Inclusão para contar a história da cultura africana no Rio

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Ex Africa_Espaço Sensorial_fotos Pablo Bernardo

Pessoas com autismo, síndrome de Down, deficiência intelectual e baixa mobilidade terão a oportunidade de participar de uma exposição interativa sobre a cultura africana no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil) do Rio de Janeiro. A exposição ‘Ex-África’, oferecida pelo programa CCBB Educativo, oferece a partir do próximo dia 20 uma série de atrações gratuitas para os visitantes destes grupos em  visitas mediadas, com um roteiro que permite interação com a mostra.

Durante a visita, serão oferecidos jogos, objetos tridimensionais e lúdicos, além de histórias que, em sintonia com a exposição, contam um pouco sobre as obras.  Haverá ainda um espaço sensorial, um laboratório de ações criativas, cortejos musicais e contação de histórias. As atividades  foram criadas para facilitar a aproximação do público de todas as idades às produções artísticas e poéticas na maior mostra de arte contemporânea africana já realizada no país.

Ex Africa_Contação de Histórias_foto Pablo Bernardo

A proposta educativa tem o intuito de apresentar vertentes da cultura africana, ainda pouco disseminadas em nosso país. Além das visitas abertas e deste grupo, poderão ser agendadas para grupos de pessoas com deficiência visual ou baixa visão, quando haverá um roteiro com experiências táteis e descrições afetivas. Para deficientes auditivos haverá visitas mediadas em Libras (Língua Brasileira de Sinais). Também serão formados grupos especiais para visitas de escolas, instituições em geral, associações e Ongs, por exemplo.

As obras expostas, incluem fotografias, instalações, pinturas, música, performances e videoinstalações com temas variados, que mostram uma África que não se limita às fronteiras geográficas e se irradia pelos continentes. Influências como o afro futurismo e o naija pop permearão as atividades. A aproximação com os trabalhos de múltiplas temporalidades tem o intuito de despertar novas leituras sobre as culturas afro e afro-brasileira.

Esta não é a primeira vez que o CCBB abre as portas para as PCDs (Pessoas com Deficiência). Emagosto do ano passado, um festival levou filmes com histórias incríveis de superação de pessoas com deficiência.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!