Em tempos de ataques negacionistas à Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária e seus funcionários, um vídeo lançado pela Fundação Oswaldo Cruz chama atenção. De forma divertida, lúdica, satírica, o Instituto de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS/Fiocruz) conta a História da vigilância sanitária no Brasil antes e depois de sua criação, por meio de um vídeo com charges de Manoel Caetano Mayrink e outras histórias. O vídeo tem quatro minutos de duração, está disponível no canal do Instituto no YouTube.

O conteúdo aborda desde as primeiras atividades de vigilância sanitária no Brasil e suas características, até os dias atuais, em que esta área tem se mostrado fundamental durante a pandemia da Covid-19. Passa por momentos marcantes, como o controle e erradicação da febre amarela e da varíola no Rio de Janeiro, tendo à frente Oswaldo Cruz, patrono da Fiocruz.

Outras fatos mostrados são a criação do Laboratório Central de Controle de Drogas, Medicamentos e Alimentos (LCCDMA), que deu origem ao INCQS, em 1981; a criação do Sistema Único de Saúde (SUS) na Constituição Federal de 1988, com princípios da Reforma Sanitária (anos 70) e da 8ª Conferência Nacional de Saúde (1986); e a implantação da Anvisa no fim da década de 90.

“A proposta é aproximar a população da vigilância sanitária de forma leve e atraente, para que as pessoas se interessem pelo tema, seja para seguir as medidas de segurança sanitária no seu dia a dia, seja para despertar o gosto por esta área da saúde”, explicou o diretor do INCQS/Fiocruz, Antonio Eugenio de Almeida.

Ciência e Saúde: desinformação, ética e pesquisa

A Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde (Reciis), editada pelo Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz), está com chamadas públicas abertas para artigos  que irão compor a coletânea de três números do volume 2022. Criar uma interlocução entre diferentes áreas do saber e lançar luz sobre os processos de desinformação, especialmente relacionado à ciência e à saúde, em meio à pandemia é o principal objetivo da publicação.

Segundo os organizadores, a pandemia de Covid-19 coloca em evidência os fundamentos científicos nos processos midiáticos, principalmente na sua relação com a política governamental, fortalecendo o fenômeno da desinformação e fazendo circular expressão como “negacionismos científicos”.

Nesta esteira, a contemporaneidade pandêmica torna visível a necessidade de discutir a ética em pesquisa por um olhar mais ampliado do conhecimento, geralmente restrito aos modelos biomédicos. Com o distanciamento social, a crise sanitária também possibilitou fomentar dinâmicas de trabalho como o home office e por meio do uso de aplicativos, o que propicia discutir a saúde dos trabalhadores em plataformas digitais.

Para o v. 16, n. 2, o periódico está com chamada aberta para o dossiê Perspectivas multidisciplinares sobre desinformação em ciência e saúde. O dossiê se propõe a discutir os diferentes regimes de verdade, sistemas de crença e gramáticas morais em que os atores sociais se baseiam para as críticas à ciência, fomentadas por atravessamentos midiático-políticos. O prazo de submissão de artigos vai até o dia 3 de março de 2022 e a publicação está prevista para abril/junho do mesmo ano.

A articulação com diversos campos de conhecimento também é a tônica do dossiê Por uma Ética Interdisciplinar que irá compor o v. 16, n. 3. A proposta consiste em discutir tanto a ética quanto a pesquisa sobre problemas contemporâneos a partir de enfoques teóricos e metodológicos os mais interdisciplinares possíveis. Além das temáticas bioéticas convencionais, o dossiê se propõe a repensar as bases mais recônditas da ciência e da ética. O prazo de submissão de artigos para este dossiê vai até o dia 7 de abril e a publicação está prevista para julho/setembro de 2022.

Na última edição do ano de 2022, a Reciis contará com o dossiê Plataformas digitais e saúde, o qual tem o objetivo de compilar estudos sobre a intersecção entre saúde e trabalho em plataformas digitais, entendendo a urgência em analisar a saúde e bem-estar dos trabalhadores nesta dinâmica laboral a fim de prefigurar possibilidades futuras relacionadas à saúde nas plataformas de trabalho. O prazo de submissão de artigos vai o até o dia 30 de junho e a publicação está prevista para outubro/dezembro de 2022.

A Reciis é um periódico interdisciplinar trimestral de acesso aberto, revisado por pares e sem ônus para o autor. Além de trabalhos submetidos aos dossiês, a revista recebe textos em fluxo contínuo. Publica textos inéditos de interesse para as áreas de comunicação, informação e saúde; em português, inglês ou espanhol.  Saiba mais sobre editores convidados e eixos temáticos dos dossiês de 2022 da Reciis.

As normas do periódico podem ser consultadas na seção Preparação do artigo. Ao submeter trabalho para os dossiês, é necessário selecionar o título do dossiê ao qual ele está sendo destinado como seção. No caso de dúvidas, escreva para o e-mail: reciis@icict.fiocruz.br.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *