No Brasil, taxa de doadores de sangue [e bem abaixo da média mundial, um desafio em ano olímpico (Foto: Pixabay)
No Brasil, taxa de doadores de sangue [e bem abaixo da média mundial, um desafio em ano olímpico (Foto: Pixabay)
Em 14 de junho, quando é celebrado o Dia Mundial do Doador de Sangue, o Cristo Redentor será iluminado na cor vermelha, como parte da campanha Junho Vermelho, que busca incentivar a doação de sangue, principalmente nos meses de inverno, quando os estoques de alguns hemocentros têm baixa de até 50%.  Dentre os principais tipos sanguíneos, o O+ e o O- são os com maior utilização em cirurgias e transfusões e cujos níveis despertam maior preocupação nos estoques dos hemocentros. A disponibilidade do tipo O+ está em situação crítica.

O Banco de Sangue Serum, localizado no Centro do Rio de Janeiro, realiza ao longo do mês diversas ações. A primeira delas ocorreu na segunda-feira, 12, Dia dos Namorados, presenteando com corações os casais que forem juntos doar sangue. Nesta quarta, dia 14, por meio de campanhas na internet e com a ajuda de voluntários, a instituição conscientiza o público sobre a importância da doação. Neste dia, a cada doação recebida, o Banco de Sangue vai doar um cobertor para uma entidade assistencial da cidade. O doador, em contrapartida, também será homenageado.

O Banco de Sangue Serum atua há mais de 24 anos em todo o Estado do Rio de Janeiro atendendo aos hospitais públicos e privados da região e precisa de, no mínimo, 70 doações por dia para atender a esta demanda com segurança. O sangue coletado ajuda a salvar vidas de pacientes de 18 hospitais públicos e privados localizados nos municípios do Rio de Janeiro e Baixada Fluminense. Para doar basta comparecer no Hospital da Ordem Terceira do Carmo, 3º andar, na Rua do Riachuelo, n° 43, no Centro do Rio de Janeiro – próximo aos Arcos da Lapa. O horário é de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h e aos sábados das 8h às 12h.

Os interessados precisam pesar mais de 50 quilos e estar em boas condições de saúde. Não é necessário fazer jejum, mas é preciso esperar 3 horas após o almoço ou a ingestão de alimentos gordurosos. No local, basta apresentar um documento oficial com foto e ter entre 16 e 69 anos (menores de idade precisam de autorização e estar acompanhados por um responsável). O voluntário não pode ter ingerido bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação. Quem fez endoscopia deverá aguardar 6 meses após a realização do procedimento.

HemoRio alerta para o feriadão

O Hemorio, órgão da Secretaria de Estado de Saúde, chama a população para doar sangue e lembra que, às vésperas do feriado prolongado de Corpus Christi, a movimentação no salão de doadores tende a cair. Atualmente, o Hemorio recebe, em média, 200 candidatos à doação e coleta 150 bolsas de sangue diariamente. O número ideal para manter os estoques em bom nível é de 300 bolsas de sangue. O hemocentro tem capacidade instalada para receber até 400 doadores por dia.

 Na quarta-feira, o salão de doadores vai receber decoração especial e os candidatos serão recebidos com festa pelos funcionários. Na parte da manhã, está programada uma apresentação com os palhaços da trupe Doktor Klovn. O Hemorio leva a sua equipe de coleta de sangue para o Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo. A ação no local acontece das 10h às 15h, com limite de 120 cadastros para doadores de sangue. A unidade fica na R. Nilópolis, 329.
Mesmo com todos os avanços científicos e da medicina, ainda não existe substituto para o sangue humano, e sempre que uma transfusão é necessária, o paciente só pode contar com a solidariedade de outras pessoas. “A data é um marco e deve ser comemorada. Conscientiza as pessoas sobre a importância da doação de sangue e o quanto esse gesto de solidariedade é essencial para manter a vida de muitos pacientes. Mas precisamos sempre dos doadores, todos os dias, porque a doença não espera e as emergências não param”, afirma o diretor-geral do Hemorio, Luiz Amorim.
Campanha desde 2004

O Dia Mundial do Doador foi instituído pela OMS em 2004, em homenagem à data de nascimento de Karl Landsteiner, imunologista austríaco que descobriu o fator RH e várias diferenças entre os tipos sanguíneos. A campanha Junho Vermelho, criada pelas irmãs Debi Aronis e Diana Berezin, também fundadoras do Movimento Eu Dou Sangue, busca elevar o número de doações. Atualmente, menos de 2% são doadores regulares no País, índice muito abaixo do recomendado pela Organização Mundial de Saúde, de 5% da população. “Os brasileiros precisam fazer da doação de sangue um hábito em suas vidas”, ressalta Diana. No Rio, a ação é promovida pelo Hemorio, em parceria com a Arquidiocese do Rio de Janeiro, a Santa Casa, a Associação Pró-Vita e o Movimento Eu Dou Sangue.

Para incentivar a campanha de doação de sangue, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella visitou o Hemorio para doar sangue pela segunda vez este ano – a primeira foi logo após assumir o cargo, em janeiro.  Na ocasião, o hemocentro realizou o dobro de coletas em relação ao mesmo período do ano anterior. “De seis em seis é bom a gente doar. Doar faz bem, não dói nada e é um benefício enorme. Vocês não imaginam quantas pessoas estão hoje nos hospitais precisando de sangue”, alertou Crivella. “É um ato que enobrece, dignifica o povo do Rio de Janeiro. Nós não podemos deixar faltar sangue nos nossos hospitais. Eu faço esse apelo a todos: vamos doar sangue!”, convidou.

Como doar no Hemorio

É preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg, estar bem de saúde e portar um documento de identidade oficial com foto. Jovens com 16 e 17 anos só podem doar sangue com autorização dos pais ou responsáveis legais (o modelo da autorização pode ser obtido no site do Hemorio: http://www.hemorio.rj.gov.br/html/pdf/Menor_idade.pdf. Não é necessário estar em jejum, apenas deve-se evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e bebidas alcoólicas 12 horas antes.

A unidade funciona todos os dias, das 7h às 18h, incluindo sábados, domingos e feriados, na Rua Frei Caneca, 08, no centro do Rio. Para mais informações, o voluntário deve ligar para o Disque Sangue (0800 282 0708), que esclarece dúvidas e informa o endereço das outras 25 unidades de coleta distribuídas pelo estado.

Fonte: HemoRio e Serum

 

 

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *