Pesquisas científicas usam métodos alternativos

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

DIAS 23 E 24

Nos dias 23 e 24 de agosto, a Natura irá participar da 2ª edição da Conferência Panamericana de Métodos Alternativos. O evento busca identificar e fomentar o desenvolvimento de novas alternativas que substituem os testes em animais com foco na colaboração científica, unindo a América do Sul, América Central e América do Norte.

Desde 2006, a Natura não realiza testes de ingredientes ou produtos finais em animais, sem abrir mão de exigentes critérios de segurança e eficácia dos produtos. De lá para cá, a empresa desenvolveu mais de 67 metodologias alternativas para avaliar a segurança de seus produtos, em parceria com universidades e institutos de pesquisa brasileiros e internacionais.

Entre as principais inovações obtidas no período, destacam-se o uso de ferramentas in silico (softwares capazes de predizer qual o perigo do ingrediente, baseado na estrutura molecular)e as novas técnicas de avaliação gênica em larga escala (OMICS), com uso de biologia computacional, que permite identificar a vocação dos ingredientes. Isso significa que, pelo mapeamento genético de determinado ativo da biodiversidade brasileira, como murumuru ou patauá, é possível determinar o potencial hidratante ou antissinais daquele ingrediente, por exemplo, contribuindo para acelerar a pesquisa e atestar a eficácia dos ativos usados pela empresa, como explica a pesquisadora Daniela Zimbardi.

Além da Natura, o evento é organizado pela Johns Hopkins (CAAT – USA), pelo Centro de métodos alternativos do Canadá e pelo Inmetro (Brasil). Essa é a segunda edição do evento. A primeira aconteceu em 2016, em Baltimore, nos Estados Unidos.

Sediar esse evento no Brasil demonstra a relevância que o país tem hoje neste tema, já que este é o principal evento do ano para discutirmos os métodos alternativos na pesquisa e no ensino. A Natura tem imenso orgulho de estar na vanguarda das pesquisas e inovações necessárias para banir os testes em animais em toda a indústria cosmética”, afirma Vanessa Rocha, gerente científica da empresa, que moderará um debate sobre o futuro dos testes alternativos com diversas companhias do setor.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!