Mais leitos para pacientes de leucemia no Inca

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Criado em 1983 e referência no Brasil para o tratamento de doenças do sangue como anemia e leucemia, o Centro de Transplante de Medula Óssea (CEMO) do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) inaugura uma nova ala no dia 12 de julho, quarta-feira, a partir das 9h. Serão quatro novos leitos disponíveis para a população, que se somarão aos 12 leitos atuais. A obra foi realizada através de cooperação com a Associação Pró-Vita, entidade que promove ações em prol de pacientes que necessitam de tratamento de leucemia e do transplante de medula óssea e que intermediou parceira com empresas privadas.

Esta inauguração marca um avanço na oferta de serviços altamente especializados no âmbito do SUS. O foco no cuidado com o paciente é característica marcante do INCA, uma instituição pública voltada integralmente para a população”, ressalta Gelcio Mendes, vice-diretor-geral do Inca. Para Décio Lerner, médico que coordena o CEMO, o aumento do número de leitos é um importante avanço na prestação de assistência à população. “A importância de ampliar um serviço de transplante de medula óssea, sendo o único no estado que realiza todos os tipos de transplantes pelo SUS, é enorme”, explica.

O CEMO realiza o transplante autólogo, quando é reimplantada a própria medula do paciente, o transplante através de doações de familiares compatíveis com o paciente, além disso, também realiza transplantes de familiares parcialmente compatíveis, conhecido como transplantes haploidênticos. E ainda, transplantes com a medula de doadores que não são da família e estão cadastrados no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME).

A Associação Pró-Vita, que há 23 anos apoia o transplante de medula óssea, faz um trabalho contínuo junto às quatro unidades de saúde do Rio de Janeiro que realizam tal procedimento”, destaca Artur Santos, Coordenador da associação. A ampliação do número de leitos aumenta também a capacidade de atendimento. Mas é importante esclarecer que em muitos casos os pacientes necessitam aguardar que seja encontrado um doador de medula compatível no REDOME, quando não há compatibilidade entre familiares e pacientes.

Para se tornar um doador de medula óssea

Para se tornar um doador de medula óssea, basta procurar um Hemocentro e se cadastrar. O INCA realiza este cadastro no Banco de Sangue, no segundo andar do prédio-sede (segunda a sexta de 8h às 14h). É importante esclarecer que os doadores devem manter seus registros com contatos atualizados, para que possam ser encontrados no caso de compatibilidade com algum paciente. Veja o que é preciso:

– Ter entre 18 e 55 anos de idade.

– Estar em bom estado geral de saúde.
– Não ter doença infecciosa ou incapacitante.
– Não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico.
– Algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisadas caso a caso.

Lista de Hemocentros de todo o Brasil: http://redome.inca.gov.br/doador/hemocentros/

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!