9 entre 10 pessoas trans buscam fono para alterar a voz

Pesquisa apontou que 90% de trans, travestis e não binárias buscam atendimento fonoaudiológico pelo SUS

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Você já parou para pensar como a voz das pessoas trans, travestis e não binárias impactam as suas vidas e todo o desenvolvimento social? A voz é um marcador importante para a identificação e a circulação das pessoas na sociedade. Por isso, quando iniciam o processo de transição de gênero pelo Sistema Único de Saúde (SUS), na sua maioria, estas pessoas solicitam atendimento fonoaudiológico.

A portaria do Ministério da Saúde que regulamenta os ambulatórios do Processo Transexualizador no SUS não contempla o fonoaudiólogo. Porém, em levantamento, foi possível detectar que todos possuem o profissional fonoaudiólogo integrado. Pesquisa complementar descobriu que, neste cenário, cerca de 90% das pessoas trans e travestis optam por fazer consulta com o fonoaudiólogo quando descobrem essa oportunidade, ratificando sua importância.

Estudos recentes já norteiam fonoaudiólogos para suporte adequado a essa população e será centro de debate e habilitação durante o  31º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia, que acontece na cidade do Rio de Janeiro, nesta semana, junto com o 12º Congresso Internacional de Fonoaudiologia.

Neste trabalho é importante identificar a identidade para muito além da transexualidade, de forma que a voz identifique essa pessoa como ela se reconhece em todos os aspectos do seu ser. O fonoaudiólogo pode, no processo, atuar em três possibilidades: cirurgia nas pregas vocais, com otorrinolaringologista, com acompanhamento fonoaudiológico, trabalhar a identidade vocal e trabalhar a desempenho vocal.

No evento realizados pela Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, de 3 a 6 de outubro, no Hotel Widsor Oceânico, o professor doutor Rodrigo Dornellas, abordará a temática na palestra ‘Comunicação e Autenticidade: Desafios e Estratégias para a Comunicação de Pessoas Trans e Travestis no SUS’, com base em vasto estudo cientifico na área.

A estudante de fonoaudiologia e também palestrante, Mayara Priscilla dos Santos, mulher trans, estará nas atividades relacionadas. Mayara é coordenadora do Departamento de políticas públicas LGBTQIAPN+, por meio do Diretório Central Estudantil (DCE/Unicap) e Integrante da Nova Associação de Travestis e Pessoas Trans de Pernambuco (Natrape).

Novos rumos de diagnóstico e tratamentos

O 31º Congresso Brasileiro de Fonoaudiologia e 12º Congresso Internacional de Fonoaudiologia marcam um novo capítulo na história da Fonoaudiologia como o maior evento do setor na América Latina. São mais 500 palestrantes em 20 salas de conteúdos simultâneos, além de mais de 30 expositores de produtos e serviços em uma programação de quatro dias de evento.

Com o tema “Fonoaudiologia Sem Fronteiras”, o Congresso é um convite para que todos os participantes se apropriem das evoluções da profissão em prol de melhor atendimento da população em todas as áreas em que a Fonoaudiologia se integra.

“Nosso propósito é o de ampliar e elevar os níveis de conhecimento da ciência e da prática fonoaudiológica, contribuindo para uma formação profissional e um atendimento à população cada vez mais qualificado e acessível.”, declara Leonardo Lopes, presidente da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia (SBFa).

O evento contempla 10 especialidades da Fonoaudiologia para discutir temas que desafiam e somam para os principais problemas que acometem a comunicação humana e outras funções envolvendo a saúde e a educação, conectadas com as suas mais diferentes áreas.

Fonoaudiologia no TEA – abordando o diagnóstico diferencial e comorbidade no Transtorno do Espectro Autista, com programas de intervenção precoce; treino parental em famílias de crianças e a escolarização do estudante com TEA e o papel do fonoaudiólogo nesse contexto. Além disso, serão promovidos debates a respeito de novas pesquisas de intervenção no tema.

Fonoaudiologia em Oncologia – temas como monitoramento vocal, auditivo e da deglutição durante tratamento do paciente com câncer de cabeça e pescoço, incluindo a atuação fonoaudiológica em crianças e adolescentes oncológicos.

Fonoaudiologia na alimentação e deglutição na infância, trazendo evidencias cientificas e estudos de casos sobre os desafios do aleitamento materno na prática fonoaudiológica, as diferentes estratégias de introdução alimentar na primeira infância e o papel do fonoaudiólogo, a partir da avaliação fonoaudiológica da criança com suspeita de DAP.

Mais destaques:

·      Envelhecimento e Idadismo: Um relato sobre interseccionalidade e intergeracionalidade

·      Reabilitação sem fronteiras: atendimento remoto do paciente com tontura

·      Escola, violência e saúde mental: o que a fonoaudiologia pode fazer?”

·      Caminhos e desafios da fonoaudiologia forense, com instrumentos e técnicas de apoio investigativo em provas documentais

·      Saúde sem fronteiras: a fonoaudiologia nas comunidades indígenas e ribeirinhas

Uma sala especial, intitulada, Nada sobre nós sem nós! trará a diversidade com pauta e contará com temas como: comunicação e autenticidade: desafios e estratégias para a comunicação de pessoas trans e travesti no sus e com entidades como Fiocruz e SUS.

São mais de 700 temáticas divididas nas áreas da voz, fonoaudiologia educacional, pericia, audição e equilíbrio, linguagem, fala, saúde coletiva, disfagia e motricidade orofacial, durante 3 dias inteiros. 

A grade conta ainda com uma sala dedicada ao desenvolvimento da carreira, empreendedorismo e liderança do Fonoaudiólogo e uma Arena com temas atuais como a exposição do profissional nas mídias digitais.

Em paralelo aos conteúdos teóricos e de hands on, o evento também abriga uma feira com 30 empresas, a Expo CBFa, que trará inovações tecnológicas em produtos e serviços para a melhor condução dos pacientes fonoaudiológicos, como:

·      Lançamento de equipamentos de tratamento para doenças respiratórias e de deglutição,

·      Jogos em realidade virtual para estimular a cognição,

·      Plataforma de avaliação auditiva por inteligência artificial,

·      Soluções de última geração em saúde auditiva,

·      Plataforma digital que conecta cuidadores em tempo real na terapia do paciente com TEA

Com assessoria do evento

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!