Miss Cadeirante recebe alta e reforça campanha de apoio após cirurgia

Alice Bekker precisa de ajuda para custos da recuperação – ela mora sozinha com seu filho de 7 anos, órfão do homem que a deixou paraplégica

Kewin, de 7 anos, foi buscar a mãe no hospital: Alice Bekker prossegue vaquinha (Fotos: Acervo Pessoal)
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

A modelo carioca Alice Ribeiro da Cunha, de 26 anos, Miss Brasil Cadeirante 2023, que ficou paraplégica aos 20, após levar um tiro do ex-companheiro, recebeu alta nesta segunda-feira (12), após uma semana internada na enfermaria do Hospital Universitário Antônio Pedro, em Niterói (RJ). “Olha quem veio me buscar?”, postou ela, mostrando fotos do filho Kewin, de 7 anos, que já estava com saudade da mãe.

No último dia 5, Alice Bekker, como é conhecida, fez uma nova cirurgia complexa, que durou mais de 10 horas, para colocação de placas e parafusos na coluna, com objetivo de reduzir as dores causadas pelo hipercifose, uma complicação decorrente da lesão na medula que tirou os movimentos de suas pernas.

Apesar da esperança de reduzir o desconforto, Alice teme o pós-operatório, já que não tem apoio familiar e enfrenta dificuldades financeiras para se sustentar sozinha com o filho. A vaquinha que a Miss lançou em dezembro de 2023 para ajudar nas despesas do pós-operatório alcançou somente R$ 1,2 mil até esta sexta.

A meta era atingir R$ 20 mil, para conseguir pagar uma pessoa para ajudar na sua recuperação em casa e também nos cuidados com o filho – eles moram em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. A volta para casa foi marcada por conta das fortes chuvas que caíram na cidade.

“Estou com medo. Como vou fazer em casa? Não consegui o valor da vaquinha nem para pagar alguém pelo menos um mês. Mas vou ter que ir e fazer as coisas todas sozinha”, contou Alice. Ela diz que está conseguindo dormir mais do que antes, mas as dores ainda são intensas. “Estão me aplicando remédios via subcutânea por conta da dor”, revelou ao ViDA & Ação.

 

Sem poder trabalhar como modelo por conta das dores que sofre na coluna, a jovem acaba dependendo da ajuda de amigos e vizinhos que os apoiam. Sua única renda, o BPC LOAS, equivalente a um salário mínimo, foi cortado, segundo ela, por falta de atualização e da prova de vida Lu Rufino, organizadora do Miss Cadeirante, tem buscado ajudar para regularizar a situação junto ao INSS e retomar o recebimento do benefício.

Saiba como colaborar na recuperação da Miss Cadeirante clicando aqui 

Leia mais

Luiza Brunet leva solidariedade a Miss Cadeirante no hospital
Miss Brasil Cadeirante 2023 faz vaquinha para pós-cirurgia
Conheça as histórias da Miss Cadeirante 2020 e de outras finalistas
Miss Cadeirante Rio de Janeiro é coroada no Palácio da Cidade

Depois de Luiza Brunet, Alice recebe visita de outra Miss Cadeirante

Na última segunda-feira (8), Alice recebeu uma visita ilustre: a atriz, empresária e modelo Luiza Brunet, de 61 anos, que se tornou ativista em defesa de mulheres após ser vítima de violência doméstica. Nesta quinta-feira (11), foi a vez de uma das candidatas que concorreram também ao Miss Cadeirante 2023 pelo Rio de Janeiro. Eleita Miss Simpatia no concurso, Tayssa Yang levou artigos de higiene pessoal para a colega.

Durante a semana, Alice ainda recebeu a equipe da neurocirurgia, que atuou no seu procedimento, e tirou fotos. Ela também não esqueceu de agradecer à equipe da enfermaria. “São elas que dão remédio, que trocam a fralda, que dão o banho e dão carinho e amor, que cuidam da gente enquanto a gente está no hospital”, disse a miss.

 

O médico neurocirurgião João Paulo Chevrand Latini (foto) – que atua na equipe do neurocirurgião Paulo Rogério Cortez, responsável pela cirurgia de Alice – esteve com a paciente nesta sexta-feira para lhe dar alta e fazer as recomendações necessárias. Um grupo de amigos acompanha sua evolução pelo whatsapp.

Entenda a nova cirurgia de Alice

Alice foi submetida a uma nova cirurgia para correção da hipercifose, uma deformidade acentuada na coluna, que causava muitas dores. Chamado de artrodese da coluna torácica, que consiste na fixação da coluna lombar com hastes e parafusos, o procedimento durou cerca de 10 horas no último dia 5 de janeiro.

“Foi uma cirurgia de correção da deformidade de coluna que faz com que a paciente tenha uma melhora da qualidade de vida e menos dor. A cirurgia foi um sucesso, não teve nenhuma intercorrência, (a coluna agora) está bem posicionada”, explicou ao ViDA & Ação o neurocirurgião Paulo Cortez, responsável pelo caso.

Segundo ele,  Alice sofreu uma lesão grave na coluna, que causou uma deformidade que é uma hipercifose, uma curva anormal da coluna que causava muita dor para a paciente e não deixava ela ficar numa posição correta. “Então, quando ela ficava na cadeira de rodas, causava outros tipos de machucados para ela”, comentou.

Alice permanece com a bala que a deixou paraplégica alojada próximo da medula, já que sua remoção representaria mais riscos que benefícios, segundo os médicos. Paulo Cortez confirmou que não há chances de Alice voltar a andar.

“Sobre a questão de voltar ao andar, não. A cirurgia não foi para isso. Infelizmente, quando ela teve essa primeira lesão na coluna, teve um machucado na medula e isso foi definitivo”, completou.

Assim como Luiza Brunet, Alice também se tornou uma ativista em defesa das mulheres vítimas de violência. Apesar do prognóstico pessimista dos médicos, sobre a remota probabilidade de voltar a andar, a modelo sonha com o dia em que poderá, finalmente, desfilar de pé – quem sabe até ao lado de sua ídola e ‘madrinha’, Luiza Brunet.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!