Óleo de avestruz: novo aliado contra a TPM e outros males

Alimento natural é usado para sintomas da menopausa e TPM, como cólicas menstruais, acne, dor de cabeça, inchaço nas mamas e aumento de peso

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Como oito entre dez mulheres, a administradora Carolina Paiva, de 35 anos, sofria com enxaquecas, dores nas pernas e cólicas fortes naquele fatídico período do mês. Como muitas de nós já sabemos, os desconfortos da Tensão Pré-menstrual começam a aparecer uma semana antes. Inchaço, irritação, dor de cabeça, crises de ansiedade e uma vontade de chorar sem fim. A famosa e chata TPM atinge 80% das mulheres na fase reprodutiva, sendo que 8% apresentam sintomas intensos.

Além disso, há uma importante variação dos hormônios sexuais femininos no decorrer do ciclo menstrual. Isso quer dizer que, em cada dia do mês, a mulher tem uma concentração de hormônios diferente da do dia anterior e diferente da do dia seguinte, o que gera uma grande oscilação de humor. Não é à toa que os homens dizem que as mulheres são tão difíceis de entender.

Uma linha de pesquisadores acredita que os sintomas da TPM nada mais são que indicadores de um desequilíbrio orgânico. Os sinais desta síndrome ocorrem por conta de uma flutuação das concentrações de serotonina, cálcio, magnésio e vitamina B6. Mas surge um novo aliado natural para combater o problema: o Óleo de Avestruz, um alimento rico em ômega 9 que atua na síntese dos hormônios, causando uma série de benefícios à saúde da mulher.

A partir de diversos estudos científicos (papers) já publicados, especialistas garantem que, se incluído na rotina diária das mulheres, este suplemento alimentar poderia amenizar os sintomas da menopausa e ainda os sintomas físicos da TPM, como cólicas menstruais, acne, dores de cabeça, inchaço nas mamas e aumento de peso.

O óleo é apontado ainda como sendo eficaz contra os sintomas emocionais da TPM como a depressão, vontade súbita de chorar, irritabilidade, ansiedade, alterações de humor, insônia, estresse, enjoo, fome em excesso ou falta de apetite, cansaço, dificuldade de concentração e sonolência decorrentes do desajuste hormonal, comum em mulheres de todas as idades, antes e durante o período menstrual.

Para reduzir os sintomas da TPM, o Óleo de Avestruz deve ser consumido todos os dias, como complemento alimentar, na dosagem mínima diária de metade do peso em gotas. Ou seja, um adulto que pesa 60 quilos vai consumir 30 gotas diárias, divididas em 10 gotas, no café da manhã, almoço e jantar. Pode ser ingerido antes ou durante as refeições, podendo ser utilizado como tempero em saladas, sopas, arroz, feijão ou adicionado a sucos, chás, shakes, misturado em granola, iogurte ou saladas de frutas.

“Passei a consumir o óleo em agosto de 2016, inicialmente me interessei por se tratar de um produto natural rico em ômegas e para amenizar minha TPM. Comecei tomando a quantidade diária de 65 gotas. No primeiro mês, as dores já não eram tão fortes, a irritação e a ansiedade que eu sentia diminuíram muito. Hoje, não sinto mais nada durante o período que antecede a menstruação. Continuo usando o óleo todos os dias, mas tomo a metade do meu peso em gotas para prevenção mesmo”, conta Carolina.

Combate à obesidade, colesterol e depressão

“O alimento reduz os sintomas da TPM e restaura o equilíbrio do organismo feminino contra uma série de outros males que surgem com a Síndrome pré-menstrual”, afirma Etienne Salles, diretor da Amazon Origin, uma distribuidora de produtos naturais do Rio de Janeiro que trabalha com o Óleo de Avestruz da Amazônia.

Mas não é só isso! Estudos recentes comprovam os diversos benefícios que o óleo de Avestruz vem proporcionando a pessoas com os mais variados problemas de saúde. A alta concentração de ômega 9 (ácido oleico) auxiliaria ainda no emagrecimento, acelerando a perda de gordura, principalmente na região abdominal, além de  favorecer a definição de massa muscular.

“O ômega 9 age diretamente nos depósitos de gordura, dificultando a fixação da gordura na região abdominal. Se associado a uma dieta balanceada e exercícios físicos, o óleo de avestruz auxilia no processo de queima de gordura, principalmente abdominal”, explica Salles.

Pacientes relatam experiências positivas

Atuando na diminuição do colesterol, ofereceria ainda proteção antioxidante contra doenças cardiovasculares e minimização dos sintomas da diabetes, do câncer, da depressão, do Alzheimer e do Parkinson. Ao ajudar o organismo na contínua produção de substâncias anti-inflamatórias, seria também indicado para redução a dores musculares, reumáticas, artrites e artroses.

também indicado na cicatrizações de cortes, queimaduras, alergias e assaduras. Isso porque, segundo Salles, o produto promove a regeneração celular. Ainda de acordo com os fabricantes, a utilização contínua do óleo proporcionaria também a redução dos sintomas de doenças respiratórias como sinusite, bronquite e congestão nasal. O óleo de avestruz também seria indicado para melhora na concentração, aumento da motivação e de habilidades motoras.

Se consumidas diariamente na dosagem necessária, aumentam a imunidade, previnem infecções, promovem a regeneração celular e o rejuvenescimento. Milagroso? Há quem diga que sim, especialmente pacientes que passaram a fazer uso do produto no Estado do Rio de Janeiro. Pessoas que sofriam com dores reumáticas, depressão, TPM, estresse, diabetes e que, após começarem a utilizar o óleo de avestruz, apresentaram melhora desses sintomas, em alguns tendo desaparecido por completo.

É o caso de Rosângela Mangin, 65 anos, corretora de imóveis aposentada. Aos  16 anos tinha 1,71 e hoje 1,59. Houve redução na coluna devido à osteopenia. Sentia dores constante no corpo todo, em várias junções do corpo. Após iniciar a utilização do Óleo de Avestruz, há pouco mais de dois meses, ela relata as dores foram reduzidas e, em algumas partes do corpo, desapareceram por completo.

Médico homeopata atesta benefícios

José Henrique Tamburini, homeopata e ortomolecular, formado há 41 anos, endossa os benefícios: “Recomendo o óleo de avestruz por ser um alimento funcional que engloba todos os ômegas (3 , 6, 7 e 9), além das vitaminas A e E, com propriedades anti-inflamatórias, excelentes para a função cerebral, ajudando a prevenir Parkinson e Alzheimer”.

Para o médico, o óleo de avestruz pode ser usado em diversas patologias tais quais psoríase e artrites e  tem excelente uso na oftalmologia no tratamento das blefarites e no glaucoma. Segundo ele, os resultados mais relatados por seus pacientes são melhora da memória, combate à prisão de ventre e rinite, melhora da glicemia e aumento do HDL e baixa do LDL.

“Por ser poderoso anti-inflamatório sem efeitos colaterais pois trata-se de um alimento que necessitamos e não produzimos sendo, ao meu ver, um suplemento obrigatório”, recomenda.

Tamburini lembra ainda que existem diversos artigos médicos recomendando os ômegas e em especial os contidos no óleo de avestruz pois estão na proporção adequada para maior biodisponibilidade para a fisiologia humana.

Óleo de avestruz é rico em mix de ômegas

O avestruz fornece, além de carne, pluma e couro, um produto pouco divulgado no Brasil, porém com propriedades terapêuticas e estéticas muito poderosas. O óleo de avestruz é extraído de uma bolsa de gordura do animal, localizada na região abdominal.

Há milhares de anos, as civilizações no antigo Egito conheciam as propriedades terapêuticas do óleo de avestruz. Utilizavam o óleo como analgésico, anti-inflamatório, para atenuar cicatrizes e feridas e hidratar suas peles.

Considerado na nutrição como um alimento 100% natural, o produto é composto pelos quatro ômegas (3, 6, 7 e 9), que são fonte natural de ácidos graxos essenciais (EFAs), conhecidos como “gorduras boas”, sendo os ômegas 3 e 6 essenciais, que não são produzidas pelo corpo humano, mas são imprescindíveis ao organismo. Possui ainda antioxidantes carotenóides, tocoferol, além de fosfolipídios e polifenóis, rico em aminoácidos e vitaminas A e E.

Vale ressaltar que o óleo de avestruz não é um medicamento, mas sim um alimento natural que pode agir como coadjuvante na prevenção de doenças e, para ter bons resultados, os nutrólogos e nutricionistas aconselham que ele seja consumido diariamente.

Produzido pela Amazon Struthio e registrado pelo Ministério da Agricultura (SIF 1432), o óleo de avestruz é livre de corantes e conservantes uma vez que é extraído da ave. Produtos químicos e elevadas temperaturas não são utilizados no processo de extração, já que o óleo puro e natural é estável, com validade de 2 anos.

O óleo de avestruz é totalmente natural, livre de corantes e conservantes uma vez que é extraído da ave. Cerca de 60% do óleo de avestruz é composto por um mix de quatro ômegas (3, 6, 7 e 9), ácidos graxos essenciais ao organismo humano. Produtos químicos e elevadas temperaturas não são utilizados no processo de extração, já que o óleo puro e natural é estável, com validade de 2 anos.

A Amazon Origin recomenda para aqueles que a dosagem mínima diária seja metade do peso em gotas. Ou seja, um adulto que pesa 60 quilos vai consumir 30 gotas, divididas em 10 gotas, antes do café da manhã, almoço e jantar, como suplemento alimentar e também para quem quer perder peso.

Uso também na gastronomia

Além de favorecer a saúde preventiva pelo aumento da imunidade e seus efeitos regenerativos na pele, tem ainda a possibilidade de uso culinário no preparo de receitas gastronômicas. Com vários componentes benéficos à saúde, o óleo de avestruz vem sendo procurado nas lojas de produtos naturais e farmácias cariocas para consumo.

“A vantagem do uso na gastronomia é que quando o óleo de avestruz é submetido a altas temperaturas ele não perde suas características nutricionais e não se transforma em gordura trans. Pode ser utilizado como tempero de saladas, adicionado a shakes, sucos, chás, sopas, feijão, misturado em granola, iogurte, salada de frutas”, explica Antonio Carlos Ribeiro, também diretor da Amazon Origin.

O Óleo de Avestruz da Amazônia é fabricado em Rondônia e tem selo da Anvisa para ser comercializado como alimento. O alimento chega ao Rio de Janeiro em três versões:  óleo em gotas alimento natural, spray e creme que pode ser utilizado como creme multiuso – perfil anti-inflamatório e no preparo de alimentos.

Com sede no mercado da Cadeg, em Benfica, Zona Norte do Rio, a Amazon Origin já distribui o suplemento em todo o Estado do Rio e também recebe encomendas pela internet. O frasco, que dura em média 30 dias, é vendido por R$ 50.

Curiosidades sobre o avestruz 

– O avestruz tem uma expectativa de vida de 85 anos (varia entre 50 e 79 anos)

– A ave reproduz até os 45 anos e conta com 20 a 30 anos de ciclo reprodutivo, com início aos 2 ou 3 anos

– É o animal de maior resistência imunológica: seu óleo/gordura tem tamanho molecular mais próximo da molécula humana

– É um animal bastante rústico, muito resistente a doenças e possui uma ótima capacidade de adaptação climática, suportando bem altas e baixas temperaturas.

– Sua carne tem um terço da gordura da carne de frango. Sem pele, baixo teor calórico, baixo colesterol, recomendada pela Associação Médica de Cardiologia dos EUA

– A temperatura corpórea do avestruz é igual a dos humanos

– Seu peso varia de 60 a 150 kg

– Ave de grande porte, pode alcançar na fase adulta de 2 a 2,5 m de altura

– Notável animal corredor (atinge até 60 km/h); possui pés com dois dedos, dos quais apenas um com unha.

– O macho é quem faz o ninho, choca os ovos e cuida dos filhotes de até 3 meses de idade.

– A criação de avestruzes, chamada estrutiocultura, se iniciou no Brasil em 1995 e cresceu rapidamente como um dos mais rentáveis e promissores segmentos do agro-business desta década devido aos atraentes indicadores de custo-benefício

– O animal tem capacidade de postura de 40 a 60 ovos/ano, atinge a idade de abate aos 13 meses, com 140 KG em média

– Uma fêmea põe de 40 a 100 ovos por ano que, pesam aproximadamente de 1,2 a 1,8 Kg e são incubados em média por 42 dias.

– Ostrich na língua inglesa, esta ave é cientificamente conhecida como Strutio Camelus Australis, originária do continente Africano, pertence à família das “Ratitas” – ou seja aves que não voam. Desta mesma família, fazem parte a Ema, originária das Américas e o Emu, raça originária da Austrália.

– Seu aparelho digestivo é semelhante ao dos ruminantes: ou seja, não possui papo, possui 2 estômagos, 2 cecos, longo intestino grosso, digestão bacteriana e alimenta-se de ração e pasto verde.

– O dimorfismo sexual é marcante: nos adultos o macho é preto com as pontas das asas brancas e a fêmea é cinza, entretanto tal diferença só aparece a partir de 1 ano e meio de idade.

– Um avestruz produz entre 30 a 45 Kg de carne vermelha de primeiríssima qualidade. O consumo em nosso país, é relativamente dependente da importação, pois o abate ainda é muito pequeno.

– Entre os subprodutos do avestruz estão o couro, utilizado na confecção de roupas finas, bolsas e carteiras, valendo de US$ 150 a US$ 300 o metro quadrado, e as plumas – uma ave na fase adulta fornece em torno de 2 quilos de plumas por ano. O Brasil, é o maior importador mundial de plumas demandando grande mercado para este sub-produto.

– Nada se desperdiça na estrutiocultura – ovos inférteis são utilizados para o artesanato em geral – sendo comercializados entre US$ 10 e US$ 30/unidade.

*Nota da Redação – A jornalista visitou a sede da Amazon Origin no mercado da Cadeg, no Rio de Janeiro, a convite da empresa.

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!