Voluntários retiram 350kg de resíduos de lagoa no Rio

Maioria dos resíduos era de plásticos (incluindo isopor), garrafas de vidro e latas de metal descartados incorretamente nas águas da Marapendi

Mutirão de limpeza reuniu voluntários na Lagoa de Marapendi, Barra da Tijuca (Fotos: Divulgação)
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Mais de 60 voluntários retiraram 350 quilos de resíduos plásticos, vidro, papel e metal foram retirados das águas e das margens da Lagoa de Marapendi, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Em três horas de trabalho voluntário no último domingo (19), um trecho de 280 metros quadrados de área da lagoa foi percorrido por quatro equipes direcionadas para diferentes pontos.

Dentre os itens mais coletados, estão os resíduos plásticos (incluindo isopor), além de garrafas de vidro e latas de metal que foram descartados incorretamente nas águas da Marapendi. Depois da coleta, todo o material foi separado, pesado e encaminhado para a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), que ficará responsável pela destinação correta dos resíduos.

Para Cristiana Queiroga, fundadora do movimento SOS Lagoas, 350 kg de resíduos recolhidos é uma quantidade bem significativa para o local. “Levando em consideração que a área percorrida pelas equipes de voluntários nessa ação é vista como a lagoa mais limpa do Complexo Lagunar de Jacarepaguá, coletamos muitos itens”, comenta.

Ela que é praticante de windsurf, realiza mutirões mensais de limpeza e de conscientização, há 6 anos, buscando mobilizar sociedade civil e órgãos públicos e estimular que cada cidadão se torne protagonista na recuperação das lagoas da toda cidade.

A ação fez parte de mais uma etapa do projeto de limpeza e preservação de praias, rios e lagoas, promovido pela Sprite em parceria com o Sistema Coca-Cola Brasil, representado pela Rio de Janeiro Refrescos, e o programa Blue Keepers, ligado à Plataforma de Ação pela Água e Oceano do Pacto Global da ONU no Brasil, com participação também da Guarda Municipal e do Corpo de Bombeiros.

O calendário de limpeza de praias, rios e lagoas de Sprite teve início em novembro de 2022, e já passou e passará por seis grandes cidades brasileiras ao longo do ano: Rio de Janeiro (RJ), Manaus (AM), Fortaleza (CE), Recife (PE), Salvador (BA) e Santos (SP). Cada cidade contará com pelo menos quatro limpezas de mobilização, sensibilização e coleta.

Estado do Rio ganha programa Praias Limpas

O Estado do Rio de Janeiro acaba de ganhar o Programa Praias Limpas, com o objetivo de integrar instituições públicas e entidades privadas na despoluição e conservação das praias fluminenses. A determinação é da Lei nº 9.976/23, de autoria do deputado Carlos Minc (PSB), que foi sancionada pelo governador Cláudio Castro e publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (08/03).

O programa terá ações de adequação, construção e limpeza de galerias pluviais, limpeza de rios e córregos, melhoria da coleta de lixo, conservação urbana de ruas, margens e orlas. A medida estabelece também o ordenamento urbano com realocação de residências precárias em margens de rios, obras de melhorias habitacionais de interesse sociais, monitoramento de água e areia e limpeza da praia e do fundo do mar como forma de educação ambiental.

A coordenação do programa ficará a cargo do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), que vai ser responsável por elaborar diagnósticos e ações, garantindo a implantação de galerias de cintura de tempo seco, redes, troncos coletores, elevatórias e linhas de recalque pelas concessionárias de saneamento. O órgão também deverá formalizar parcerias com entidades privadas, organismos internacionais, estados e municípios.

“Hoje, temos um cronograma de obras de saneamento que serão executadas pelas concessionárias que venceram o Leilão da Cedae, e que conforme contrato, preveem a instalação de galerias de cintura para interceptação dos esgotos e envio ao tratamento, por toda a metrópole do Rio de Janeiro. É urgente, portanto, que se possa, com base na experiência exitosa do passado, levar as ações de recuperação integradas, para além das obrigações das concessionárias a todos os Rios e Praias do estado, na medida em que estas sejam contempladas pelo cronograma citado”, comentou Minc.

Para executar o programa, a norma prevê a alocação de recursos aportados pelas concessionárias de saneamento, do Fundo de Conservação Ambiental (Fecam), do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (FEDRHI), das compensações oriundas dos processos de licenciamento ambiental, de eventuais Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) e de consórcios públicos destinados à conservação ambiental. Também estão previstos recursos do sistema de logística reversa implantados por empresas que devem realizar a coleta do lixo disperso nas praias.

150 milhões de toneladas de plástico nos mares

Hoje, estima-se que 150 milhões de toneladas de plástico circulem no mar. Como promotor do ODS 14, o Blue Keepers  faz parte da Década do Oceano, criada pela ONU em 2020, que visa a conservação e uso sustentável dos oceanos, mares e recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.

Esta iniciativa nacional busca a efetiva mobilização de recursos e inovação tecnológica no combate à poluição do plástico em bacias hidrográficas e oceanos, com o envolvimento de empresas de todos os setores, diferentes níveis de governo e da sociedade civil na preservação do ecossistema.

Sobre o Pacto Global da ONU

Como uma iniciativa especial do secretário-geral da ONU, o Pacto Global das Nações Unidas é uma
convocação para que as empresas de todo o mundo alinhem suas operações e estratégias a dez princípios
universais nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e anticorrupção.

Lançado em 2000, o Pacto Global orienta e apoia a comunidade empresarial global no avanço das metas e valores da ONU por meio de práticas corporativas responsáveis. Com mais de 16 mil empresas e quase 4 mil organizações não-
empresariais, distribuídas em 70 redes locais, que abrangem quase 170 países, é a maior iniciativa de
sustentabilidade corporativa do mundo.

No Brasil, o Pacto Global da ONU foi criado em 2003, e hoje caminha para a segunda maior rede local do
mundo, com mais de 1.800 participantes. Os mais de 50 projetos conduzidos no país abrangem,
principalmente, os temas Água e Saneamento, Alimentos e Agricultura, Energia e Clima, Direitos Humanos e
Trabalho, Anticorrupção, Engajamento e Comunicação.

Para mais informações, siga @globalcompact nas mídias sociais e visite o website.

Fonte: Sprite e Alerj

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!