Simples exame de sangue pode detectar doença renal

Campanha para o Dia Mundial do Rim deste ano chama atenção para o exame de creatinina, que ajuda no diagnóstico precoce e tratamento

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

De acordo com o United States Renal Data System (USRDS), no mundo, estima-se que 15% da população tenha algum grau de doença renal, desde o estágio inicial até o nível cinco, o mais grave, quando é recomendado o transplante. No Brasil, cerca de 150 mil pessoas são afetadas pela Doença Renal Crônica (DRC) e um terço delas (50 mil) morrem precocemente, todos os anos, antes de ter acesso à diálise ou ao transplante de rim.

De acordo com especialistas, a doença renal é silenciosa e raramente apresenta sintomas. Por isso a importância do diagnóstico precoce é inquestionável. A boa notícia é que um simples exame de sangue para verificar a creatinina e o exame de urina são suficientes. Porém, o exame de creatinina – que custa em média R$ 11 e é coberto pelos planos de saúde – ainda é pouco solicitado pelos médicos no check up anual.

Segundo Bruno Zawadzki, diretor médico da DaVita, “a creatinina é um composto originado da creatina e que é filtrado e eliminado pelos rins. Ao medir as taxas dessa substância no sangue é possível avaliar a saúde renal da pessoa”. “Os pacientes socialmente mais vulneráveis acabam recebendo o diagnóstico em fases mais avançadas da doença renal. Por isso, as campanhas de conscientização representam uma forma de reverter a situação”, comenta.

Para marcar o Dia Mundial do Rim (14 de março), a campanha da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) e da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial (SBPC/ML) foca na promoção da equidade no acesso ao diagnóstico e tratamento e busca ampliar o acesso ao exame de creatinina, um procedimento acessível. Em adesão à campanha, a DaVitta, clínica de nefrologia, oferece o exame de creatinina de graça em duas cidades da Região dos Lagos esta semana (saiba mais abaixo).

Leia mais

Como os rins podem sofrer quando coração está comprometido
Alguns remédios são um perigo para o funcionamento dos rins
Entenda como e por que os rins são vitais para o organismo
Cuidar dos rins é fundamental para envelhecer com saúde

 

‘Simples hábito pode fazer a diferença’, diz patologista

Maria Gabriela de Lucca, médica patologista clínica e especialista da SBPC/ML, explica que o acompanhamento da função renal é crucial para identificar precocemente possíveis problemas. a dosagem de creatinina pode ser determinante para sinalizar problemas renais em estágios iniciais.  “A avaliação da creatinina no sangue é um indicador crucial da saúde renal e para a progressão da doença crônica renal”, reforçou.

Segundo Maria Gabriela, embora existam opções mais precisas, como o teste de Cistatina C, a medição de creatinina é uma opção acessível que deve ser solicitada anualmente por profissionais de saúde em check-ups regulares.  “Este simples hábito pode fazer a diferença entre a detecção precoce e a evolução silenciosa da doença renal”.

Um aumento nos níveis de creatinina no sangue indica dificuldade dos rins em filtrar essa substância muscular, sinalizando a necessidade de exames adicionais para o diagnóstico definitivo da doença renal crônica, considerando-se elevado, em geral, quando ultrapassa 1,2mg/dL em homens e 1,0mg/dL em mulheres – este valor pode variar ligeiramente entre os laboratórios.

Conheça outros exames que devem ser feitos

Além da creatinina, que reflete a taxa de filtração glomerular estimada, a ureia é outro exame importante, sendo resultados anormais frequentemente os primeiros indícios de uma doença renal. Estes dois exames são dosados no sangue, em uma simples coleta venosa, e não requerem jejum para sua realização.

O acompanhamento periódico dos níveis sanguíneos de ureia e creatinina é vital para pacientes com lesão renal, auxiliando no monitoramento da evolução da doença. Para completar o rastreio de doença renal na população em geral, recomenda-se também a análise da urina para verificar a presença de hemácias, leucócitos ou proteínas.

Em pacientes com doenças que sabidamente predispõem a doença renal, como diabetes ou hipertensão arterial, a pesquisa anual de microalbuminúria é essencial para detectar lesões renais iniciais. Doenças renais também podem impactar os níveis de cálcio, fósforo e eletrólitos no sangue e na urina.

O hemograma avalia a anemia decorrente da falta de eritropoietina, hormônio renal estimulador da produção de hemácias. A proteinúria é utilizada para avaliar o tratamento na síndrome nefrótica, enquanto o paratormônio (PTH) pode estar elevado em doenças renais.

Nestes casos, é utilizado o clearance de creatinina, ou depuração da creatinina, um exame utilizado para o monitoramento mais preciso da função renal – e é a dosagem é realizada no sangue e na urina.

Este tipo de coleta de urina exige alguns cuidados: higienização adequada, descarte da primeira urina do dia e a coleta de amostras ao longo de 24 horas, armazenadas em um frasco fornecido pelo laboratório. Em alguns casos, o especialista pode orientar restrições alimentares no dia anterior ao ciclo de coleta.

Como evitar problemas renais que podem levar à morte

Hipertensão, diabetes e insuficiência cardíaca estão entre as principais causas de doenças renais crônicas no mundo. Fazer o acompanhamento médico dessas comorbidades é primordial para evitar o comprometimento da função do órgão.

“Fraqueza, palidez, falta de ar, às vezes noturna, e inchaço nos pés são sinais de alerta e podem indicar um agravamento da doença renal. Em geral, os sintomas aparecem quando o paciente já está em um estágio mais avançado”, explica o nefrologista da Hapvida NotreDame Intermédica, Wilson Mendes.

Segundo ele, quem passa por hemodiálise ou está transplantado tem um risco 10 vezes maior de mortalidade do que a população em geral por doenças do sistema cardiovascular, como infarto e AVC. No entanto, o transplante é a melhor solução para um paciente grau cinco por garantir melhor qualidade de vida. Ele, no entanto, ressalta que o tratamento deve continuar.

“A prevenção, um dos pilares estratégicos do nosso modelo de negócio, é sempre o melhor remédio, por isso a importância da prática de atividades físicas, do controle de peso, de uma dieta saudável, além do monitoramento da pressão arterial e do diabetes”, conclui.

Exames de creatinina gratuitos na Região dos Lagos

Em apoio à campanha da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), as unidades DaVita em Cabo Frio e Araruama, na Região dos Lagos, realizam entre os dias 11 e 15 de março uma semana especial de conscientização da saúde renal. Durante a ação, das 9 às 1’7h, será realizado exame gratuito de creatinina.

Na terça-feira (12), uma equipe da unidade DaVita Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio, percorrerá o bairro de Venda das Pedras para distribuir materiais informativos da SBN e orientações para a população, esclarecendo as principais dúvidas sobre a doença.

Com isso, a clínica de nefrologia espera disseminar informações sobre a doença renal crônica (DRC) e ampliar a conscientização por uma política de saúde inclusiva, que garanta equidade e permita o acesso ao diagnóstico e tratamento.

Live esclarece sobre a saúde dos rins

Com o propósito de conscientizar sobre os riscos da DRC e sublinhar a importância do diagnóstico precoce e do acesso ao tratamento renal, a médica patologista clínica e coordenadora do Comitê Pré/Pós-analítico da SBPC/ML, Maria Gabriela de Lucca, conduzirá uma live na quinta-feira (14), às 19h30, n, em conjunto com o médico nefrologista João Fernando Picollo.

A live apresentará discussões valiosas sobre a saúde dos rins, além de reforçar a conscientização sobre a relevância dos exames para monitoramento da função renal. A dosagem de creatinina, quando alta, indica que os rins podem não estar funcionando adequadamente, permitindo a identificação precoce de possíveis problemas.

Sobre a data

Criado há 18 anos pela Sociedade Internacional de Nefrologia (ISN) e pela Federação Internacional de Fundações do Rim (IFKF), o Dia Mundial do Rim é um evento anual, comemorado na segunda quinta-feira de março, que mobiliza milhões de pessoas em mais de 150 países.

Este ano, é lembrado no dia 14 de março e a campanha da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) traz como tema central “SAÚDE DOS RINS (& exame de creatinina) PARA TODOS: porque todos têm o direito ao diagnóstico e acesso ao tratamento”.

Com Assessorias

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!