Raio-X

Febre amarela: medo gera corrida a postos de vacinação no Rio de Janeiro

Vacina-contra-febre-amarela

Vacina-contra-febre-amarela

Pouco antes de começar a aula de yoga hoje de manhã, não se falava de outra coisa. O risco de a febre amarela chegar às áreas urbanas – e a consequente necessidade de se proteger diante da gravidade da doença – dominou a conversa entre o mestre Rodrigo e suas alunas. Afinal, todas moramos na Tijuca, uma região da Zona Norte do Rio de Janeiro cercada por muito verde – aonde está localizada a Floresta Nacional da Tijuca – e com grande população de macacos – animais que são considerados hospedeiros do vírus da doença, transmitida por mosquitos que habitam áreas de mata.

De fato, o medo de a febre amarela se alastrar e atacar também moradores de áreas urbanas – fato que não  ocorre desde 1942  no Brasil – tem mobilizado a comunidade científica e as autoridades de saúde e alarmado muita gente. A notícia de que três pessoas já morreram este ano com a doença no estado, dos cinco casos confirmados até o momento, desperta uma nova corrida aos postos de saúde do Rio de Janeiro,  como ocorreu nos primeiros meses de 2017.

Somente na última segunda-feira (15), 26.279  pessoas procuraram as unidades de saúde da capital e foram vacinadas. “Diante dessa nova demanda, as unidades estão se organizando para atender o máximo de pessoas da melhor maneira possível, dentro da capacidade técnica de segurança dos pacientes e boas práticas de vacinação”, informou a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Apesar das filas, de acordo com a pasta, cada posto de vacinação tem autonomia para determinar quantas doses serão aplicadas por dia, seguindo critérios técnicos e de acordo com a capacidade de atendimento de cada unidade.

Cobertura vacinal de apenas 50% da população carioca

A SMS adverte que não há motivo para pânico e lembra que não há circulação do vírus na capital, mas, para especialistas e estudiosos sobre o tema, este risco não está descartado – a forma urbana é transmitida pelo conhecido Aedes aegypti, transmissor das temidas dengue, zika e chicungunha.  Segundo a secretaria, a cidade não alcançou a cobertura da população alvo ainda em 2017, que está, atualmente, em 50%.

A pasta lembra que a vacina esteve disponível em todos os 232 centros da rede durante todo o ano de 2017, mas a procura começou a cair a partir de março. “A Superintendência de Vigilância em Saúde lembra que a vacina contra a febre amarela esteve disponível para a população durante todo o ano passado mas, infelizmente, com o fim das notícias sobre casos da doença, as pessoas foram deixando de procurar a vacina”.

Em março do ano passado foram vacinadas na cidade 629.087 pessoas; 411.648 em abril; 198.659 em maio, 120.911 em junho; 96.040 em julho; 42.795 em agosto; 36.325 em setembro; 26.527 em outubro; 20.321 em novembro e apenas 16.592 em dezembro. Como a vacina é feita com vírus vivo e apresenta riscos de reação, estão fora do público alvo os idosos, menores de 9 meses, gestantes e pacientes com doença imunológica.

Dia D da vacinação: dose integral somente dia 27 de janeiro

No próximo dia 27 de janeiro, a partir das 9h, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) realizará o Dia D de vacinação contra a febre amarela. Todos os 92 municípios do Rio vão participar e objetivo da campanha é chamar a atenção da população para a importância de se imunizar contra a doença. Durante a ação, a vacina estará disponível nas Unidades Básicas de Saúde, UPAs, instalações montadas pela SES e também nos quartéis do Corpo de Bombeiros.

“Temos vacinas para todos os municípios e contamos com o apoio de todos nessa ação. Para ajudar na vacinação, a SES realizou uma parceria com a Secretaria de Defesa Civil para apoiar as prefeituras e oferecer a vacina também nos quartéis. Importante destacar que no dia D a dose que vamos ofertar é a dose integral da vacina, que é a que estamos disponibilizando no momento. Só a partir do dia 19 (de fevereiro) será feito o fracionamento”, disse o secretário de Estado de Saúde, Luiz Antonio Teixeira Jr. “Somente com a união e a parceria do Estado com municípios e a população, venceremos juntos a febre amarela. Vamos mobilizar todos os municípios e o Corpo de Bombeiros para ampliar o acesso à vacinação”, destacou.

Até o momento, apenas 46% do público-alvo da campanha estão vacinados no Estado do Rio. A SES está disponibilizando boletins diários com a atualização de casos da doença. “Especialmente quem mora em região de mata deve buscar a vacinação o quanto antes. Temos doses para todos e a vacina é a melhor e mais eficaz opção para se proteger contra a febre amarela”, ressaltou o subsecretário de Vigilância em Saúde, Alexandre Chieppe.

Dose fracionada só em fevereiro

No último dia 9 de janeiro o Ministério da Saúde anunciou que Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo vão adotar o fracionamento da vacina contra a febre amarela. No Rio, essa campanha será realizada em 15 municípios entre os dias 19 de fevereiro e 9 de março. Os municípios que terão doses fracionadas são: Belford Roxo, Duque de Caxias, Itaboraí, Itaguaí, Japeri, Magé, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Nova Iguaçu, Queimados, Rio de Janeiro, São Gonçalo, São João de Meriti e Seropédica.

“Nossa programação junto ao Ministério é começar o fracionamento somente no dia 19 de fevereiro. Se em algum momento a gente tiver a necessidade de antecipar o fracionamento, nós vamos fazer. Mas nesse momento a programação permanece para o dia 19”, explicou o secretário Luiz Antônio.

Recomendação de vacinação para quem vai viajar para o RJ

No ano passado a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomendou que todas as pessoas que tenham viagem marcada para o Estado do Rio tomem a vacina. Portanto, quem vem para o Rio também deve se proteger contra a doença.

Confira a lista de postos de vacinação na capital

CMS José Messias do Carmo – Rua Waldemar Dutra, 55 – Santo Cristo
CMS Marcolino Candau – Rua Laura de Araújo, 36 – Praça Onze
CMS Salles Neto – Praça Condessa Paulo de Frontin, 52 – Rio Comprido
CMS Ernesto Zeferino Tibau Junior – Avenida do Exército, 1 – São Cristóvão
CMS Ernani Agrícola – Rua Constante Jardim, 8 – Santa Teresa
CMS Oswaldo Cruz – Avenida Henrique Valadares, 151 – Centro
CEV Dr Álvaro Aguiar – Rua Evaristo da Veiga, 16 – Centro
CMS Manoel Arthur Villaboim – Praça Bom Jesus, 40 – Paquetá
CMS Manoel José Ferreira – Rua Silveira Martins, 161 – Catete
CMS Dom Helder Câmara – Rua Voluntários da Pátria, 136 – Botafogo
CMS João Barros Barreto – Rua Tenreiro Aranha, s/n – Copacabana
CMS Píndaro de Carvalho Rodrigues – Rua Padres Leonel Franca, s/n – Gávea
Clínica da Família Rinaldo Lamare – Avenida Niemeyer, 776 – São Conrado
CMS Heitor Beltrão – Rua Desembargador Izidro, 144 – Tijuca
CMS Maria Augusta Estrela – Rua Visconde de Santa Isabel, 56 – Vila Isabel
CMS Américo Veloso – Rua Gerson Ferreira, 100 – Ramos
Clínica da Família Felippe Cardoso – Avenida Nossa Senhora da Penha, 42 – Penha
CMS Necker Pinto – Estrada Rio Jequié, 482 – Zumbi
Policlínica Rodolfo Rocco – Estrada Adhemar Bebiano, 339 – Del Castilho
CMS Ariadne Lopes de Menezes – Rua Engenheiro Carlos Gonçalves Pena, s/n – Engenho da Rainha
CMS Milton Fontes Magarão – Avenida Amaro Cavalcanti, 1387 – Engenho de Dentro
CMS Clementino Fraga – Rua Caiçaras, 514 – Irajá
CMS Carmela Dutra – Avenida dos Italianos, 480 – Rocha Miranda
CMS Augusto Amaral Peixoto – Rua Jornalista Hermano Requião, 447 – Guadalupe
Clínica da Família Souza Marques – Praça Patriarca, s/n – Madureira
CMS Jorge Saldanha Bandeira de Mello – Avenida Geremário Dantas, 135 – Jacarepaguá
CMS Harvey Ribeiro de Souza Filho – Av Guiomar Novaes, 133 – Recreio
CF José de Souza Herdy – Avenida Ayrton Senna, 3383 – fundos – Barra da Tijuca
CMS Professor Masao Goto – Av Carlos Pontes s/n – Jardim Sulacap
CMS Waldyr Franco – Praça Cecília Pedro, 60 – Bangu
CMS Belizário Penna – Rua Franklin, 29 – Campo Grande
Policlínica Lincoln de Freitas Filho – Rua Álvaro ALberto, 601 – Santa Cruz

Fonte: SMS e SES, com Redação

Gostou desse conteúdo? Compartilhe em suas redes!
Shares:

Related Posts

2 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *