Grandes empresas e até governo dos EUA se unem em apoio ao Amazonas

Conheça algumas iniciativas para ajudar o governo do Amazonas a enfrentar a pior crise sanitária com surgimento de nova cepa do coronavírus

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Diante do grave cenário social provocado pela segunda onda do Covid-19 no Estado do Amazonas, com falta de oxigênio nos hospitais da capital Manaus, empresas nacionais e multinacionais e até o Governo dos Estados Unidos estão se mobilizando para apoiar as ações de enfrentamento à pandemia.

A Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (USAID), o Grupo +Unidos, a Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) e a UNA+ formaram a iniciativa Juntos Pelo Amazonas para adquirir insumos hospitalares para estado do Amazonas. Até o momento, a iniciativa arrecadou, por meio da parceria com o Mercado Pago, mais de R$ 300 mil em doações diretas.

Além de fornecer equipamentos de proteção aos trabalhadores da área de saúde no estado, a iniciativa doou R$ 1,6 milhão para o programa Unidos Contra a Covid-19, da Fiocruz. O valor será empregado na construção de usinas de produção de oxigênio para apoiar os hospitais públicos da região. Até o momento, a fundação e o setor privado já doaram cinco usinas.

Ainda de acordo com nota da Embaixada dos EUA, o governo americano “continua a fomentar conversas regulares com o governo federal sobre a situação em Manaus”. O escritório americano de Pesquisa Naval Global (ONR) disponibilizou uma bolsa de pesquisa de cerca de R$ 1 milhão para produzir ventiladores hospitalares de baixo custo, sendo que 40 deles já foram enviados a Manaus.

Além de US$ 13.8 milhões como parte do apoio no combate à Covid-19, o governo dos EUA doou ao governo do brasileiro 1.000 ventiladores pulmonares para a distribuição em locais com mais demanda – equipamentos essenciais para o fornecimento de oxigênio aos pacientes hospitalizados.

Desde o início da pandemia da Covid-19, o governo dos EUA afirma que “tem se comprometido em ajudar os amigos brasileiros”. A assistência humanitária prestada inclui apoio a atividades emergenciais em saúde, água, saneamento e higiene; US$ 2 milhões em fundos à saúde para apoio imediato a comunidades vulneráveis no Amazonas, prevenção e controle de infecções em unidades de saúde, água e saneamento e vigilância e resposta rápida à doenças e incentivo a investimentos do setor privado para mitigar os impactos não sanitários da doença. 

O governo e o setor privado dos EUA estão fortemente empenhados em ajudar o povo brasileiro a combater a Covid-19 no Brasil e juntos já disponibilizaram cerca de US$ 75 milhões (R$ 414 milhões) para uma série de iniciativas, incluindo doação de equipamentos de saúde, alimentos, produtos de higiene e proteção individual, além de projetos de apoio a empreendedores, inteligência artificial e combate à desinformação”, diz o governo americano, em nota.

Com a escassez de oxigênio no estado, a Embaixada dos EUA adotou uma abordagem estratégica para ajudar a desenvolver soluções de curto e longo prazo para a produção local de oxigênio. “Estamos trabalhando com parceiros brasileiros e norte-americanos para oferecer diferentes tipos de apoio às instalações médicas e aos residentes do Amazonas”, informa a nota.

Empresa dobra doação para compra de equipamentos médicos

A Vivo, por meio da Fundação Telefônica Vivo, doou R$ 150 mil para compra de equipamentos médicos no estado na última semana.Além disso, desafiou os colaboradores a realizarem missões sociais por meio do Game do Bem, uma plataforma gamificada de voluntariado digital: se em uma semana, fossem completadas 2000 missões, a empresa dobraria o valor da doação.

As missões consistiam, principalmente, no compartilhamento nas redes sociais sobre a iniciativa da região Norte, a fim de divulgar as ações da instituição, aumentando ainda mais a visibilidade e apoio da sociedade para este momento tão difícil.

Os colaboradores também podiam engajar familiares e amigos na ação, por meio de convite digital para acesso à plataforma. Após comprovar o compartilhamento, as missões passavam por auditoria para serem confirmadas. A meta foi cumprida nesta quarta-feira, 3/02, e a operadora está adicionando R$ 150 mil reais à primeira doação, totalizando R$ 300 mil.

A ONG Expedicionários da Saúde será a parceira responsável pela compra e logística dos materiais, que inclui a definição das cidades e hospitais que receberão os equipamentos, em função de maior necessidade no estado do Amazonas.

O investimento faz parte de outras iniciativas de ajuda humanitária realizadas pela Vivo em 2020, que disponibilizou R$ 36,6 milhões para 12 Estados, sendo R$ 3 milhões no Amazonas, que incluiu respiradores, equipamentos hospitalares, EPIs e também recursos para segurança alimentar das famílias afetadas economicamente pela pandemia.

Farmacêutica doa insumos médico-hospitalares

Em solidariedade à população amazonense, o laboratório farmacêutico EMS realizou em janeiro a doação de R﹩ 2 milhões ao Estado do Amazonas, incluindo medicamentos e equipamentos hospitalares, como cateteres de oxigênio, válvulas reguladoras de oxigênio para rede de gases, válvulas reguladoras de oxigênio para cilindro, fluxômetros, vacuômetros e tomadas para cilindro de oxigênio.

A empresa já destinou, desde 2020, cerca de R﹩ 15 milhões para auxiliar no enfrentamento à Covid-19 pelo País, das mais diversas maneiras: com a compra de equipamentos, insumos e materiais de higiene pessoal e de limpeza para hospitais e profissionais de saúde; com doações de alimentos (275 toneladas até o momento) àqueles em situação de maior vulnerabilidade; e com o apoio à instalação de lavatórios públicos em comunidades carentes de São Paulo, para levar a elas acesso à agua e informação sobre higiene, entre outras atitudes.

Kits de higiene para comunidades ribeirinhas de Manaus

E em parceria com o Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), o Carrefour se mobilizou para doar kits de higiene para a população ribeirinha e luvas hospitalares para as maternidades públicas locais. O kit inclui álcool em gel, máscara de proteção facial, água sanitária, detergente, sabão em barras e absorventes femininos. Incluindo as luvas, quase 86 mil itens serão distribuídos.

A empresa afirma que tem beneficiado a região da Amazônia Legal e Manaus, especificamente, desde maio de 2020, com a entrega de cestas básicas e de máscaras de proteção facial cirúrgica e de tecido duplo.

ABRH Brasil arrecada fundos para ajudar Manaus

A Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH Brasil) e suas seccionais estão promovendo uma campanha de arrecadação para ações de auxílio no combate à pandemia de Covid-19 em Manaus (AM). Toda a verba será destinada ao enfrentamento da doença, diante do colapso registrado no sistema de saúde do estado do Amazonas.

O objetivo da iniciativa é mobilizar a comunidade de RH e Gestão de Pessoas a aderir à campanha nacional de solidariedade que se formou para a doação de fundos para Manaus. As contribuições podem ser realizadas por PIX (03.862.217/0001-07) ou transferência bancária (Banco do Brasil – Agência 4219-6 – Conte corrente 1177-0). Favorecido: Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional Amazonas – CNPJ 03.862.217/0001-07.

NO RIO DE JANEIRO

3 mil testes de Covid para comunidades carentes

Com foco em auxiliar o combate à pandemia da COVID-19 nas comunidades carentes, a DFL, especializada em soluções para produtos odontológicos e médicos, doou três mil testes rápidos de diagnóstico da Covid-19 para o projeto Conexão Saúde: de olho na Covid-19. A iniciativa é fruto da parceria da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com o Conselho Comunitário de Manguinhos, Redes da Maré, Dados do Bem, SAS Brasil e União Rio, e conta com o apoio da gestão municipal, por meio das unidades de saúde da Área Programática local.

A ação tem como objetivo viabilizar o atendimento de saúde nas comunidades e contribuir para o enfrentamento da pandemia. O projeto garante desde a orientação e o apoio à população local, até a telemedicina, testagem molecular, rastreamento de contactantes e produção de mapas de risco dentro das comunidades.

Segundo os especialistas envolvidos, essas ações, implementadas de forma estruturada, constituem uma proposta de vigilância ativa que poderia ser considerada um modelo para o enfrentamento da pandemia em comunidades carentes e nos territórios populares, além de impactar significativamente na redução de mortes e de insegurança social entre os moradores das áreas mais vulneráveis.

A expectativa é que a iniciativa possa deixar um legado nos territórios onde seja implementada, com bases técnicas para o desenvolvimento de ações de Vigilância Ativa em Saúde, a construção de expertise para estratégias de distanciamento social em comunidades carentes, consolidação de modelos de comunicação voltado para emergências em saúde e ações de teleatendimento em psicologia e medicina adequado às condições de populações vulnerabilizadas.

A doação faz parte de uma das ações do Comitê de Ação Social, criado pela DFL, como forma de contribuir para o combate da pandemia da COVID-19 e auxiliar comunidades carentes durante o período de crise. Através do comitê, a empresa já doou mais de 1 tonelada de cestas básicas composta por alimentos e produtos de higiene para o Projeto Dom de Amar, na comunidade de Curicica, em Jacarepaguá.

Também produziu e doou mais de 2 mil frascos de álcool em gel para a Polícia Civil e Rotary Club do Rio de Janeiro, associação de clubes de serviços com voluntários a fim de prestar serviços humanitários. Além da doação de 780 kg de alimentos para o Retiro dos Artistas, instituição localizada no bairro do Pechincha, em Jacarepaguá, que acolhe artistas idosos que passam por dificuldades financeiras e emocionais.

1 milhão de máscaras para a Educação

A empresa BYD, multinacional de energia limpa e fabricante de veículos elétricos, doou à Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro um milhão de máscaras descartáveis. “Essa doação de máscaras para os profissionais de Educação significa que 53 mil profissionais na ativa terão a proteção adequada”, disse o secretário municipal de Educação, Renan Ferreirinha, ressaltou a importância da atitude, às vésperas da retomada das aulas, após muito debate com uma equipe técnica, com especialistas, e validado com o comitê científico

Com Assessorias

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!