Café: vilão ou mocinho da sua rotina? Depende da dose de cafeína

Bebida mais consumida no mundo depois da água possui altas concentrações de cafeína. Nutricionistas explicam os benefícios e malefícios do café

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

dia 14 de abril é conhecido como o Dia Mundial do Café, em homenagem à segunda bebida mais consumida do mundo, perdendo apenas para a água. Números da expansão do mercado nos últimos anos comprovam que o café é uma paixão nacional e tem ganhado cada vez mais adeptos, especialmente entre as gerações mais jovens, graças às combinações e inovações das cafeterias e indústrias de café.

Estudo realizado pela plataforma CouponValido.com.br, com dados da Associação Internacional do Café (ICO) e do Dieese, com dados de consumo de 193 países aponta que os brasileiros tomam de 3 a 4 xícaras da bebida por dia. Em média, os brasileiros bebem de 3 a 4 xícaras por dia, o equivalente a beber cerca de 5,8 kg por ano.

Além de versátil, possui uma variedade de componentes com efeitos benéficos para a nossa saúde, entre eles a famosa cafeína, seu composto principal. Só para se ter uma ideia, uma xícara de café expresso contém de 90 a 200 mg de cafeína, enquanto a xícara do tradicional café coado tem entre 150 e 300 mg da substância. É bom lembrar que o teor de cafeína não depende apenas do tipo de café. Na verdade, fatores externos como a quantidade de água utilizada, tempo de contato da água com o café e tipo de pó também influenciam nesse aspecto.

Café melhora desempenho e acelera perda de peso

A cafeína é a substância mais consumida no mundo e encontrada em mais de 60 plantas, incluindo grãos de café, cacau e folhas de chá. Atua como um poderoso estimulante do sistema nervoso central (SNC), promovendo benefícios que não foram observados com o consumo de bebidas descafeinadas, como a melhora do humor, do foco e do estado de alerta.

Estudos mostram que, devido ao seu efeito estimulante, a cafeína pode proporcionar mais energia a melhorar o desempenho físico durante os exercícios, aumentando a frequência cardíaca e a pressão sanguínea, contribuindo para que mais sangue rico em oxigênio e nutrientes chegue mais rapidamente às células musculares. Por isso, ela é muito utilizada por atletas, já que atua diretamente no sistema nervoso central.

“A cafeína bloqueia os efeitos da adenosina, o hormônio responsável pelo aumento da sensação de cansaço, além de ampliar a atividade da dopamina, que estimula o cérebro, melhorando o humor, foco e estado de alerta”, afirma Carolina Tavares, nutricionista da Vitamine-se, marca brasileira que combina inteligência de dados e suplementos de alta qualidade.

A cafeína ainda favorece o uso de gorduras como fonte de energia, economiza combustível (glicogênio) para os músculos, reduzindo a fadiga e auxiliando no desempenho físico nos exercícios. Muito conhecida pelo seu efeito termogênico no organismo, a cafeína ajuda a acelerar o metabolismo, auxilia na queima de gordura e ainda contribui para o emagrecimento. Mas se engana quem acha que os seus benefícios param por aí.

“Por estimular o SNC, a cafeína eleva os batimentos cardíacos e aumenta a pressão sanguínea, o que faz com que chegue mais sangue, rico em oxigênio e nutrientes, de forma mais rápida, nas células musculares. Além disso, também favorece o uso das gorduras como fonte de energia, poupando combustível (glicogênio) para os músculos, o que ajuda a reduzir a fadiga, favorecendo a performance”, completa a especialista.

E por ser um estimulante, também é indicada para quem gosta de estudar – claro que em doses moderadas, né?! Pois além de melhorar a atividade mental, ela promove a sensação de alerta constante e aumenta a concentração, diminuindo também a fadiga mental.

Café não vicia, mas tira o sono e pode fazer mal a gestantes

A nutricionista Jussara Maria, professora do curso de Nutrição do UNINASSAU – Centro Universitário Maurício de Nassau Paulista, explica que a bebida é produzida por meio de grãos torrados do fruto do cafeeiro possui várias maneiras de ser apreciada, desde a escolha dos grãos para ser moídos até o preparo.

“O café possui estimulantes, como ácido clorogênico, ácido cafeico e kahweol. Esses compostos bioativos com propriedades antioxidantes são capazes de auxiliar na prevenção do envelhecimento precoce, câncer, depressão e diabetes”, destaca.

Porém, mesmo sendo uma bebida bastante consumida, ainda existem mitos e verdades sobre o café. Um exemplo de mito é dizer que o café vicia. Segundo a nutricionista, ao contrário do que muitos pensam, a cafeína e o café não estimulam um possível vício.

“Inclusive, muitos estudos mostram que os consumidores dessa bebida não desenvolvem dependência ao composto. A realidade é que as pessoas adquirem o hábito de tomar café regularmente e, quando essa rotina é alterada, alguns sintomas podem surgir, como a dor de cabeça”, afirma.

Uma verdade é que ele tira o sono da pessoa por causa da cafeína. “Essa substância estimulante tem um efeito médio de seis horas de duração no organismo humano. Quando a pessoa a ingere pouco antes de dormir, os receptores de adenosina, que causam a sensação de sonolência, são bloqueados e não funcionam normalmente”, afirma.

Durante a gestação, o consumo excessivo de café pode trazer alguns problemas, como alterações no crescimento do feto, prematuridade, malformações e até aborto espontâneo. Isso se deve ao fato do bebê não possuir enzimas responsáveis pela absorção e digestão da cafeína, ficando mais exposto à substância.

Estudos também mostram que a cafeína consumida na gravidez pode levar ao aumento de catecolaminas no sangue, tendo chances de prejudicar o feto. Isso ocorre por conta da vasoconstrição, ou seja, o estreitamento dos vasos sanguíneos.

Café: vilão ou mocinho na sua rotina?

De fato, o café é uma bebida apreciada por milhões de pessoas em todo o mundo. É uma fonte de energia, sabor e prazer que muitos não conseguem resistir. Mas qual é a quantidade certa de café que se deve tomar diariamente para evitar o consumo exagerado de cafeína? Nesses casos, é claro que sempre vale o bom senso. O ideal é procurar um nutricionista para ajustar a dose de acordo com a necessidade individual.

Clique Para Download

No Dia Mundial do Café, vale a pena refletir sobre o que o café significa para nós, e como podemos consumi-lo de forma equilibrada para aproveitar seus benefícios e evitar os malefícios. Ao longo dos anos, houve muitos estudos sobre os benefícios e malefícios do café. Alguns desses estudos apontam para benefícios significativos, enquanto outros indicam que o consumo excessivo de café pode ser prejudicial à saúde.

A nutricionista funcional Cris Ribas Esperança destaca as informações mais relevantes sobre o café, para que você possa desfrutar dessa bebida maravilhosa de forma consciente e saudável.

Benefícios do café se consumido com equilíbrio

1. Pode melhorar o desempenho físico e mental: a cafeína no café é um estimulante natural que pode melhorar o desempenho físico e mental. Pode aumentar a energia, a atenção e a concentração.

2. Pode ajudar na perda de peso: a cafeína no café pode aumentar a taxa metabólica e ajudar a queimar gordura. Além disso, o café é uma bebida sem calorias, desde que não seja adicionado açúcar ou outros aditivos calóricos.

3. Pode reduzir o risco de doenças crônicas: Alguns estudos sugerem que o consumo moderado de café pode reduzir o risco de várias doenças crônicas, como doenças cardíacas, diabetes tipo 2 e doenças neurodegenerativas, como Alzheimer e Parkinson.

4. “Pode ser rico em antioxidantes: o café contém vários antioxidantes que podem proteger as células do corpo contra danos causados pelos radicais livres. Alguns estudos sugerem que o café pode ser uma das principais fontes de antioxidantes na dieta ocidental.” Comenta Cris Ribas Esperança.

Malefícios do café se consumido em excesso

1. Pode causar ansiedade e nervosismo: o consumo excessivo de café pode causar ansiedade e nervosismo, especialmente em pessoas sensíveis à cafeína.

2. Pode levar à insônia: a cafeína no café pode afetar o sono, tornando mais difícil dormir ou permanecer dormindo. Isso pode ser especialmente problemático se o café for consumido à noite.

3. Pode aumentar a frequência cardíaca: o consumo excessivo de café pode aumentar a frequência cardíaca e levar à taquicardia em algumas pessoas.

4. Pode causar dependência: a cafeína é uma substância psicoativa e pode levar à dependência em algumas pessoas. Isso pode levar a sintomas de abstinência, como dor de cabeça, fadiga e irritabilidade.

5. Pode interferir na absorção de nutrientes: o consumo excessivo de café pode interferir na absorção de certos nutrientes, como cálcio, ferro e zinco, em algumas pessoas.

Como tomar café de forma equilibrada

Clique Para Download

1. Limite a quantidade de café que você bebe: o consumo moderado de café é considerado geralmente seguro para a maioria das pessoas. A recomendação geral é consumir até 400 mg de cafeína por dia, o que equivale a cerca de 4 xícaras de café. No entanto, é importante lembrar que a quantidade de cafeína no café pode variar significativamente, dependendo da variedade e do método de preparação. Por isso, é importante prestar atenção na quantidade de cafeína que você está consumindo.

2. Evite adicionar açúcar ou outros aditivos calóricos: Cris Ribas Esperança ressalta que o café em si é uma bebida saudável e sem calorias, mas quando adicionamos açúcar, creme, leite ou outros aditivos calóricos, podemos comprometer os benefícios do café para a saúde. Se você quiser adicionar um pouco de sabor ao seu café, tente usar leite sem gordura ou sem lactose, ou adoçantes naturais como stevia.

3. Não beba café à noite: a cafeína pode afetar o sono, portanto, evite consumir café à noite, especialmente se você já tem problemas para dormir. Se você precisar de uma bebida quente antes de dormir, tente chás de ervas sem cafeína.

4. Beba água: o café é diurético, o que significa que pode levar à desidratação. Certifique-se de beber água suficiente ao longo do dia para evitar a desidratação e manter o corpo hidratado.

5. Considere outras fontes de antioxidantes: o café é uma das principais fontes de antioxidantes na dieta ocidental, mas existem outras fontes de antioxidantes que você pode incluir em sua dieta, como frutas, legumes e chás de ervas.

A qualidade do café escolhido também merece uma atenção especial

Escolher uma boa marca de café é importante não apenas para garantir a qualidade e o sabor da bebida, mas também para assegurar que o produto esteja em conformidade com os padrões de higiene e segurança alimentar. Infelizmente, há casos de contaminação por sujidades e restos de insetos na moagem de café, resultando em riscos para a saúde.

Ao optar por uma marca de café de qualidade reconhecida no mercado e que possua os selos de qualidade exigidos pelos órgãos reguladores, é possível ter mais confiança na procedência e na pureza do produto. Além disso, as marcas de renome costumam investir em processos de produção mais rigorosos e tecnológicos, garantindo um produto final de alta qualidade.

“O café é uma bebida maravilhosa que pode trazer muitos benefícios para a saúde quando consumida com moderação e equilíbrio. Lembre-se de que a quantidade de cafeína que você está consumindo pode variar significativamente, então preste atenção na quantidade que você está bebendo e tente limitar a ingestão de açúcar e outros aditivos calóricos. Com essas dicas simples, você pode desfrutar de uma xícara de café deliciosa e saudável a cada dia“, finaliza Cris Ribas Esperança.

Curiosidades sobre o consumo de café

É comum que algumas pessoas sintam vontade de ir ao banheiro após consumir café. Isso acontece porque o café contém cafeína, uma substância estimulante que pode aumentar a atividade do sistema nervoso e do trato gastrointestinal.

cafeína estimula o cólon, que é a parte final do intestino grosso, a se contrair mais rapidamente e com mais força. Isso aumenta a velocidade com que o alimento é movido através do intestino, o que pode levar à vontade de defecar.

Além disso, o café é rico em ácido clorogênico, que ao diminuir subitamente o pH gástrico, intensifica o reflexo gastrocólico – Aumento do movimento muscular no trato gastrointestinal quando a comida entra no estômago vazio. Pode causar a urgência de ter um movimento intestinal (evacuar).

A nutricionista Cris Ribas Esperança explica que o café também estimula a produção de ácido clorídrico no estômago, o que pode aumentar a motilidade do intestino e a produção de muco no intestino. Esse aumento da produção de muco pode ajudar a lubrificar o revestimento do intestino e facilitar a passagem das fezes.

No entanto, é importante lembrar que a reação ao consumo de café pode variar de pessoa para pessoa. Algumas pessoas podem não sentir nenhum efeito no trato gastrointestinal, enquanto outras podem apresentar desconforto ou até mesmo diarreia após consumir café.

E se você não gosta de café, não se preocupe! Hoje, já é possível encontrar bebidas funcionais em pó, sem adição de açúcares, feitas com extratos naturais de frutas, cafeína e outros componentes para ajudar a dar mais energia, foco e disposição.

“No mercado já estão disponíveis bebidas funcionais em pó, compostas por cafeína, vitaminas do complexo B e outros componentes que ajudam a dar energia, foco e disposição, contribuindo, ainda, com o consumo de polifenóis e antocianinas, substâncias com alto poder antioxidante”, conclui Carolina Tavares.

Com Assessorias

Leia mais

Cafezinho de todas as formas: até feito de açaí!
Na dose certa, cafezinho nosso de cada dia faz bem
Pessoas que bebem café têm mais saúde, diz estudo
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!