Efeito das ondas de calor: empresas investem mais em proteção solar

As que mais oferecem protetores solares são indústria metalúrgica, setor de construção, operadoras de saúde e distribuidoras de energia

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

O Brasil vem sendo atingido por ondas de calor, com temperaturas altíssimas e, segundo os meteorologistas, 2023 pode terminar como o ano mais quente da história. No mês da chegada do verão, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) realiza a campanha Dezembro Laranja, para conscientizar a população e promover ações de prevenção contra o câncer de pele. No Brasil, esse é o tipo mais comum de tumor, atingindo cerca de 33% dos casos da doença – segundo dados da SBD.

O cenário é alarmante e chama a atenção não só para a população em geral, mas também das empresas. Uma pesquisa realizada pela Funcional Health Tech, empresa de saúde líder em programas de acesso e adesão e em data driven care no Brasil há mais de 24 anos, apontou que, até novembro deste ano, empresas brasileiras já investiram mais de R$ 1 milhão no subsídio de protetor solar para seus funcionários.

O levantamento foi realizado a partir da base de dados de mais de 350 empresas parceiras, e aponta, ainda, que o número cresceu em 2023: no ano anterior, foram investidos cerca de R$ 997 mil, apurando um aumento de 10% no subsídio antes mesmo de finalizar o ano.

Dentre as empresas que mais investiram na proteção solar de seus funcionários estão nas da indústria metalúrgica, setor de materiais de construção, operadoras de saúde e distribuidoras de energia elétrica. Norte e Nordeste são as regiões onde mais cresceram em compras de protetor solar.

Leia mais

Como evitar os efeitos do sol nos canteiros de obras
Um sol pra cada um. E cada um com a sua proteção
Sobrevivente do câncer de pele doa 100 litros de protetor solar

Cuidado como item obrigatório

No Brasil, dentre os itens obrigatórios que compõem os equipamentos de proteção individual (EPIs), o protetor solar é necessário nas posições em que os trabalhadores estão expostos diretamente ao sol, junto a itens como chapéu e roupas com mangas compridas.

Alexandre Vieira, diretor de Analytics da Funcional Health Tech, aponta que, ao oferecer o subsídio, a empresa atua não apenas na segurança do trabalhador, mas também na prevenção do câncer de pele.

“Observamos que, nas empresas que oferecem maiores subsídios para protetores solares, o crescimento do uso foi de 3%; já nas que os valores são menores, houve queda de 6% do número de usuários no último ano”, avalia.

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!