RJ ganha ‘painel de rumores’ para detectar fake news na saúde

Centro de inteligência em Saúde (CIS) contará com monitoramento em tempo real de doenças, dos usuários e notícias falsas

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Em uma iniciativa inédita na rede pública de saúde no Brasil, o Centro de inteligência em Saúde (CIS), inaugurado nesta sexta-feira (14/7) no Rio de Janeiro,  conta com o Painel de Rumores, que identifica e monitora todo tipo de notícias falsas (fake news) relacionada ao tema no Brasil e no exterior. Os dados do CIS têm como base as informações produzidas pelas prefeituras e pelo Ministério da Saúde e estarão disponíveis para acesso da população, pelo site da Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ).

O Centro de inteligência em Saúde (CIS), considerado o mais completo do país, ocupa um espaço de 1.300 metros quadrados na sede da SES-RJ, no bairro Rio Comprido, zona norte do Rio, e reúne, num mesmo ambiente, diversos serviços. Além do serviço de acompanhamento de fake news sobre temas de saúde, no local será realizada a vigilância epidemiológica de doenças; o monitoramento das vagas ofertadas de regulação de exames, consultas e internações; e o transporte inter-hospitalar doServiço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU-RJ), órgão responsável pelo atendimento móvel de emergência.

O Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) realizará o acompanhamento, em tempo real, da situação de diversas de doenças, como as chamadas arboviroses (dengue, zika e chikungunya, febre amarela), tuberculose, febre maculosa e gripe aviária, dentre outras.

Já a Central Estadual de Regulação (CER), órgão responsável pela regulação de consultas, exames e cirurgias, conta com equipes de profissionais (navegadores) que serão responsáveis por acompanhar desde o momento da inscrição do paciente no sistema, passando pela realização de procedimentos, até a alta, em um monitoramento total do usuário do SUS no estado.

Avanço para a regulação do estado

Desenvolvido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), com apoio da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), o CIS fornece conhecimento técnico e científico para agilizar e dar mais qualidade ao atendimento dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) no estado. Para o secretário de Saúde, Dr. Luizinho, o centro representa um avanço para a regulação do estado, transformando as estratégias em saúde para a população e permitindo tomadas de decisão com mais velocidade.

“O Centro de Inteligência é a chave de inovação em ciência de um estado digital, de apresentação de dados para não apenas monitorar, mas, principalmente, reduzir o tempo de resposta aos usuários da saúde pública, otimizando leitos, cirurgias e apoiando as prefeituras. O monitoramento e a identificação de emergências em saúde estão entre os pontos mais latentes na saúde pública”, disse o médico.

O governador Cláudio Castro destacou ainda que o CIS faz parte de uma política de transformação digital do Governo do Estado. Ao mesmo tempo em que são feitos investimentos na ampliação da oferta de vagas na rede de saúde, como o Rio Imagem Baixada, o Instituto Estadual do Cérebro, e, futuramente, unidades de hospitais do câncer em Nova Friburgo e em Nova Iguaçu.

“A partir deste Centro de Inteligência, a Secretaria de Saúde tem condição de saber, por um dado científico, onde tem leito disponível ou como está o andamento das filas de espera por vagas. As informações estão em um painel de monitoramento diário, com um trabalho de fiscalização e transparência para preenchimento dos leitos”,  afirmou.

O diretor da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), Jarbas Barbosa da Silva Jr., ressaltou que o CIS irá permitir que as autoridades estaduais saibam corretamente onde investir os recursos da saúde.

“A epidemia produziu um impacto negativo muito além dos casos de Covid-19. Em todos os países do mundo percebemos que é o momento de superar esse impacto negativo e nada melhor do que, em um sistema complexo como é a saúde, ter informação correta para que o secretário possa tomar decisão, mobilizar as prefeituras, os secretários municipais de saúde e, com isso, atuar conjuntamente”, disse Jarbas.

Fonte: SES/RJ

Leia mais

Lula: ‘Até os 10 anos, eu não sabia o que era um médico’
Rio Imagem Baixada vai agilizar diagnósticos de câncer
Rio promete desafogar em 20% a fila por cirurgias no SUS
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!