BELEZADezembro Laranja

Qual é o protetor solar certo para cada tipo de pele?

A chegada do verão é um alerta dos especialistas em doenças da pele, uma vez que durante a época mais quente do ano a exposição ao sol aumenta involuntariamente. Mesmo que os raios ultravioletas sejam mais fortes durante essa estação, é fundamental conscientizar a população todos os meses do ano, independentemente do clima.

Um dos maiores aliados da prevenção do câncer de pele são os protetores solares. A esteticista dermaticista Patrícia Elias explica que existem dois tipos de radiação ultravioleta que atravessam a atmosfera: UVA e UVB. No entanto, o sol também emite a radiação UVC, mas não chega na superfície terrestre, pois é absorvida pela camada de ozônio presente na atmosfera.

“As radiações UVA e UVB podem penetrar a pele e prejudicar o DNA das células, favorecendo o surgimento de tumores, manchas de pele, envelhecimento precoce, formação dos radicais livres, queimaduras”, explica a especialista.

Entre as dicas compartilhadas pela SBD, o uso diário e contínuo dos filtros solares é unânime não apenas na praia, mas todos os dias no cotidiano, de manhã e durante a tarde.

“Alguns protetores solares possuem Vitamina C em sua fórmula, potencializando o produto e ajudando a estimular o colágeno da pele, além de combater os radicais livres”, aponta Patrícia. “Alguns protetores possuem a molécula do ácido hialurônico, que ajuda na hidratação, enquanto outros têm vitaminas, minerais e substâncias que tratam acne, clareiam as manchas, controla a oleosidade entre outros”.

Um bom protetor solar precisa ser foto estável e ter proteção contra a luz visível, além de possuir substâncias específicas para cada tipo e estado de pele. Pode ser físico, químico ou misto, o importante é usar para manter a pele saudável e bonita. A esteticista ajuda na busca do protetor solar específico para cada tipo de pele. Confira:

Pele oleosa: são indicados protetores em gel ou com maior concentração de água, porque proporcionam um toque mais seco.

Pele seca: o ideal são os protetores cremosos, com mais óleo do que água em sua base, porque além de proteger também hidrata.

Pele mista: o recomendado é que a base tenha concentração alta tanto de água quanto de óleo, mas com um toque aveludado, mais seco, porque a pele mista apresenta oleosidade maior na zona da testa, queixo e nariz.

Peles sensíveis: são indicados produtos para peles delicadas, porque irão acalmar a pele, além de proteger.

Usar filtro solar se aprende desde criança

Uma dica importantíssima e grande foco das últimas campanhas Dezembro Laranja, é o alerta sobre começar a prevenção na infância, já que o hábito de se expor ao sol em excesso é muito comum já desde essa fase.

É importante manter a atenção nas crianças, principalmente, bebês: menores de 6 meses não devem usar filtro solar – e, portanto, a exposição ao sol deve ser muito cuidadosa e limitada. Já os maiores de seis meses precisam usar filtros solares adequados à idade.

“É responsabilidade do cuidador da criança aplicar o filtro solar e protegê-la do sol com roupas, chapéus, guarda-sol, para que o verão seja bem aproveitado pelos pequenos, sem trazer prejuízos à saúde da criança”, insiste a médica.

Ela lembra que a infância e a adolescência são os períodos da vida em que naturalmente somos mais expostos ao sol – e as consequências disso, normalmente, aparecem bem mais tarde.

“Crianças que são ensinadas a utilizarem o protetor solar diariamente e que entendem a importância de se proteger do sol em horários de risco, entre 10h e 16h, tendem a se tornarem adultos mais cuidadosos. Nosso foco é que, com esses bons hábitos na infância, haja projeção para as futuras gerações, reduzindo a ocorrência do câncer de pele”, comenta Renata Bertino, dermatologista e docente do Idomed (Instituto de Educação Médica)

  1. Com Assessorias
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *