Anvisa alerta para riscos de cílios postiços durante o Carnaval

Colas usadas em cílios postiços e unhas artificiais podem causar danos graves, incluindo cegueira. Especialistas explicam riscos e cuidados

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

O Carnaval é uma festa ideal para usar e abusar da criatividade na maquiagem. Cílios postiços e unhas artificiais marcam presença nos looks da moda o ano inteiro, sobretudo, nessa temporada. Porém, o uso incorreto de cola para fixar esses itens pode colocar em risco a saúde de olhos e peles dos usuários.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu nesta sexta-feira (9) um alerta de segurança (GGMON 01/2024) destacando perigos relacionados ao uso indevido de colas do tipo instantâneas – não regularizadas – como cosméticos, em procedimentos de beleza e aplicação de cílios postiços.

“Atenção! O uso desses produtos pode causar danos graves à saúde, incluindo cegueira, uma vez que não são testados para contato com pele, unhas ou olhos”, informa o texto da Anvisa.

Este é o primeiro alerta deste tipo emitido pelo órgão de regulação. O alerta foi motivado por relatos feitos pela Vigilâncias Sanitárias locais à Anvisa sobre reações alérgicas e irritação ocular associadas ao uso indevido de colas instantâneas para fixar cílios e unhas postiças.

Segundo a Anvisa, os produtos mais citados nas notificações que, originalmente, são destinados a aplicações não cosméticas, são Cola Instantânea Super Bonder, Adesivo Instantâneo 793-TekBond e Adesivo Instantâneo em Gel Three Bonde Super Gel.

A instituição afirma que os produtos mencionados e similares de alta fixação são destinados a aplicações específicas e não devem ser utilizados para fins estéticos ou de embelezamento. “Não arrisque sua saúde usando colas instantâneas não regularizadas como cosméticos”, informa a Anvisa.

A orientação da Anvisa em relação  serve tanto para consumidores, como para profissionais do segmento de beleza.

“É de extrema importância que consumidores de produtos cosméticos e profissionais de salões de beleza e de clínicas de estética não façam uso desse tipo de cola instantânea para fins de embelezamento, visando prevenir riscos graves à saúde, incluindo danos permanentes à visão”, comunica o alerta da Anvisa.

Atriz Regina Casé teve problema grave nos olhos

No alerta, a Anvisa citou o caso da atriz Regina Casé, que sofreu uma lesão química na córnea devido ao uso de uma cola de cílios postiços em dezembro de 2023. De acordo com relato da artista na própria rede social, ela disse que um pedaço da cola aplicada ficou presa na córnea e resultou no ressecamento do olho, que parou de lubrificar.

O médico que a atendeu classificou o caso como grave. “Tive um troço muito brabo no olho […] Dois dias eu fiquei sem enxergar, tudo embaçado. Lavava o olho, fazia tudo e não enxergava. Fiquei desesperada, foi um pesadelo”, relatou a atriz.

O caso de Regina Casé não é isolado. Giuliana Angelucci Miranda (foto), dermatologista da Clínica Elsimar Coutinho/SP, alerta que durante o Carnaval, é comum o aumento do número de pacientes nos prontos-socorros em decorrência do uso inadequado de cílios postiços.

“Os cílios postiços podem trazer um charme especial ao visual, especialmente em festividades como o Carnaval, mas seu uso exige cuidados específicos para evitar problemas à saúde. Sempre que houver um objeto estranho próximo a região dos olhos, por exemplo, há um potencial risco de problemas e os cuidados com a higiene devem ser redobrados”, afirma.

Dermatologista alerta para riscos dos cílios postiços

Tendência de beleza, os cílios postiços são uma opção popular para muitas pessoas que desejam realçar o olhar, deixando uma aparência mais marcante e sofisticada durante as festas,

“Nessa época do ano, na hora de fazer a manutenção dos cílios, muitas mulheres aproveitam para acrescentar alguns fios coloridos e divertir o look, combinando muito com os dias de folia”, diz a maquiadora Rafaella Galisteu, maquiadora que atende pelo GetNinjas.

Mas é preciso adotar certos cuidados na utilização dos cílios postiços. Apesar de ser uma ótima opção de embelezamento, é necessário ficar atento aos possíveis riscos iminentes e adoção de medidas de precaução para minimizá-los.

O principal risco associado ao uso de cílios postiços e á possibilidade de danificar seus cílios naturais.  A aplicação e a remoção inadequada dos cílios podem puxar e danificar os cílios naturais, resultando em queda de cabelo e dano permanente.

É recomendável escolher um profissional qualificado para realizar o procedimento, usar produtos de qualidade e não esquecer da limpeza diária. Em casos aparentes de reações alérgicas, o indicado é buscar ajuda de um médico especialista.

Riscos para os olhos

De acordo com a Sociedade Brasileira de Oftalmologia, duas em cada dez mulheres que utilizam grande quantidade de maquiagem e acessórios nos olhos apresentam problemas oculares.

André Borba, oftalmologista e especialista em cirurgia reconstrutiva e estética das pálpebras, diz que a cola utilizada para fixar os cílios pode causar reações alérgicas em algumas pessoas, ocasionando inchaço e irritação nos olhos.

Outro fator pode estar associado à possibilidade de infecção. Se os cílios postiços não forem higienizados adequadamente antes da aplicação, bactérias e germes podem se acumular, o que pode levar a infecções oculares, incluindo conjuntivite alérgica.

A blefarite, inflamação não contagiosa que afeta as pálpebras, também é um problema recorrente para quem abusa do alongamento dos cílios sem os cuidados adequados.

Segundo André Borba, a doença pode se apresentar de forma infecciosa e alérgica, e os sintomas podem ser coceira, ardência, vermelhidão e edema, também podendo levar a irritação, lacrimejamento, sensação de corpo estranho e incômodo a luz.

Principais riscos do uso dos cílios postiços

Segundo Dra Giuliana, além da perda de cílios naturais, os cílios postiços podem causar alergias, irritações, coceira, vermelhidão e infecções, entre outros sintomas que podem afetar a pele ao redor dos olhos. Veja abaixo os principais:

Alergias e Irritações: A cola usada para fixar os cílios postiços pode causar alergias e irritações em algumas pessoas. Os sintomas podem incluir vermelhidão, coceira e inchaço na área dos olhos.

Infecções: Se os cílios postiços ou a cola não forem devidamente higienizados, há um risco de infecções, incluindo conjuntivite ou infecções da pele nas pálpebras.

Perda de cílios naturais: O uso frequente de cílios postiços pode levar à perda ou enfraquecimento dos cílios naturais, especialmente se forem removidos de forma incorreta.

Indicações

Segundo a Dra. Giuliana, é possível garantir uma maquiagem bonita, com estilo e muita criatividade, seguindo algumas recomendações básicas para não colocar em risco à saúde nos dias de folia:

Escolha produtos de qualidade – Prefira cílios e colas de marcas reconhecidas e testadas dermatologicamente.

Teste de alergia: Faça um teste de alergia com a cola, aplicando uma pequena quantidade no braço antes de usar nos olhos.

Higienização: Certifique-se de que os cílios e as mãos estejam limpos antes da aplicação para evitar infecções.

Remoção cuidadosa: Use um produto específico para remover os cílios postiços, evitando puxá-los e danificar os cílios naturais.

Como proceder em caso de irritação nos olhos

Em situações de reações alérgicas na região dos olhos, tais como coceira, ardor e inchaço, em decorrência do uso dos cílios postiços o ideal, segundo Dr André, é adotar procedimentos de higienização para aliviar os sintomas:

Fazer compressas como soro fisiológico

Lavar bem a região dos olhos com sabão neutro e água em abundância

Consultar o oftalmologista assim que possível para verificar se não houve dano mais sério.

Glitters e brilhos, como resistir?

Carnaval é sempre sinônimo de muito glitter, brilhos e pedrinhas na maquiagem. “Glitter de todos os tipos e tamanhos e cores variadas são válidos, tanto nos olhos quanto pelo rosto e até mesmo nos lábios. Ultimamente valem as maquiagens de carnaval mais simples, com pontos que destacam com os glitters e as pedrinhas”, diz a maquiadora Rafaela.

Se a habilidade ou o tempo são limitados, adesivos de estrelinhas prateadas de diversos tamanhos, encontrados em papelarias, são uma opção fácil e estilosa. “Cole ao redor dos olhos para dar um toque especial ao look. Além dos brilhos, aproveite para ousar com cores vibrantes como azul, rosa, laranja e roxo”, recomenda a maquiadora.

Mas todo o cuidado é pouco, pois o uso inadequado desses acessórios pode causar sérios problemas. Dra. Giuliana chama atenção para os riscos de produtos com partículas grandes perto na região dos olhos, o que pode acarretar irritações e até arranhões na córnea.

Dentre os principais cuidados estão:

Produtos apropriados: Use glitters e brilhos formulados especificamente para uso cosmético no rosto e nos olhos.

Remoção cuidadosa: Use um demaquilante adequado para remover completamente a maquiagem com glitter, evitando esfregar os olhos com força.

Teste de alergia: Assim como com a cola dos cílios postiços, faça um teste de alergia com o produto antes de uma aplicação extensa.

saiba mais sobre as Recomendações da anvisa

A agência recomenda a imediata suspensão do uso desses produtos e incentiva que profissionais e consumidores apliquem apenas produtos cosméticos regulamentados pela Anvisa.

Em caso de complicações indesejadas decorrentes do uso dessas colas instantâneas extra fortes, os consumidores devem procurar assistência de um profissional de saúde.

Os problemas devem ser comunicados à Vigilância Sanitária local, do município ou do estado, para a devida investigação. A Anvisa também deve ser notificada. “A colaboração ativa de todos é fundamental para diminuir os riscos e garantir a segurança da população”, avalia a agência.

Notificações

Qualquer cidadão com Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) pode fazer uma reclamação, seja em seu próprio nome ou em nome de terceiros, à Anvisa. Mas, é preciso ter conta de acesso no portal gov.br do governo federal.

O cidadão deve registrar a notificação no sistema e-Notivisa e responder o formulário online. O internauta precisa descrever as razões para a reclamação. O sistema encaminhará um e-mail ao fabricante ou distribuidor responsável pela comercialização do produto para que possa analisar o problema.

A Anvisa esclarece,  ainda, que os dados pessoais do reclamante não são compartilhados com empresas. No caso de empresas e profissionais da saúde, a comunicação de agravos é realizada em outro sistema, o Notivisa, após realização de cadastro necessário. As informações ajudarão a Anvisa a tomar medidas de proteção à saúde coletiva.

Brasília (DF) 09/02/2024 - Unhas portiças Foto: Pixabay
Produtos de beleza podem oferecer riscos à saúde da mulher – foto – Pixabay

ConsultA NO SITE DA ANVISA

Em caso de dúvidas se uma cola pode ou não ser usada, a Anvisa disponibiliza um site para consulta de todos os cosméticos regularizados na agência. Para busca, o interessado deve procurar no rótulo do produto o número do processo Anvisa, que funciona como identidade do produto.

O número sempre começa com os números 25351 e segue o modelo “25351.XXXXXX/20XX-YY”. Se não encontrar o registro ali, o uso do produto é desaconselhado e deve ser suspenso.

Para mais esclarecimentos, a Anvisa tem outros canais de atendimento pelo site e pelo telefone 0800 642 9782. A ligação é gratuita para todo o Brasil, disponível das 7h30 às 19h30, de segunda a sexta-feira, exceto feriados.

Com Agência Brasil e Assessoria

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!