Piscina: alerta para garantir a água saudável

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

piscina

Há quem não suporte… Mas muita gente, como eu, não dispensa uma boa piscina neste verão, fugindo das praias lotadas e do acesso cada vez mais complicado, principalmente para quem vive no Rio de Janeiro e ainda tem que enfrentar o risco da falta de segurança nas areias. No meu condomínio, a piscina é bem pequena, mas garante aquela refrescada nesses dias de sensação térmica beirando os 40 graus. Especialistas, porém, alertam: com o aumento do uso da piscina no período do verão, os cuidados com o tratamento da água devem ser redobrados.

Fabio Forlenza, especialista em tratamento de piscinas da hth, conhecido como Professor Piscina, aborda algumas situações recorrentes na estação e indica o que fazer em cada situação. Confira e fique de olho na piscina de sua casa, clube ,  condomínio ou mesmo no hotel ou pousada onde você estiver durante as férias de verão:

1 – Sua piscina está verde?

Durante o verão são comuns pancadas de chuvas no fim da tarde (principalmente na região sudeste do país) e isso acelera a proliferação de algas. Como prevenção, a água da piscina precisa conter produtos que eliminem esses micro-organismos e que controlem a alcalinidade, mantendo entre 80 a 120 ppm, e mantendo o pH entre 7,0 e 7,4. Importante: aplicar o cloro granulado dia sim, dia não. Caso a piscina seja muito utilizada, aplicar cloro todos os dias, de preferencia no final da tarde ou à noite.

2- A água está turva ou leitosa?

Normalmente isto acontece por falta de filtragem da água, saturação da areia do filtro da piscina, alcalinidade ou pH da água elevados, falta de cloro, excesso de clarificante ou de ácido cianúrico. Neste caso, o especialista indica manter o motor da piscina ligado, no mínimo, 6 horas todos os dias e, troca da areia caso necessário. Além disso, corrigir o cloro, a alcalinidade, pH e o ácido cianúrico (deve estar no máximo em 50 ppm), se for o caso.

3 – Piscina é também foco para proliferação da dengue?

Nessa época do ano é comum casos da doença devido ao clima (quente e úmido), por isso o especialista revela que manter a água da piscina tratada, evita a proliferação do mosquito causador da doença. Procure manter o cloro entre 1 a 3 ppm.

4 – A água com aspecto oleoso em sua superfície?

É comum que os banhistas utilizem o protetor solar, bloqueador ou bronzeador e logo entrem na piscina. Devido ao pouco tempo para absorção do produto na pele, ele fica na água, deixando-a oleosa. Com isso, Prof. Piscina sugere a aplicação de produtos que reduzem este aspecto. Recomenda-se a aplicação de redutores de oleosidade. Aplique sempre que a piscina for muito utilizada.

5- As bordas e o interior da piscina estão sujos?

É comum o acúmulo de oleosidade e diversos resíduos nas bordas,  nas laterais e no piso da piscina. Forlenza indica limpar a borda com produtos específicos e escovar as paredes e fundo quando identificar necessidade de limpeza.

Por fim, o especialista informa também a necessidade de manter o motor da piscina ligado de 6 a 8 horas por dia e utilizar a peneira para remover folhas ou outros dejetos presentes na água.

*A hth piscinas também possui um aplicativo para celular que ajuda no tratamento da sua piscina todos os dias. Está disponível para os sistemas android, iOS e Windows Phone.

 

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!

You may like

In the news
Leia Mais
× Fale com o ViDA!