Oito passos para aumentar a imunidade

Neuropsicóloga explica como a mente interfere no sistema imunológico

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Em tempos de grandes preocupações e cuidados com a saúde é imprescindível procurar aumentar a imunidade a fim de fortalecer o organismo contra eventuais doenças e infecções. O sistema imunológico está diretamente ligado à proteção do organismo e nossos hábitos e situações cotidianas influenciam para que a imunidade esteja em níveis bons ou ruins. Mas o que é mesmo a imunidade?

O sistema imunológico é constituído por uma complexa rede de células e moléculas dispersas por todo o organismo e se caracteriza biologicamente pela capacidade de reconhecer especificamente determinadas estruturas moleculares ou antígenos e desenvolver uma resposta efetora diante destes estímulos, provocando a sua destruição ou inativação. Portanto, representa “um sistema eficaz de defesa contra microrganismos que penetrem no organismo ou contra a transformação maligna de células.

Transforme o medo em atitudes preventivas e positivas! Quando sentimos muito medo, deprimimos o nosso sistema imunológico por razões neuroendócrinas. Ao fazer isso, acabamos colocando mais adrenalina e cortisol em nossa corrente circulatória e isso, por sua vez, baixa as resistências do organismo. Entretanto, o medo também pode ser benéfico, pois quando bem controlado, oportuniza, de fato, que as pessoas possam colocar atitudes preventivas e positivas na sua vida, cuidando-se para não se expor a perigos.

Confira abaixo, oito passos que irão auxiliar você a cuidar do organismo e, consequentemente, prevenir inúmeras patologias.

Aliviando o estresse: sabemos que o acúmulo de tarefas e as rotinas cada vez mais estressantes contribuem para deixar a resposta do organismo comprometida. Gerenciar as emoções e buscar estratégias para controlar e o estresse e a ansiedade contribuem para fortalecer a saúde. Procure investir em atividades como ioga, meditação e mindfulness que ajudam a reduzir o cortisol e melhorar a imunidade.

Ingerindo alimentação rica em nutrientes, balanceada: uma alimentação equilibrada é fundamental para que o organismo funcione bem. Aposte em alimentos como frutas cítricas, oleaginosas, sementes, leguminosas – como feijão, lentilha e ervilha, que são fontes de zinco e são grandes aliados para melhoras as defesas do organismo. Procure comer 7 porções de frutas, verduras e legumes (de preferência frescos e crus), todos os dias. Isto é, sem dúvida nenhuma, uma das medidas mais importantes de saúde que podemos adotar para diminuir a chances de qualquer doença. Se tiver a oportunidade, verifique os níveis de nutrientes no sangue junto a seu médico ou nutricionista para saber o que é essencial para você.

Dormindo um sono reparador: uma boa noite de sono é capaz de auxiliar de forma muito eficiente o aumento da imunidade. Procure descansar, se possível, de sete a oito horas por dia e preze por ambientes calmos e tranquilos. Evite utilizar eletrônicos – celulares, tablets e computadores – por, no mínimo, uma hora antes de dormir. Essa prática contribui para um sono reparador.

Fazendo exercícios: a prática regular de atividades físicas é essencial para manter a boa saúde e também ajuda a aumentar os níveis de imunidade. Opte por opções como caminhadas, natação, ciclismo e, até mesmo, musculação.

Não abusando da ingesta de álcool: em caso de desejar tomar álcool é importante que não se abuse a quantidade, pois o excesso de bebida pode fazer o sistema ficar intoxicado e piorar a resistência.

Não fumando: o cigarro deixa qualquer pessoa mais suscetível a qualquer infecção de vias aéreas superiores ou inferiores. Parar de fumar é uma medida pratica que impacta diretamente na melhora da imunidade e da saúde como um todo.

Tendo um peso saudável: manter o índice de massa corporal e, especialmente, o percentual de gordura corporal controlado, faz com que haja menos resistência insulínica e, por sua vez, maior imunidade. Além disso, essa medida reduz comorbidades como doenças cardiovasculares e cânceres e a ausência dessas doenças favorecem a pessoa a ter casos mais brandos de infecções e a se recuperar mais rapidamente, caso venha a ser acometida de corona vírus ou de outra virose.

Estando em contato com a natureza e com luz solar: se não houver contraindicação por parte de seu dermatologista, tomar sol cedo pela manhã ou no final do dia, é extremamente importante para manter os níveis adequados de vitamina D. E fazer isto em locais abertos, aonde a natureza possa ser contemplada, é ainda mais benéfico.

Como a mente interfere no sistema imunológico

Estar com o sistema imunológico forte pode ser uma questão muito além do físico e abranger também a mente no processo. A neuropsicóloga Roselene Espírito Santo Wagner conhecida como Dra. Leninha no dia a dia do seu consultório, revela como isto acontece:

Sabemos que a  relação saúde e doença, a mente e o corpo estão interligados de forma interdependentes. Por isso que conflitos de etiologia emocional provocam inúmeras reações ao indivíduo, sendo uma delas o aumento dos hormônios adrenalina e noradrenalina que afetam diretamente o sistema imunológico, levando ao surgimento de doenças e vice-versa”, afirma.

A especialista aponta que quanto maior as emoções negativas compartilhadas, o alarme, o medo,  pior se tornam as consequências para o corpo: “sobre o coronavírus, o pânico provocado por “fake news” causa baixa no sistema de defesa do organismo, deixando nosso corpo vulnerável as doenças infectocontagiosas. O sistema imunológico tem indubitavelmente um “caráter emocional”. Quanto maior o nível de estresse menor a competência orgânica para combater agentes deletério a saúde.”

Emocional x Físico

Segundo a Dra. Roselene Wagner, as emoções estão presentes na vida do ser humano de forma inata e são movidas através da relação do indivíduo com o mundo: “As reações emocionais que podem ser observadas por expressões corporais. Já o sistema imunológico, mais conhecido como o sistema de defesa do corpo humano, tem como função proteger o nosso meio interno da invasão de corpos estranhos e eliminar os invasores. Assim como o contágio de uma doença gera uma enfermidade, o contágio da confiança pode gerar mais confiança”.

Ela também ressalta que é impossível dissociar o corpo da mente no que tange ao seu funcionamento: “É importante compreender que, o  organismo se comporta como um todo unificado e não como um conjunto de partes. O corpo e a mente não são entidades separadas, e nem mesmo a mente é constituída por faculdades ou elementos independentes. O organismo é uma só unidade; o que ocorre em uma parte afeta o todo. Existem ligações entre as emoções e o corpo físico. Um efeito físico pode chegar a refletir um efeito mental ou emocional e vice-versa, pois as funções das partes se definem pelo conjunto. A mente cheia de ideias nocivas atua como um estímulo criador de emoções que afetam o corpo de forma negativa, fazendo com que sejam desenvolvidos problemas na saúde. “

Roselene Espirito Santo Wagner aponta maneiras de fortalecer o seu sistema imunológico através do cuidado com a saúde mental: “Se você se sente estressado, deprimido, ansioso, instável emocionalmente, com sofrimentos secretos por conteúdos interno não compartilhados. Procure um profissional da saúde mental. Um mente adoecida, baixa o nível de combate do sistema imunológico, deixando o corpo sujeito a ataques de doenças infectocontagiosas.”

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!