FamíliaMovimento

5 dicas para incluir exercícios físicos na rotina

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

A campanha global pelo Dia Mundial Sem Carro, comemorado em 22 de setembro, tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre os impactos negativos do uso excessivo de veículos motorizados. A iniciativa surgiu na França, em 1997, e desde então tem se espalhado para diversas cidades ao redor do mundo, promovendo pautas que vão desde o meio ambiente e sustentabilidade à mobilidade urbana.  Mas, além disso, a data, que ao longo dos anos 2000 chegou às grandes metrópoles conquistando mais adeptos, é uma oportunidade para as pessoas que já estão pensando em mudar de hábito e incluir exercícios físicos na rotina.

“A preferência pelo carro para se deslocar é uma realidade muito comum, principalmente em áreas urbanas. Porém, o deslocamento por meio de exercícios físicos como caminhada ou bicicleta traz diversos benefícios, não só para a saúde, mas também em relação a estresse e produtividade no trabalho, pois estão diretamente ligados a hormônios do prazer”, explica Ana Carolina Matos Correia, profissional de Educação Física da TotalPass.

Estudos da Universidade de Dartmouth reforçam a afirmação da profissional. A pesquisa foi realizada pela instituição com 275 voluntários e apontou que a maioria das pessoas que se deslocavam de carro apresentavam estresse nas primeiras horas da manhã, que permanecia ao longo do dia. Já com o grupo que  utiliza a bicicleta para se deslocar para o trabalho, foi observado um início de dia mais tranquilo, com mais disposição e agilidade para cumprir as tarefas.

Para auxiliar nessa mudança de hábitos e inserir exercícios físicos na rotina, a especialista reúne cinco dicas sobre como as pessoas podem se preparar fisicamente para aderir ao dia mundial sem carro e desenvolver mais saúde e bem-estar.

1 – Preparar o corpo

De acordo com o profissional, é importante começar a incorporar caminhadas ou pedaladas na rotina diária. Isso ajudará a fortalecer os músculos, melhorar a resistência cardiovascular e acostumar o organismo com essas formas de locomoção.

“A preparação ajuda a aquecer os músculos e as articulações, aumentando a circulação sanguínea e a flexibilidade. Isso reduz o risco de lesões musculares, distensões e entorses durante o exercício. Um aquecimento apropriado prepara o corpo para um melhor desempenho, aumenta a capacidade dos músculos e do sistema cardiovascular”, explica.

2- Alimentar-se de forma adequada antes de sair de casa

Ter uma boa alimentação antes da prática de exercícios é essencial, pois fornece ao corpo os nutrientes e a energia necessários para um bom desempenho físico.

“Os carboidratos são uma das principais fontes de energia para o corpo durante o exercício. Além disso, comer antes da atividade ajuda a manter os níveis de glicose no sangue estáveis. Isso é importante para evitar a hipoglicemia, que pode causar fraqueza, tontura e até desmaios”, alerta o profissional.

3 – Usar equipamentos indicados para a prática de exercícios

Existem diferentes modelos de tênis que são desenvolvidos especificamente para melhorar a experiência do exercício e garantir a segurança e o conforto durante a atividade física.

“Seja para a caminhada ou para pedalar, é importante escolher o tênis mais adequado para os diferentes tipos de pisada, pois garantem mais estabilidade para os tornozelos e menor impacto para os joelhos e quadril, prevenindo doenças articulares. Se a preferência for por bicicleta, o uso do capacete é indispensável para a segurança no trânsito”, reforça.

4 – Ter uma boa noite de sono

A prática de exercícios aumenta os níveis de serotonina, endorfina e dopamina no organismo, fazendo com que uma sensação de felicidade e satisfação seja constante no dia a dia. Para quem está focado em mudar de hábitos e movimentar a rotina, o sono é crucial para a realização da atividade, pois auxilia na recuperação e na melhora do condicionamento físico.

“O descanso é fundamental para que o corpo se recupere adequadamente. A falta de sono pode aumentar os níveis de estresse e afetar negativamente a energia e capacidade de se exercitar”, complementa.

5 – Respeitar os limites

É importante deixar claras as metas, incluindo a distância que será percorrida a pé ou de bicicleta e o tempo que será dedicado à atividade física.

“É recomendável definir metas alcançáveis para o condicionamento físico, ter objetivos definidos pode ajudar a manter o foco e a motivação. Além disso, é importante reforçar que, para reduzir os riscos, o mais adequado é contar com o acompanhamento profissional”, finaliza.

5 razões para deixar de usar carro e aderir a novos meios de transporte

Uma pesquisa do Programa de Geografia Física da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, mostrou que aumentar áreas verdes pode ajudar na melhoria da qualidade do ar, principalmente por diminuir a emissão de poluentes, com menos veículos nas ruas.

“É importante lembrar que o Dia Mundial Sem Carro não se trata apenas de um evento de um dia, mas sim de uma oportunidade para refletir sobre nossos hábitos de transporte e buscar maneiras mais sustentáveis de nos locomovermos no dia a dia”, comenta Gabriel Arcon, CEO da E-Moving – startup de soluções em mobilidade.

Em meio à proximidade da data e visando conscientizar cada vez mais as pessoas, Arcon lista 5 razões para deixar de usar carro e aderir a novos meios de transporte.

1. Benefícios para a saúde

Optar por caminhar ou andar de bicicleta como meio de transporte pode melhorar a saúde física e mental, ajudando a combater o sedentarismo e reduzir o estresse, além de ajudar a evitar várias doenças, segundo médicos, cientistas e ciclistas, que relataram em pesquisas ou testaram na prática os efeitos do hábito.

Segundo a pesquisa da Universidade de Yale (EUA), acompanhou 1,2 milhão de pessoas com mais de 18 anos, entre 2011 e 2015, que utilizavam e-bikes. Um mês depois do início da pesquisa, os participantes que andaram de bicicleta elétrica passaram 43,2% dos dias com a saúde mental mais estável do que os que não praticaram nenhuma atividade física associada.

“Essa mudança é como dar um passo em direção à saúde e ao bem-estar. Cada pedalada, caminhada ou viagem de transporte público é um investimento em sua própria saúde, contribuindo para um corpo mais ativo, uma mente mais equilibrada”, comenta o CEO.

2. Redução da emissão de carbono

Em todo o mundo, o setor de transporte é responsável por quase um quarto das emissões globais de gases de efeito estufa relacionadas à energia. Especificamente, as emissões dos veículos são uma fonte significativa de partículas finas e óxidos de nitrogênio, as principais causas da poluição do ar urbano.“Essa escolha não é apenas saudável para os indivíduos, mas também uma ação significativa para controlar a poluição do mundo, mantendo o ambiente mais limpo e reduzindo os poluentes que afetam o bem-estar de nosso planeta”, ressalta Arcon.

3. Custo benefício

O custo de se manter um carro não se resume apenas ao combustível. Itens básicos são prestações, seguro, manutenção, IPVA, licenciamento, lavagens e até mesmo possíveis multas. Além de que os automóveis perdem valor ao longo do tempo devido à depreciação. Usar menos ou optar por transportes alternativos pode ajudar a prolongar a vida útil do veículo e reduzir as perdas financeiras associadas à depreciação.

“A opção de utilizar menos carros pode proporcionar economia substancial a longo prazo, liberando recursos financeiros que podem ser direcionados para outras necessidades ou investimentos, melhorando sua saúde financeira”, acrescenta o CEO.

4. Melhoria do trânsito nas cidades

A diminuição do número de veículos nas ruas ajuda a reduzir o congestionamento, tornando os trajetos mais rápidos e eficientes. “A redução do número de automóveis nas estradas resulta em um tráfego mais fluido e menos estressante, o que tem um efeito positivo tanto na mobilidade urbana quanto na qualidade de vida da comunidade”, comenta Arcon.

A relação entre estes dois fatores já foi comprovada: em cidades onde o tempo de deslocamento é pequeno e o período gasto no congestionamento é mínimo as pessoas vivem melhor”, acrescenta.

5. Aumento na qualidade de vida

Menos carros nas ruas levam a ambientes urbanos mais agradáveis, com menos poluição sonora e do ar, além de mais espaços públicos para as pessoas, tornando as cidades ambientes mais agradáveis e sustentáveis para se viver.

“Essa substituição é uma fórmula eficaz para uma cidade mais saudável e feliz. Menos tráfego, ar mais limpo, espaços públicos acolhedores e uma população mais ativa promovem uma melhora significativa na qualidade de vida urbana”, finaliza o executivo.

Fonte: Total Pass e E-Moving

Leia mais

Atividade física é fundamental à saúde: que tal uma caminhada?
Caminhada e corrida após os 40: benefícios e riscos às articulações
Saúde física e mental é como uma roda de bicicleta
Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *