100 mil vidas perdidas: ‘e daí’, sr. presidente, como ‘tocar a vida’?

ONG Rio de Paz promove ato em Copacabana em homenagem às vitimas da Covid-19, cobrando medidas das autoridades

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

“Não são números, são pessoas. Pais, filhos, irmãos…” A declaração é do taxista Márcio Antonio do Nascimento Silva, que perdeu o filho em abril para a Covid-19. Neste domingo (9 de agosto), pela primeira vez em 25 anos, ele não terá a companhia de Hugo no Dia dos Pais. Márcio voltou à Praia de Copacabana na manhã deste sábado (8) para participar da manifestação da ONG Rio de Paz em memória dos 100 mil brasileiros mortos pela doença e em protesto pela maneira como as autoridades brasileiras estão tratando a crise sanitária

Eu vim relembrando muita coisa e chorando de tristeza, de saudade do meu filho. Eu, como muitos pais e muitos filhos, não vamos passar o Dia dos Pais com nossos entes querido. Se eu puder conscientizar uma pessoa, de que é importante manter os cuidados, já ficarei feliz. Não uso máscara só por mim, uso por pensar no outro”, disse ele em entrevista à TV Globo.

Márcio perdeu o filho Hugo, de apenas 25 anos, com a Covid-19 no mês de abril (Foto: Divulgação Rio de Paz)

Em junho, em outro ato organizado pela ONG, Márcio esteve no local, onde colocou de volta no lugar as cruzes que haviam sido derrubadas por um senhor que passava pelo local, insatisfeito com o protesto. Na época, o Brasil tinha 40 mil mortos. Pela segunda vez, ele teve que enfrentar a intolerância: um homem se aproximou e disse que os números da pandemia no país eram “fake news”.

A Ong agora pergunta: porque somos o segundo país em número de mortos? A frase está estampada num cartaz de dois metros fixado na areia da praia. O ato também é uma homenagem aos 100 mil brasileiros mortos pelo coronavírus. Mil balões de gás vermelhos biodegradáveis foram espalhados pelas areias da praia – cem deles fixados em cem cruzes pretas. A manifestação terminou com a soltura das bolas, simbolizando as vidas que se foram.

Protesto contou com mil balões e 100 cruzes nas areias da Praia de Copacabana (Foto: Divulgação / Rio de Paz)

Filiada ao Departamento de Informação Pública da ONU, em apenas dois meses a ONG voltou a um dos cenários mais famosos do país para protestar contra a forma como o poder público tem conduzido a administração da crise sanitária.

Poder público e sociedade precisam responder a uma questão para a qual nos remetem as 100 mil mortes por coronavírus: por que somos o segundo país em número de mortos? Da resposta racional, isenta e honesta a essa pergunta dependem as mudanças pelas quais o Brasil precisa passar a fim de vivermos num país no qual a santidade da vida humana seja respeitada”, diz Antônio Carlos Costa, presidente do Rio de Paz.

Homenagem no Cristo a famílias que perdem os pais

No Dia dos Pais, comemorado no dia 9 de agosto, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Cáritas Brasileira promoverão duas missas, aos pés de uma das sete maravilhas do mundo – o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. As celebrações vão homenagear as vítimas e as famílias que perderam pais e entes queridos na pandemia, que já levou mais de 800 mil vidas em todo o mundo, sendo mais de 100 mil no Brasil.

Durante ambas celebrações religiosas, haverá o lançamento de um vídeo inédito com um poema de autoria do cardeal, poeta e teólogo português José Tolentino Mendonça, lido e interpretado pelo ator Tony Ramos, que almeja tocar os corações dos brasileiros com palavras de esperança e solidariedade, e, por meio delas, trazer luz aos dias que estão por vir.

O mundo só pode ficar melhor se nos respeitarmos. Uma frase antiga de um pensador inglês diz: ‘Cuidado: ódio gera doenças graves, tenhamos amor dentro de nós’. Sonhemos com um mundo melhor, é possível e, agora, depende de nós”, disse o ator, emocionado com o momento crítico pelo qual o planeta está passando.

O cardeal brasileiro Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, que presidirá as duas missas, fará uma bênção especial às famílias e a todos os afetados pela pandemia. “O Cristo Redentor, mais uma vez, abre os braços ao mundo para lembrar de todas as vítimas e famílias que perderam seus entes queridos em decorrência da pandemia. Também, neste segundo domingo de agosto, que é dedicado aos pais, rezemos pedindo a Deus que abençoe a todos”, disse o cardeal. 
 

Verificado – As celebrações com o tema “Para Cada Vida” contam com o apoio do projeto Verificado, uma iniciativa global da Nações Unidas, que busca inundar os canais de comunicação com informações verificadas e transmitidas pela ONU envolvendo os temas de ciência, solidariedade e soluções, combatendo, assim, a infodemia de desinformações em meio a esta pandemia que assola o mundo.

O projeto conta com a colaboração da Purpose, uma das maiores organizações de mobilização social do mundo, e com o apoio de articulação do NEXUS, movimento global que facilita espaços de encontro entre as novas gerações de filantropos, empreendedores sociais e investidores de impacto.

Em primeiro de julho, também com o conceito “Para Cada Vida”, foi realizada uma missa em tributo às vítimas da COVID-19, celebrada na igreja São José da Lagoa e uma projeção especial no Cristo Redentor com imagens emocionantes. A mensagem de solidariedade chegou a mais de 25 países e a quase 300 milhões de pessoas, trazendo luz ao triste momento que o país vem atravessando durante a pandemia.

As transmissões deste domingo serão realizadas ao vivo diretamente do Santuário Cristo Redentor. A primeira missa será às 6h30 na TV Globo e, logo após, às 11h00 haverá uma segunda celebração transmitida pelas TVs de inspiração católica, como RedeVida e Pai Eterno, e pelos canais de YouTube da CNBB e Cáritas Brasileira. As imagens serão geradas pela RedeVida. Assista ao vídeo aqui.

Um minuto de silêncio no Réveillon 2021

O prefeito Marcelo Crivella afirmou na última quarta-feira (5) que o Réveillon do Rio trará um momento de silêncio pelas vítimas da covid-19 e em respeito a seus familiares, além de uma grande homenagem aos médicos. Crivella disse ainda que, para evitar o contágio pelo coronavírus, os shows serão espalhados em diferentes pontos — como Cristo Redentor e outros — de forma que, em grupos menores, o controle seja maior por parte da fiscalização e também nos transportes públicos. O prefeito destacou que a transmissão pela internet será adotada e disse que todos os detalhes estão em debate com a Riotur e o setor de hotéis e serão aprovados pelo comitê científico.

Com Assessorias

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!