Febre maculosa: crianças e adultos têm os mesmos sintomas?

Médicos explicam como proteger as crianças da febre maculosa em passeios a fazendas, parques ecológicos e pescarias

Crianças devem evitar gramados onde há presença de animais que podem ter carrapatos (Foto: Banco de imagens)
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Casos recentes de mortes por febre maculosa reacenderam o alerta para a doença infecciosa transmitida pela picada do carrapato-estrela, infectado com uma bactéria chamada Rickttesia que, penetrando no corpo do ser humano, pode ser fatal. O surto de febre maculosa que já causou 53 mortes em todo o país tem gerado uma grande onda de preocupação, especialmente de pais em relação às crianças.

Victor Horácio de Souza Costa Júnior, infectologista do Hospital Pequeno Príncipe, exclusivamente pediátrico, tira as principais dúvidas sobre a doença e explica se há diferença nos sintomas de adultos para crianças.

“Não há uma diferenciação de sintomas de crianças para adultos, e o infectologista destaca que é preciso estar atento a sinais que a doença apresenta, como febre; dor de cabeça, náusea e vômito; dor muscular, inchaço e vermelhidão na palma das mãos e sola dos pés. Além desses, os quadros de febre maculosa podem apresentar sintomas mais graves”, afirma.

Por isso, é muito importante que após passeio em áreas rurais e de risco para carrapatos, os pais supervisionem se as crianças não estejam ou continuam com carrapatos pelo corpo, como alerta Martim Elviro de Medeiros Junior, médico de família e docente do curso de Medicina da Faculdade Santa Marcelina.

“Ao perceber esta situação, sobretudo se houve idas a áreas rurais ou áreas que tem carrapatos (trilhas, passeios em fazendas, parques ecológicos, pescarias) a pessoa deve procurar imediatamente o serviço de saúde, pois o tratamento é feito com antibióticos simples. Se a situação não for reconhecida, a doença pode ser muito grave”, alerta o especialista.

‘Não existe transmissão de pessoa para pessoa’

A transmissão da doença não acontece de pessoa para pessoa, nem de animal hospedeiro para ser humano. Ela só vai acontecer se ocorrer a picada do carrapato infectado, segundo Victor Horácio. “Não existe transmissão de pessoa para pessoa, sempre é necessário que haja o vetor (carrapato) e este tenha a bactéria (rickttesia) para que haja a transmissão”, explica Martim Elviro de Medeiros Junior.

febre maculosa é uma doença infecciosa, de caráter febril, aguda e que pode manifestar-se de forma leve ou levar a quadros graves. A doença é transmitida pela picada de carrapatos, principalmente o estrela, que é encontrado em animais como capivaras, bois e cavalos.

Os sintomas da febre maculosa podem ser confundidos com os de outras patologias, e o resultado laboratorial do exame que confirma a doença pode demorar até 60 dias em algumas situações. Então é fundamental buscar atendimento médico imediato ao observar qualquer sinal, que pode surgir entre dois e 14 dias após a picada do carrapato, principalmente se a pessoa tiver frequentado um local considerado de risco.

“A doença tem uma alta taxa de letalidade, então os pacientes infectados também podem ter complicações sistêmicas mais graves como edema generalizado, insuficiência renal, manifestações neurológicas e até mesmo alucinação. Também podem ter fenômenos hemorrágicos, inflamação do músculo cardíaco, quadro de pneumonia com insuficiência respiratória, quedas de pressão e até mesmo levar a óbito”, diz Victor Horácio.

Tratamento com antibióticos

O tratamento é feito com a administração de antibióticos e, quanto antes for iniciado, melhor será a recuperação do paciente. “Essa doença é muito grave, então é importante lembrar que o tratamento com o antibiótico deve ser iniciado já na suspeita”, ressalta Victor Horácio de Souza Costa Júnior, infectologista do Hospital Pequeno Príncipe.

Após a picada do carrapato o período de incubação é de cerca de 7 dias (com variação de 2 a 14 dias) aparecendo sinais e sintomas de febre, cefaleia, mal-estar e manchas no corpo. A conduta é clínica e epidemiológica, pois os exames podem ser falso positivos entre o sétimo e décimo dia.

Os exames laboratoriais podem demorar em média 10 dias para serem positivos, por isso a clínica e a exposição definem a conduta. Ao notar que foi picado por um carrapato retire o mesmo o mais rápido possível com uma pinça ou delicadamente, sem esmagá-lo, pois, isso aumenta o risco de transmissão.

“Em caso de febre e exantema, erupção avermelhada que aparece na pele devido à dilatação dos vasos sanguíneos ou inflamação, principalmente nas extremidades e nos punhos, palmas das mãos e plantas dos pés, as complicações em crianças podem ser quadros sépticos com comprometimento de múltiplos sistemas como os neurológicos, sistema renal e etc.”, reitera.

Como se proteger da febre maculosa

Ao circular em áreas de risco ou que tenham a presença de animais hospedeiros do carrapato-estrela, é fundamental redobrar cuidados:

  • usar roupas claras e compridas;
  • optar por calçados fechados;
  • evitar andar em locais de risco;
  • manter antipulgas e carrapatos dos animais domésticos em dia;
  • passar repelentes;
  • ao notar a presença de um carrapato: não esprema, retire-o o quanto antes com o auxílio de uma pinça e lave o local com álcool ou água e sabão.

Com Assessorias

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!