AGENDA POSITIVA

Envelhecimento da pele, um processo inevitável

envelhecerEnvelhecer é um processo natural da vida humana e ninguém pode se livrar dele. Por volta dos 35 anos, os primeiros sinais já começam a aparecer e no lugar mais visível do nosso corpo: o rosto.  O envelhecimento é a consequência de múltiplos fatores que interagem entre si e contribuem para as alterações na pele. Mas, há uma diferença fundamental no envelhecimento do rosto e do corpo. No corpo a tendência é “cair”, ou seja, sentimos a pele mais flácida e vamos perdendo as curvas, com a sensação de que tudo está “caindo”. Já no rosto, o envelhecimento tem outro efeito: a perda do volume facial que é resultado do reposicionamento e redução da gordura no rosto, assim como do remodelamento ósseo.

“A perda de volume que resulta da perda e do reposicionamento da gordura facial, assim como o remodelamento tecidual, é considerada componente fundamental no envelhecimento facial, trazendo um formato achatado e côncavo para a face. Com a técnica do preenchimento do sulco nasolabial, com ácido hialurônico, é possível suavizar ou até fazer desaparecer o famoso bigode chinês e promover uma importante revitalização facial”, comenta Raphael Jaureguiber, especialista em face.

Para falar a respeito dos principais procedimentos dermo-estéticos faciais, além de promover amplo esclarecimento sobre o tema a influência da gravidade no preenchimento do sulco nasolabial com o ácido hialurônico, o diretor da Clinique Du Corps, Raphael Jaureguiber, ministrará no dia 19 de julho, de 10h às 12h, no Auditório do Barra Space Center, na Barra da Tijuca, uma palestra totalmente gratuita, para quem tiver interesse e queira se aprofundar mais sobre o assunto. As vagas são limitadas em até 70 inscritos. Inscrições até dia 18 pelo email ducorpsoficial@gmail.com.

Segundo  Tatiana Nahas, oftalmologista, especialista em cirurgia de pálpebras e Chefe do Serviço de Plástica Ocular da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, em uma pessoa jovem é fácil notar as convexidades que dão a aparência de juventude, as famosas “maçãs do rosto”. “Já em faces mais envelhecidas, essas estruturas vão ficando mais achatadas e côncavas. Isso acontece porque há perda do volume do osso zigomático, responsável por dar a concavidade ao rosto”, comenta a médica.

“Outro ponto importante é que no rosto jovem as áreas convexas refletem a luz e no rosto envelhecido as áreas côncavas criam sombras. Esse entendimento da perda do volume facial foi fundamental para quebrar alguns paradigmas em relação aos procedimentos usados para rejuvenescimento facial. Hoje, o foco das técnicas é provocar o relaxamento muscular, dar volume e restaurar o contorno facial, assim como corrigir as áreas de sombra, incluindo a região das pálpebras e da órbita ocular”, diz Tatiana.

Região dos olhos é a primeira a mostrar o envelhecimento

A especialista explica que a região ocular é a área estética central do nosso rosto. “Um olhar é capaz de transmitir sentimentos e aspectos da nossa personalidade. Entretanto, o envelhecimento provoca uma série de mudanças na região dos olhos, principalmente na chamada área orbitopalpebral, ou seja, nas pálpebras inferiores e superiores e ao redor da órbita ocular, que são facilmente percebidas”, comenta.

“Na juventude essa região tem uma aparência saudável e de vitalidade. Mas, com a perda do colágeno e da elasticidade da pele, as pálpebras tornam-se flácidas, caídas e inchadas por causa das bolsas de gordura. Esses fatores alteram a expressão e a harmonia da face, podendo levar a um aspecto de cansaço, envelhecimento e até mesmo de tristeza. Em alguns casos, há diminuição do campo de visão causada pela chamada ptose palpebral”, explica Dra. Tatiana.

A médica explica que hoje um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados para rejuvenescimento facial é a blefaroplastia. “A blefaroplastia é um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados pelo Oftalmologista especializado em cirurgia de pálpebras, uma vez que este profissional tem profundo conhecimento da dinâmica palpebral e das necessidades de proteção do olho. Para fins estéticos, retiramos o excesso de pele, assim como bolsas de gordura sem cicatrizes aparentes”, comenta.

“Hoje, a técnica mais usada na cirurgia de pálpebras é a transconjuntival. Ela não produz cicatrizes visíveis e possibilita retirar as bolsas de gordura da órbita sem agredir a pele, a musculatura orbicular e o septo orbital. A incisão (corte) é feito por dentro da pálpebra. Em geral, a transconjuntival é indicada para pessoas com a pele mais firme e espessa”, afirma a especialista. Os resultados da blefaroplastia costumam ser bons e juntamente com outras técnicas, como o preenchimento facial associado podem oferecer uma aparência mais saudável e jovial, o que impacta no bem-estar e na qualidade de vida.

Fonte: www.ducorps.com.br

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *