Consumo consciente: quanto de água você consome por dia?

Exposição Linha D´ Água, no Forte de Copacabana, reúne 30 fotografias do acervo de Amyr Klink (Foto: Kassius Trindade)

Exposição Linha D´Água, no Forte de Copacabana, reúne 30 fotografias do acervo de Amyr Klink (Foto: Kassius Trindade)

A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que cada pessoa gaste, somando suas atividades domésticas e de higiene, de 50 a 100 litros diários de água. É muito? Pouco? Quantos litros de água você gasta por dia? Seria possível viver consumindo menos de três litros por dia?  Estas e outras curiosidades fazem parte da exposição “Linha D’Água – Viagens oceânicas de Amyr Klink e suas lições sobre a água”, que termina nesta terça-feira, dia 31, no Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana.

A mostra é dedicada à reflexão sobre o uso racional da água, com base na experiência das expedições do mais famoso velejador brasileiro. Um programa que serve de alerta também para a necessidade de economia e do uso racional dos recursos naturais, especialmente da água.

Já o Galpão das Artes Urbanas Helio G. Pellegrino/Comlurb, no Jardim Botânico, acaba de abrir as três últimas exposições de 2017, sempre com temas e materiais ligados ao meio ambiente e à sustentabilidade: “Design do Papelão”, “Natureza Urbana” e “Reciclar tá na moda”.  As mostras poderão ser visitadas até 23 de dezembro, de segunda a sexta-feira, das 9 às 17h. Como nas demais mostras do GAU, estas exposições nos levam à reflexão sobre o que o homem estará deixando como sua marca para o futuro.

 

Papelão vira móveis e esculturas – Na Sala Contemporânea, a galeria de Arte do GAU, Laurent Renaud, o Lolo Carton traz “Design do Papelão”, que apresenta uma nova forma de vida a móveis únicos e personalizados, usando a imaginação para explorar as qualidades e pluralidades do papelão. São móveis decorativos, úteis e de alta durabilidade, além de esculturas e peças decorativas criadas com o papelão.

Microlixo: pedras, vigas de aço, resto de paredes – Na Galeria II, espaço alternativo para novos conceitos, o artista do grafitti e designer Antonio Rey Vieira, o Antonio Ton,  apresenta a exposição “Natureza Urbana”, usando o microlixo como material básico para seus trabalhos e consequente valorização dos descartes. Ton aproveita o dispositivo removível que, encaixado à saída da lata de spray, impulsiona a tinta através da pressão e, para complementar as obras, seleciona, entre outros materiais reaproveitáveis, pedras portuguesas, pedaços de concreto, vigas de aço, restos de paredes… Para Ton, “nada é lixo”.

Barbies repaginadas – Erick Ferraz transformou em arte o hobby de criar moda fashion  para as descartadas bonecas estilo Barbie que encontrava no lixo ou que lhe eram doadas. Com o parceiro Antonio Marques, Erick apresenta“Reciclar tá na moda”, uma exposição com diversas Barbies vestidas em modelos de festa ou gala. Tudo reaproveitado! (@redscarpetrecycling no Instagram).

As Barbies serão apresentadas em roupas de gala na mesma cor do nicho correspondente às campanhas realizadas nacionalmente como alerta para a prevenção de doenças  –  “É preciso falar disso!”. São eleas: nicho rosa – de prevenção ao câncer de mama (outubro); nicho azul – prevenção ao câncer de próstata – novembro e nicho vermelho – prevenção da Aids – dezembro.

Mais sobre a exposição Linha D’Água

Há mais de 30 anos, Amyr Klink passou 100 dias num barco a remo com um consumo diário de 2,7 litros de água. A viagem foi a primeira travessia a remo do Oceano Atlântico e até hoje o navegador brasileiro é o único homem do mundo que conseguiu completar esta façanha. A experiência deu origem ao best seller ‘Cem dias entre céu e mar’, que ficou por 31 semanas consecutivas na lista dos dez livros mais vendidos de não-ficção no Brasil. O mundialmente respeitado navegador já realizou mais de 40 viagens oceânicas e tornou-se referência nacional quando se fala em consumo consciente, especialmente da água.

A exposição Linha D´Água reúne 30 fotografias do acervo de Amyr Klink. Viabilizado através de leis de incentivo e executado pela D’color Produções Culturais, o projeto foi inaugurado em 2014, e já passou por vários estados brasileiros. O projeto “Linha D’Água” conta ainda com um livro catálogo da exposição e uma cartilha infantil ilustrada com conteúdo relacionado ao consumo consciente da água. O material está à disposição dos visitantes. A mostra pode ser conferida de terça a domingo, das 10h às 18h. A exposição é patrocinada pela Webmotors e produzida pela empresa campineira D’color Produções Culturais.

Fonte: Linha D´Água e Galpão das Artes