Raio-X

Inverno: dicas para alérgicos e quem sofre de doenças circulatórias

As baixas temperaturas são um perigo para quem sofre com problemas respiratórios
As baixas temperaturas são um perigo para quem sofre com problemas respiratórios

Para quem achou que ele tinha dado uma trégua neste inverno e já estava até aproveitando para pegar uma praia no Rio de Janeiro – cariocas não gostam de dias nublados -, o frio está de volta.  E, junto com ele, os espirros e alergias respiratórias também. Com a previsão de baixas temperaturas nos próximos dias aumenta a preocupação com as alergias respiratórias que costumam se intensificar nesta época do ano.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 35% da população sofre algum tipo de alergia, sendo 20% alergias respiratórias. O tempo mais seco e frio aumenta o número de casos de alergia, que tem como principais sintomas narinas congestionadas e escorrendo, tosse seca, espirros, coceiras no nariz e falta de ar.

“As quatro estações dentro de uma única, além do tempo mais seco e frio, aumentam o número de casos de alergias respiratórias que tem como principais sintomas narinas congestionadas e escorrendo, tosse seca, espirros, coceiras no nariz e falta de ar.  Além do tempo, a poeira doméstica é outra grande responsável pelas crises alérgicas já que nelas encontram-se ácaros, fungos e restos de baratas”, explica Julinha Lazaretti, formada em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo, pós-graduada em Imunologia e sócia diretora da Alergoshop.

Controle ambiental é importante: evite poeira e ácaro

Ela reforça que o crescimento nos casos de alergias respiratórias se deve, entre outros motivos, ao fato de passarmos longos períodos em ambientes fechados, com pouca iluminação natural e pouca ventilação o que aumenta a quantidade de ácaros, um dos principais causadores de asma e rinite.

“No inverno, as alergias respiratórias costumam se agravar porque as pessoas ficam mais tempos em ambientes fechados. E, além disso, é hora de tirar os agasalhos e cobertores que ficaram guardados durante o verão acumulando pó”, explica Julinha.

Doenças circulatórias: fique de olho

Pessoas que apresentam problemas circulatórios e falta de sensibilidade nas extremidades, como os diabéticos, devem redobrar a atenção durante o inverno porque o frio pode causar complicações. A recomendação para estas pessoas é evitar a exposição a baixas temperaturas.

Carlos Peixoto, presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV-RJ), afirma que os idosos estão mais sujeitos a problemas arteriais, pois com o avanço da idade a presença de arteriosclerose (acúmulo de gordura na parede das artérias) é mais frequente. “O frio faz com que as artérias sofram contração ou vasoconstrição, podendo prejudicar ainda mais, e de forma repentina, a circulação destes pacientes”, explica o especialista.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, sensação de pés e mãos frios, cansaço, aumento da dor, cianose (rouxidão) das extremidades, pele escamosa e formigamento, queixas bem comuns desta estação, são sintomas que estão presentes em 22% das mortes em todo o mundo.

Somente um angiologista ou cirurgião vascular pode indicar o tratamento mais adequado para cada pessoa, que pode variar desde medicação, terapia ou, em casos extremos, procedimentos cirúrgicos, como a angioplastia, revascularização e endarterectomia (para abrir um vaso sanguíneo parcialmente bloqueado).

“O acompanhamento constante com um angiologista ou cirurgião vascular é imprescindível, pois apenas o profissional poderá acompanhar a evolução desses sintomas, que podem chegar à gangrena da ponta dos dedos”, alerta Peixoto.

Confira as dicas dos especialistas ouvidos pelo Blog Vida & Ação

Atitudes simples também podem evitar as complicações do inverno para quem sofre de alergias respiratórias ou problemas circulatórios. Confira as dicas de uma imunologista, um angiologista e uma nutricionista:

– A primeira medida para se evitar crises de rinites, sinusites e bronquites é o controle ambiental, eliminando do ambiente doméstico as partículas causadores de alergia, recomenda Julinha Lazaretti;

– Utilizar capas antiácaros em colchões e travesseiros, eliminar pontos de mofo utilizando desumidificadores, tirar do ambiente objetos que acumulem pó e utilizar soluções acaricidas em tapete, carpete e cortinas são algumas das medidas que podem ser tomadas;

– Pessoas que sofrem de problemas circulatórios devem se proteger mais do frio com agasalhos, luvas, meias e toucas;

– É recomendável fazer exercícios físicos regulares, principalmente para quem tem problema arterial;

– Não se descuide da hidratação contínua, com ingestão de água e sucos naturais em abundância (de 2 a 3 litros por dia);

– Evite exposição ao calor excessivo localizado, como o uso de bolsas de água quente que podem provocar queimaduras em pessoas com menos sensibilidade nas extremidades;

– “O mito de dormir com os pés levantados só é benéfico para quem tem problemas de circulação relacionados ao retorno venoso. Aqueles que sofrem com problemas arteriais não devem seguir esta prática”, adverte Carlos Peixoto;

–  Incluir  frutas e verduras naturais da estação no cardápio é uma boa maneira de combater gripes e resfriados nesta época do ano, diz a nutricionista Débora Almeida, da Organomix. “Muitos alimentos desta época do ano possuem mais propriedades anti-inflamatórias e expectorantes, protegendo o nosso corpo contra infecções”;

– A vitamina C está presente em vários alimentos abundantes no inverno, como o morango, tangerina, acerola, limão, laranja, agrião, cenoura. O gengibre, que atua como expectorante, deve ter mais atenção neste período do ano e pode ser harmonizado com sopas e chás.

Fontes: Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV-RJ), Alergoshop e Organomix 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *