam durante este período, perdendo a eficácia.

Chá de Gengibre com Limão

Ingredientes

  • ½ litro de água quente;
  • 2 colheres de sopa de raiz de gengibre ralada;
  • ½ limão com casca.

Modo de preparo

  • Leve a água para aquecer.
  • Coloque o gengibre ralado, deixe ferver por 5 minutos e depois adicione o limão.
  • Leve essa mistura para bater no liquidificador e sirva morno.
  • Se quiser adoce com mel para melhorar o sabor.

Com Assessorias

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!