Crise climáticaFAMÍLIA

Onda de calor: grávidas e bebês exigem atenção especial

O Brasil enfrenta ondas de calor severas com várias cidades atingindo temperaturas recordes. Segundo relatório da Organização Mundial de Metereologia (MMM), o El Niño, que gera as ondas de calor, deve perdurar até meados de maio de 2024. Aliado ao aquecimento global, este fenômeno, além de atingir o meio ambiente, afeta diretamente a gestação das mulheres. De acordo com a Revista Science, a cada aumento de 1°C na temperatura média global, a grávida tem 5% a mais de chance de ter um bebê prematuro e 16% quando ela enfrenta ondas repetidas de calor.

Além disso, gestantes no primeiro trimestre de gravidez, com aumento da temperatura corporal acima de 39,2ºC, podem ter consequências graves na saúde do feto, como a diminuição na quantidade de líquido amniótico, possibilitando que a criança nasça com baixo peso, tenha anormalidades congênitas, podendo provocar até mesmo a morte fetal.

Calor não prejudica o feto diretamente, mas a mãe precisa se hidratar corretamente (Foto: Divulgação)

Segundo a obstetra Fábia Vilarino, coordenadora adjunta do curso de Medicina do Centro Universitário São Camilo, as temperaturas elevadas têm implicações para todos, e as grávidas são mais suscetíveis.

“Essas implicações são devido às condições próprias da gravidez, como alterações hormonais e na volemia (quantidade de sangue no corpo) que proporcionam aumento natural da temperatura do corpo”, explicou.

Para ela, o calor não prejudica o feto diretamente, mas se a mãe não se hidratar corretamente pode haver repercussões como redução do liquido amniótico, por exemplo. No inicio da gestação há mais predisposição às quedas de pressão, com possibilidade de sensação de desmaio e no segundo e terceiro trimestres de gravidez, pelo aumento do peso e do volume abdominal, há mais desconforto e aumento da temperatura corporal.

“O aumento da temperatura retém líquido, causando edemas, queda de pressão arterial, sensação de cansaço e indisposição e se não houver hidratação adequada leva à desidratação”, alertou a docente de Medicina.

Ela indica que em dias muito quentes é importante que a gestante use roupas leves e confortáveis, não se exponha ao sol, não tome banho quente, ingira mais líquidos do que de costume, principalmente água, assim como alimentos frescos como frutas e vegetais e dê preferência a ambientes ventilados, abertos e às sombras. O uso de umidificadores de ar ajudam a refrescar a sensação térmica.

4 dicas para cuidar dos bebês em dias de calor intenso

Se para os adultos fenômenos como esse são insuportáveis, para os bebês pode ser ainda pior, ainda mais porque eles ainda não têm a capacidade de se expressar. A nutricionista materno infantil Franciele Loss, reuniu algumas dicas para ajudar os pais a garantir que os bebês estejam realmente hidratados e recebendo alimentos adequados para manter sua saúde e conforto. 

Amamentação

Franciele reforça a importância da amamentação durante esse período e aconselha às mães a manterem a livre demanda, sem restrição de horário. De acordo com a especialista, outra opção interessante é preparar o peitolé, que é o leite materno congelado em forminhas de picolé. Ele pode ser oferecido mesmo antes da introdução alimentar.

Introdução alimentar

Se o seu bebê já estiver em fase de introdução de alimentos sólidos, ofereça opções leves e geladinhas, como frutas frescas, por exemplo, melancia e melão. “Alimentos como iogurte natural, purês de frutas gelados, ou alimentos levemente resfriados podem ser mais atraentes e refrescantes para os bebês”, explica a especialista.

Quanto a meta de água que deve ser ingerida diariamente por eles, Franciele esclarece: “Não fique tão apegado somente ao líquido, pois pode ser que seu bebê não aceite tantas vezes ao dia. Isso não quer dizer que você deva parar de ofertar, mas lembre-se que eles também obtêm água provinda de outros alimentos e do leite materno ou da fórmula”.

Outra dica dada pela nutricionista é apresentar diferentes copos, pois isso aguça a curiosidade da criança e pode contribuir com uma melhor aceitação da água.

Evite alimentos pesados

Evite alimentos pesados de baixa digestão e comidas quentes durante os períodos de calor intenso. “Opte por refeições mais leves e frescas, como vegetais e legumes, carnes brancas, como peixe e frango, e frutas, como melancia, laranja e melão”. Franciele ressalta também que durante o calor, os bebês podem ter menos apetite, mas é essencial garantir que estejam recebendo nutrientes adequados.

Atenção aos sinais de desidratação

Por fim, a nutricionista chama atenção para alguns detalhes que podem representar desidratação. “Fique atento aos sinais de desidratação, como lábios secos, olhos fundos, urina escura, com cheiro forte ou menos frequente e choro sem lágrimas. Se observar algum desses, entre em contato com o pediatra imediatamente”, pontua.

Franciele orienta a sempre consultar um nutricionista especializado ou o pediatra para obter orientações específicas sobre a alimentação do bebê, levando em consideração as condições individuais de saúde e desenvolvimento.

Cuidados com as crianças e adolescentes na escola ou no trajeto

Nos períodos de calor, atenção à merenda escolar já que alimentos podem estragar mais rápido (Foto: Divulgação)

Seja na escola ou no trajeto até o colégio, os cuidados com as temperaturas elevadas devem ser redobrados principalmente com crianças e adolescentes. Para a nutricionista Gizelle Machado Bogarin, do Marista Escola Social Ecológica, é importante priorizar a hidratação das crianças e adolescentes durante as aulas.

“No calor sentimos menos fome, porém nem por isso nosso corpo precisa de menos energia. É essencial cuidar da hidratação com muita água, evitar ficar muito tempo sem comer, manter ao menos três refeições ao dia, não esquecer dos carboidratos que são fonte primária de energia (pães, arroz, massas, priorizando os integrais), proteínas magras, legumes e verduras ricas em fibras que auxiliam sensação de saciedade”, revela.

Na escola, as crianças costumam passar boa parte do seu dia, por isso, a especialista ressalta que é importante orientar toda equipe pedagógica sobre educação nutricional.

“Estimular os alunos a terem hábitos mais saudáveis é um dever de todos, e pode ser tema em diversas disciplinas. É preciso incentivar os estudantes a ter sempre uma garrafinha de água para tomar ao longo do dia, fornecer nos intervalos frutas ricas em água como melão, melancia, abacaxi, laranja e sucos de frutas. No almoço, é importante ofertar uma variedade maior de saladas, verduras e carnes magras”, avalia.

A especialista separou algumas dicas com a onda de calor:

Escolha frutas com alto teor de água

Para se manter hidratado durante o dia prefira a ingestão de frutas com alto teor de água como laranja, melão, maracujá, abacaxi e melancia assim como os sucos naturais e água de coco, que contribuem para uma boa hidratação.

Tenha garrafas de água e bebedouros sempre por perto

Na escola e em casa é importante os adultos mostrarem a importância de consumir água durante o dia todo. É importante não esperar sentir sede para beber água, já que a sede é uma informação fisiológica de início de desidratação. Principalmente em aulas ao ar livre ou com atividade físicas, deve ser consumido no mínimo 3,5ml/kg de água ao dia. Isso evita efeitos de fadiga, dores de cabeça e perda de nutrientes devido ao excesso de líquido perdido pelo suor.

Evite alimentos processados

Evitar alimentos gordurosos e industrializados que possam dificultar a digestão e causam estufamento, inchaços e mal estar, consumir alimentos ricos em água, frutas, sucos naturais e saladas. O mais indicado é optar por alimentos leves (carnes magras, queijos brancos) que sejam digeridos com facilidade e permitam com que o corpo esteja energizado para o retorno das aulas.

Cuidado com a exposição ao sol

Brincar ao ar livre é uma atividade extremamente saudável, mas é necessário cuidar dos períodos longos ao sol, com a exposição e maior incidência solar. É claro, não esquecer o uso do protetor solar.

Cuide do armazenamento de alimentos

No verão os alimentos podem estragar com mais facilidade, cuidar com a exposição ao calor, lavar devidamente com sanitizante para evitar risco de contaminação e continuar escolhendo alimentos leves e frescos.

Com Assessorias

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *